Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Caetano e Gil mandam 'Aquele abraço' no bis carioca do show 'Dois amigos'

  Caetano Veloso e Gilberto Gil mandaram Aquele abraço para o público do Rio de Janeiro (RJ) que assistiu à terceira apresentação carioca do show Dois amigos, um século de música, na casa Metropolitan, na noite de domingo, 18 de outubro de 2015. Samba lançado por Gil em 1969 para se despedir do Rio (e do Brasil) ao partir para o exílio forçado, em Londres, Aquele abraço não estava oficialmente previsto no roteiro da turnê em sua passagem pelo Rio. Mas entrou no segundo bis, encerrando a apresentação, para alegria do público do Rio. Bis à parte, os cantores, compositores e músicos baianos seguiram basicamente o roteiro original do show, cuja turnê internacional estreou em 25 de junho de 2015, na cidade de Amsterdam, nos Países Baixos. Além da adição do inédito samba As camélias do quilombo do Leblon (primeira música composta por Caetano e Gil em parceria desde 1993, incorporada ao roteiro do show desde a estreia da turnê no Brasil, no Citibank Hall de São Paulo, em 20 de agosto), a única mudança - já prevista - em relação ao repertório original foi a troca de Se eu quiser falar com Deus (Gilberto Gil, 1980) por Eu não tenho medo da morte (Gilberto Gil, 2008), temas espiritualistas. Eis o roteiro de 30 músicas seguido em 18 de outubro de 2015 por Caetano Veloso e Gilberto Gil - vistos na foto de Rodrigo Goffredo à frente do cenário criado por Hélio Eichbauer para a estreia da turnê no Brasil - na apresentação do show fraterno Dois amigos,  um século de música que lotou a casa Metropolitan, no Rio de Janeiro (RJ):

1. Back in Bahia (Gilberto Gil, 1972)
2. Coração vagabundo (Caetano Veloso, 1967)
3. Tropicália (Caetano Veloso, 1967)
4. Marginália II (Gilberto Gil e Torquato Neto, 1967)
5. É luxo só (Ary Barroso e Luiz Peixoto, 1957)
6. De manhã (Caetano Veloso, 1965)
7. As camélias do quilombo do Leblon (Caetano Veloso e Gilberto Gil, 2015) - música inédita
8. Sampa (Caetano Veloso, 1978)
9. Terra (Caetano Veloso, 1978)
10. Nine out of ten (Caetano Veloso, 1972)
11. Odeio (Caetano Veloso, 2006)
12. Tonada de luna Ilena (Simón Díaz, 1973)
13. Eu vim da Bahia (Gilberto Gil, 1965)
14. Super homem, a canção (Gilberto Gil, 1979)
15. Come Prima (Alessandro Taccani, Vincenzo Di Paola e Mario Panzeri, 1957)
16. Esotérico (Gilberto Gil, 1976)
17. Tres Palabras (Osvaldo Farrés, 1946)
18. Drão (Gilberto Gil, 1982)
19. Não tenho medo da morte (Gilberto Gil, 2008)
20. Expresso 2222 (Gilberto Gil, 1972)
21. Toda menina baiana (Gilberto Gil, 1979)
22. São João Xangô menino (Caetano Veloso e Gilberto Gil, 1976)
23. Nossa gente (Avisa lá) (Roque Carvalho, 1992)
24. Andar com fé (Gilberto Gil, 1982)
25. Filhos de Gandhi (Gilberto Gil, 1973)
Bis
26. Desde que o samba é samba (Caetano Veloso, 1993)
27. Domingo no parque (Gilberto Gil, 1967)
28. A luz de Tieta (Caetano Veloso, 1996)
Bis 2:
29. O leãozinho (Caetano Veloso, 1977)
30. Aquele abraço (Gilberto Gil, 1969)

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Caetano Veloso e Gilberto Gil mandaram Aquele abraço para o público do Rio de Janeiro (RJ) que assistiu à terceira apresentação carioca do show Dois amigos, um século de música, na casa Metropolitan, na noite de domingo, 18 de outubro de 2015. Samba lançado por Gil em 1969 para se despedir do Rio (e do Brasil) ao partir para o exílio forçado, em Londres, Aquele abraço não estava oficialmente previsto no roteiro da turnê em sua passagem pelo Rio. Mas entrou no segundo bis, encerrando a apresentação, para alegria do público do Rio. Bis à parte, os cantores, compositores e músicos baianos seguiram basicamente o roteiro original do show, cuja turnê internacional estreou em 25 de junho de 2015, na cidade de Amsterdam, nos Países Baixos. Além da adição do inédito samba As camélias do quilombo do Leblon (primeira música composta por Caetano e Gil em parceria desde 1993, incorporada ao roteiro do show desde a estreia da turnê no Brasil, no Citibank Hall de São Paulo, em 20 de agosto), a única mudança - já prevista - em relação ao repertório original foi a troca de Se eu quiser falar com Deus (Gilberto Gil, 1980) por Eu não tenho medo da morte (Gilberto Gil, 2008), temas espiritualistas. Eis o roteiro de 30 músicas seguido em 18 de outubro de 2015 por Caetano Veloso e Gilberto Gil - vistos na foto de Rodrigo Goffredo à frente do cenário criado por Hélio Eichbauer para a estreia da turnê no Brasil - na apresentação do show fraterno Dois amigos, um século de música que lotou a casa Metropolitan, no Rio de Janeiro (RJ):

1. Back in Bahia (Gilberto Gil, 1972)
2. Coração vagabundo (Caetano Veloso, 1967)
3. Tropicália (Caetano Veloso, 1967)
4. Marginália II (Gilberto Gil e Torquato Neto, 1967)
5. É luxo só (Ary Barroso e Luiz Peixoto, 1957)
6. De manhã (Caetano Veloso, 1965)
7. As camélias do quilombo do Leblon (Caetano Veloso e Gilberto Gil, 2015) - música inédita
8. Sampa (Caetano Veloso, 1978)
9. Terra (Caetano Veloso, 1978)
10. Nine out of ten (Caetano Veloso, 1972)
11. Odeio (Caetano Veloso, 2006)
12. Tonada de luna Ilena (Simón Díaz, 1973)
13. Eu vim da Bahia (Gilberto Gil, 1965)
14. Super homem, a canção (Gilberto Gil, 1979)
15. Come Prima (Alessandro Taccani, Enzo Di Paola e Mario Panzeri, 1957)
16. Esotérico (Gilberto Gil, 1976)
17. Tres Palabras (Osvaldo Farrés, 1946)
18. Drão (Gilberto Gil, 1982)
19. Não tenho medo da morte (Gilberto Gil, 2008)
20. Expresso 2222 (Gilberto Gil, 1972)
21. Toda menina baiana (Gilberto Gil, 1979)
22. São João Xangô Menino (Caetano Veloso e Gilberto Gil, 1976)
23. Nossa gente (Avisa lá) (Roque Carvalho, 1992)
24. Andar com fé (Gilberto Gil, 1982)
25. Filhos de Gandhi (Gilberto Gil, 1973)
Bis
26. Desde que o samba é samba (Caetano Veloso, 1993)
27. Domingo no parque (Gilberto Gil, 1967)
28. A luz de Tieta (Caetano Veloso, 1996)
Bis 2:
29. O leãozinho (Caetano Veloso, 1977)
30. Aquele abraço (Gilberto Gil, 1969)

Unknown disse...

Não entendi o por quê de um século de música se a canção mais antiga e de 1946 (três palavras)

Unknown disse...

Querido Unknown: somadas, as carreiras de Caetano e Gil alcançam um século.

ADEMAR AMANCIO disse...

Péssima troca fez o Gil.

italo vinicius disse...

Roteiro impecável, pra ser cantado junto vom os mestres

Henrique disse...

Não acho que tenha sido uma troca ruim. Aliás, "Não Tenho Medo da Morte" é o momento mais assombroso do show.

Mauro Ferreira disse...

Concordo com Henrique. 'Não tenho medo da morte' é um dos grandes momentos do show. Abs, MauroF

Rafael M. disse...

Repertório maravilhoso!!! Salve Caetano e Gil!!! Salve a boa música brasileira...