Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Anitta regrava sucesso de Caetano e Hanoi para abertura de novela da Globo

Não, não foi por acaso que Caetano Veloso rasgou elogio a Anitta no texto em que apresenta o primeiro álbum solo de Ana Cláudia Lomelino (mãeana, lançado esta semana pela gravadora Joia Moderna). Cada vez mais pop e mais distante do pancadão do funk, a cantora e compositora carioca regravou a música Totalmente demais para a abertura da homônima novela que a TV Globo estreia em novembro de 2015. Música composta por Arnaldo Brandão em parceria com Tavinho Paes e Robério Rafael, Totalmente demais foi lançada há 30 anos em gravação feita pelo grupo Brylho para o álbum coletivo Rock in Brazil (RCA, 1985). Mas a composição ficou mais conhecida nas gravações quase simultâneas feitas em 1986 pelo grupo Hanoi Hanoi e por Caetano Veloso, que batizou disco ao vivo de 1986 com o nome da música, revivida em 2006 pela ex-funkeira Perlla em registro feito para o CD Eu só quero ser livre (Deck,2006). Anitta acaba de lançar o álbum Bang!.

17 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Não, não foi por acaso que Caetano Veloso rasgou elogio a Anitta no texto em que apresenta o primeiro álbum solo de Ana Cláudia Lomelino (mãeana, lançado esta semana pela gravadora Joia Moderna). Cada vez mais pop e mais distante do pancadão do funk, a cantora e compositora carioca regravou a música Totalmente demais para a abertura da homônima novela que a TV Globo estreia em novembro de 2015. Música composta por Arnaldo Brandão em parceria com Tavinho Paes e Robério Rafael, Totalmente demais foi lançada há 30 anos em gravação feita pelo grupo Brylho para o álbum coletivo Rock in Brazil (RCA, 1985). Mas a composição ficou mais conhecida nas gravações quase simultâneas feitas em 1986 pelo grupo Hanoi Hanoi e por Caetano Veloso, que batizou disco ao vivo de 1986 com o nome da música, revivida em 2006 pela ex-funkeira Perlla em registro feito para o CD Eu só quero ser livre (Deck,2006). Anitta acaba de lançar o álbum Bang!.

Rafael M. disse...

O que deu na cabeça do Caetano para elogiar essa daí? Imagino o estrago grande que foi feito na música... Lamentável e totalmente dispensável...

Mauro Silva disse...

Essa mania do Caetano de elogiar tudo, concordar com tudo... me incomoda um pouco..parece que ele não tem mais opinião em nada, ele elogia tudo, tudo é lindo..sei lá..Eu sei que ele é muito eclético..mas até o funk carioca ele elogia, esse sertanejo preguiçoso ao vivo ele também elogia. Sinto falta do Caetano que opinava mais na arte e no contexto geral musical. Esse Caetano de hoje que elogia tudo é muito forçado. Sera que é medo de dizer a verdade ? Eu não acho que todo mundo tem que ouvir MPB, mas cada um no seu quadrado.

italo vinicius disse...

O cara fala que caetano elogia tudo aonde ele ta vendo isso ?? É diferente tudo que caetano fala vira noticia repercute pois é um grande formador de opiniao e ninguém é obrigado a concordar e oo que tem de mal no funk carioca ? Logico que como no funk em todos os ritmos e estilos tem produçoes que sao horríveis e pobres musicalmente falando e a Anita esta mudando apesar de nao seguir sua carreira pelo que escutamos pela rua e na tv quando aparece se ve essa mudança, agora a pessoa anita ja nao aguento nem ver ela e faustao podem dar as mãos só falam merd#*

O fantástico mundo de Maycon disse...

Desculpem os fãs, mas a versão da Perlla é infinitamente melhor. Ambas tem a voz chata, mas a versão de Perlla é muito mais sedutora e irresistível.

Rafael M. disse...

Mania chata da Globo de nos querer empurrar goela abaixo esse projeto de cantora... Aff, ninguém merece!!!

Bruno Cavalcanti disse...

Deixa a menina cantar em paz.

Marcos Lúcio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mauro Ferreira disse...

Marcos Lúcio, redija seu comentário em tom menos agressivo, por favor, para que eu possa publicá-lo. Abs, MauroF

Marcos Lúcio disse...

Pensei melhor: não merece comentário (nem percebi que poderia ser considerado agressivo, juro, pois fui sincero e até respeitoso, pasme!)o que não considero relevante ou artístico.Abração.Grato pela atenção e/ou toque.

Felipe Gama disse...

Mauro boa noite. Vc fará resenha do novo álbum da Demi Lovato? Confident foi platina no Brasil em menos de uma semana de lançamento, além de seu antecessor (DEMI) ter se tornado disco de diamante em nossas terras tupiniquins. Ela inclusive esteve aqui esta semana para agradecer o feito. Diante deste destaque musical, acho que o contagiante álbum merece uma resenha. Abraço. 😉 P.S: Adoro o blog.

Mauro Ferreira disse...

Felipe, boa noite! Na boa, se você adorasse mesmo o blog, já teria percebido que ele está inteiramente dedicado a artistas brasileiros desde agosto de 2014. Portanto, não postarei resenha do disco de Demi Lovato. Abs, MauroF

Felipe Gama disse...

Bom Mauro não havia percebido isso. Para mim gostar ou adorar não significa entrar aqui todo dia e perceber detalhes. Ate pq quando eu venho olhar o blog eu passo rápido pelas notícias, tem muita coisa sem importância aqui. Gosto exclusivamente das resenhas. Me desculpe se não percebi o detalhe dos álbuns internacionais. Abraço

Wanderson Hidayck disse...

Faz tempo que não dou importância ao que Caetano fala. É cada asneira!

ADEMAR AMANCIO disse...

Além dos inúmeros interesses do Caetano Veloso (Um deles é provocar a alta cultura),tem a estética tropicalista que era justamente a fusão do lixo com o luxo,ou melhor ,uma mistura do refinamento com a cultura popular.

Wanderson Hidayck disse...

No caso de Anita, não tem nem refinamento nem cultura popular (que não se confunde com a de massa). É só o lixo.

August Paixao disse...

wanderson, perfeita sua colocação. tem gente q confunde cultura de massas com cultura popular. nada contra a cultura de massas, mas houve um tempo que a cultura de massas (incluindo ai caetano e a tropicália) já foi melhor.