Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Julia Bosco faz segundo álbum no Rio com produção pilotada por Donatinho

Já em fase de gravação, no Rio de Janeiro (RJ), o segundo álbum da cantora e compositora carioca Julia Bosco vai ter produção assinada pelo tecladista Donatinho - e não pelo artista capixaba Juliano Rabujah, como planejado inicialmente. O repertório pré-selecionado para o disco - previsto para ser lançado em 2016 - abrangia as músicas Dance com seu inimigo (Julia Bosco e Gustavo Macacko), Déjà vu (Julia Bosco e Juliano Rabujah), Domingo (César Lacerda e Fernando Temporão), Pra gozar (Julia Bosco e Emerson Leal), Quem me passa o coração? (Julia Bosco, Juliana Sinimbú e Marcela Bellas) e Volume (Ana Clara Horta, Gabriel Pondé, João Bernardo e Miguel Jorge). Julia incluiu música da cantora e compositora paraense Dona Onete neste repertório.

7 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Já em fase de gravação, no Rio de Janeiro (RJ), o segundo álbum da cantora e compositora carioca Julia Bosco vai ter produção assinada pelo tecladista Donatinho - e não pelo artista capixaba Juliano Rabujah, como planejado inicialmente. O repertório pré-selecionado para o disco - previsto para ser lançado em 2016 - abrangia as músicas Dance com seu inimigo (Julia Bosco e Gustavo Macacko), Déjà vu (Julia Bosco e Juliano Rabujah), Domingo (César Lacerda e Fernando Temporão), Pra gozar (Julia Bosco e Emerson Leal), Quem me passa o coração? (Julia Bosco, Juliana Sinimbú e Marcela Bellas) e Volume (Ana Clara Horta, Gabriel Pondé, João Bernardo e Miguel Jorge). Julia incluiu música da cantora e compositora paraense Dona Onete neste repertório.

Unknown disse...

Essa aí eu passo. Não canta nada e se acha A cantora! Dispensável!

Thainá C. Seriz disse...

Gostaria de solicitar à moderação da página que censure quaisquer tipos de comentários depreciativos e/ou vexatórios à retratada em questão pela reportagem. Se não possui a acrescentar, que se cale, e não alastre ódio ou frustração sobre quem não é responsável por malogro possivelmente pessoal. É negligenciando este tipo de expressão que a violência, em especial contra a mulher, alastra-se.

Thainá C. Seriz disse...

Gostaria de solicitar à moderação da página que censure quaisquer tipos de comentários depreciativos e/ou vexatórios à retratada em questão pela reportagem. Se não possui a acrescentar, que se cale, e não alastre ódio ou frustração sobre quem não é responsável por malogro possivelmente pessoal. É negligenciando este tipo de expressão que a violência, em especial contra a mulher, alastra-se.

Thainá C. Seriz disse...

Gostaria de solicitar à moderação da página que censure quaisquer tipos de comentários depreciativos e/ou vexatórios à retratada em questão pela reportagem. Se não possui a acrescentar, que se cale, e não alastre ódio ou frustração sobre quem não é responsável por malogro possivelmente pessoal. É negligenciando este tipo de expressão que a violência, em especial contra a mulher, alastra-se.

Thainá C. Seriz disse...

Gostaria de solicitar à moderação da página que censure quaisquer tipos de comentários depreciativos e/ou vexatórios à retratada em questão pela reportagem. Se não possui a acrescentar, que se cale, e não alastre ódio ou frustração sobre quem não é responsável por malogro possivelmente pessoal. É negligenciando este tipo de expressão que a violência, em especial contra a mulher, alastra-se.

um disse...

Nossa! Educação mandou lembrança! Mas foi muito bom você ter marcado seu "dispensável" com o crivo pessoal do indelicado "EU passo", porque, para quem ela é insubstituível, nunca passará!