Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Emerge no Brasil Aquarius, CD banhado pelo suingue de Joyce e Donato

Resenha de CD
Título: Aquarius
Artista: Joyce Moreno e João Donato
Gravadora: Biscoito Fino
Cotação: * * * 

Não é de hoje que o suingue da música da cantora e compositora Joyce Moreno se irmana em disco com o balanço caribenho do som do acreano João Donato. Em 2000, Joyce e Donato entraram em estúdio para gravar o CD intitulado Tudo Bonito. Embora assinado somente por Joyce, tendo Donato sido creditado apenas como participação especial, Tudo Bonito já expôs a irmandade que emerge mais uma vez em Aquarius, álbum editado no Brasil pela gravadora Biscoito Fino neste mês de junho de 2012. Lançado originalmente no Japão em 2009 pela Toy's Factory, Aquarius foi editado na Europa em 2010 pela gravadora inglesa Far Out Recordings com outra capa. A edição brasileira apresenta uma terceira (bonita) capa, mas o conteúdo é rigorosamente o mesmo. O repertório totaliza 13 músicas assinadas pelos artistas, em dupla, sozinhos ou com os respectivos parceiros. Embora esse repertório inclua samba-canção, Luz da Canção (João Donato e Joyce Moreno), cantado por Joyce com Donato ao piano, Aquariué banhado pelo suingue típico das obras dos compositores. A safra de inéditas apresentada no disco - com temas como o jazzístico Aquarius (João Donato), E Passa o Carrossel (João Donato e Joyce Moreno) e No Fundo do Mar (João Donato e Joyce Moreno) - jamais se impõe entre as mais inspiradas dos artistas. De todo modo, é a refinada musicalidade de Joyce e Donato que valoriza Aquarius. É a forma com que ambos formatam músicas como Amor nas Estrelas (João Donato e Lysias Enio) e Amazonas II (João Donato, Arnaldo Antunes e Péricles Cavalcanti) que legitima Aquarius. Partindo do samba, Donato e Joyce seguem com bossa uma trilha de suingue latino que deságua em Guarulhos Cha Cha Cha, para citar faixa em que o balanço extrapola as fronteiras brasileiras. Ainda que matéria-prima musical venha do Brasil, o som de Aquariutem sabor universal - o que explica os elogios colhidos pelo álbum mundo afora. As águas da Guanabara de Joyce se encontram com o Rio Amazonas de Donato para abarcar outros afluentes musicais sem nunca perder de vista o porto seguro do samba e da bossa nova.

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Não é de hoje que o suingue da música da cantora e compositora Joyce Moreno se irmana em disco com o balanço caribenho do som do acreano João Donato. Em 2000, Joyce e Donato entraram em estúdio para gravar o CD intitulado Tudo Bonito. Embora assinado somente por Joyce, tendo Donato sido creditado apenas como participação especial, Tudo Bonito já expôs a irmandade que emerge mais uma vez em Aquarius, álbum editado no Brasil pela gravadora Biscoito Fino neste mês de junho de 2012. Lançado originalmente no Japão em 2009 pela Toy's Factory, Aquarius foi editado na Europa em 2010 pela gravadora inglesa Far Out Recordings com outra capa. A edição brasileira apresenta uma terceira (bonita) capa, mas o conteúdo é rigorosamente o mesmo. O repertório totaliza 13 músicas assinadas pelos artistas, em dupla, sozinhos ou com os respectivos parceiros. Embora esse repertório inclua samba-canção, Luz da Canção (João Donato e Joyce Moreno), cantado por Joyce com Donato ao piano, Aquarius é banhado pelo suingue típico das obras dos compositores. A safra de inéditas apresentada no disco - com temas como o jazzístico Aquarius (João Donato), E Passa o Carrossel (João Donato e Joyce Moreno) e No Fundo do Mar (João Donato e Joyce Moreno) - jamais se impõe entre as mais inspiradas dos artistas. De todo modo, é a refinada musicalidade de Joyce e Donato que valoriza Aquarius. É a forma com que ambos formatam músicas como Amor nas Estrelas (João Donato e Lysias Enio) e Amazonas II (João Donato, Arnaldo Antunes e Péricles Cavalcanti) que legitima Aquarius. Partindo do samba, Donato e Joyce seguem com bossa uma trilha de suingue latino que deságua em Guarulhos Cha Cha Cha, para citar faixa em que o balanço extrapola as fronteiras brasileiras. Ainda que matéria-prima musical venha do Brasil, o som de Aquarius tem sabor universal - o que explica os elogios colhidos pelo álbum mundo afora. As águas da Guanabara de Joyce se encontram com o Rio Amazonas de Donato para abarcar outros afluentes musicais sem nunca perder de vista o porto seguro do samba e da bossa nova.

lurian disse...

Quando este disco foi anunciado pensei que estaria no mesmo patamar de beleza de Tudo bonito, um dos melhores discos da Joyce, igualável às belas obras primas: Ilha Brasil e Gafieira moderna. No entanto Aquarius ficou um pouco a desejar em termos de inspiração. A melhor música do disco é "Luz da canção".

Para que gosta da Joyce, gostará de ver que recentemente ela fez um show em homenagem ao compositor Sidney Miller e tem interpretações impagáveis de O circo, e alguns momentos revivendo a dupla S. Miller e Nara Leão, estes ao lado de Alfredo del Penho: Menina da agulha, Nós os foliões, A estrada e o violeiro. è possível ver o show completo em: http://www.youtube.com/watch?v=pNT81AGrqng

Eduado Mezzonato disse...

Assim como os japoneses, adoro a Joyce e me orgulho muito disso.