Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 1 de janeiro de 2012

Registro integral de 'Transversal do Tempo', show de Elis, vai sair em CD

Faz 30 anos neste mês de janeiro de 2012 que Elis Regina Carvalho Costa (1945 - 1982) saiu de cena. Para lembrar a data, a gravadora Universal Music vai pôr nas lojas ao longo do ano série de lançamentos que inclui CD com o registro ao vivo integral do show Transversal do Tempo, estreado por Elis em 17 de novembro de 1977, no Teatro Leopoldina, em Porto Alegre (RS), cidade natal da cantora. Uma gravação ao vivo do controvertido show - roteirizado por Maurício Tapajós e Aldir Blanc sob a direção musical de César Camargo Mariano - já foi editada em 1978 no álbum Transversal do Tempo. Captado ao vivo diretamente da mesa de som de apresentações feitas por Elis no Teatro Ginástico do Rio de Janeiro (RJ) de 6 a 9 de abril de 1978, o disco perpetuou 10 números do show, totalizando 12 músicas, mas excluiu números como Gente (Caetano Veloso), um dos mais polêmicos do show idealizado em engarrafamento, e Maravilha, obscura parceria de Francis Hime com Chico Buarque, nunca gravada pela artista.

24 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Faz 30 anos neste mês de janeiro de 2012 que Elis Regina Carvalho Costa (1945 - 1982) saiu de cena. Para lembrar a data, a gravadora Universal Music vai pôr nas lojas ao longo do ano série de lançamentos que inclui CD com o registro ao vivo integral do show Transversal do Tempo, estreado por Elis em 17 de novembro de 1977, no Teatro Leopoldina, em Porto Alegre (RS), cidade natal da cantora. Uma gravação ao vivo do controvertido show - roteirizado por Maurício Tapajós e Aldir Blanc sob a direção musical de César Camargo Mariano - já foi editada em 1978 no álbum Transversal do Tempo. Captado ao vivo diretamente da mesa de som de apresentações feitas por Elis no Teatro Ginástico do Rio de Janeiro (RJ) de 6 a 9 de abril de 1978, o disco perpetuou 10 números do show, totalizando 12 músicas, mas excluiu números como Gente (Caetano Veloso), um dos mais polêmicos do show idealizado em engarrafamento.

Mary disse...

Ótima notícia! irei comprar com certeza.

Anônimo disse...

O projeto original era lançar um álbum duplo naquele mesmo ano com a íntegra do show mas as criticas negativas para o espetáculo e a pouca vendagem do álbum simples, fizeram a gravadora abortar o projeto. Mas o áudio realmente existe. A canção "Gente" de Caetano era somente um tema instrumental onde Elis falava o nome dos músicos no lugar dos nomes originais citados por Caetano Veloso e só. No cenário apareciam placas de trânsito onde estava escrito "Beba Gente", o que provocou uma reação negativa de Caetano na imprensa da época indignado com o deboche com que sua música era tratada no show.

adalberto figueiredo disse...

nao vejo a hora

falsobrilhante disse...

Antes tarde do que nunca. Mas que é revoltante saber que esperaram 30 anos para lançar um documento tão importante como esse, lá isso é.

Que venha o Transversal, espero por isso desde 1982, quando comprei o LP e na contracapa constava o projeto de lançamento de um álbum duplo.

Renato Vieira disse...

Nunca entendi porque a Phillps, durante o rompimento com Elis, lançou o Elis Especial em detrimento do Transversal completo, prometido por Aldir Blanc no texto do LP lançado para fins de 78.Ele disse que a crítica "nos dará honra de opinar duas vezes" sobre o mesmo projeto. Antes tarde do que nunca.

Renato Vieira disse...

Sem contar que no disco original, em vários fins de faixa, aparece um BG com músicas que não estão no disco, o que deixa uma sensação estranha pro ouvinte. Logo que termina Fascinação, por exemplo, já entra um fade de Aquarela Brasileira. No fim de Construção, entra a introdução de Gente.

EDELWEISS1948 disse...

TUDO QUE LANÇAREM DE ELIS SERÁ SEMPRE BEM VINDO. PROVAVELMENTE O SHOW TRANSVERSAL DO TEMPO NÃO FOI LANÇADO NA INTEGRA POR CAUSA DA DITADURA ALEM DE QUE TB ELA FOI MANDADA EMBORA DA POLYGRAM.

Maria disse...

Será que sai na caixa ou separado ???

Felipe dos Santos disse...

A primeira boa notícia de 2012.

"Transversal..." era um show amargo demais (inclusive, até por isso a ironia feita com "Gente" irritou Caetano, perseguido pra burro em 1978 pela fase "Odara/Bicho Baile Show").

Mas era uma edição esperada pela fãzarada. E o show tinha momentos belíssimos. Gosto muito da versão de "O rancho da goiabada", de Cartomante... a banda de César (ele, Natan Marques, Dudu Portes, Crispim del Cistia e Sizão Machado) estava inspirada.

Se bem que uma coisa me incomoda: as pessoas celebrarem muito mais a data de morte de Elis do que a data de nascimento. Tudo bem que a precocidade colabora para isso, mas acho meio mórbido.

E a única comemoração gigante de aniversário da dita cuja foi só no cinquentenário, em 1995, que eu me lembre - teve até homenagem no Prêmio Sharp etc.

O que eu queria mesmo, a bem da verdade, era uma edição caprichada de "Saudade do Brasil" em CD, em lugar daquela de 1989, que tem falhas...

Felipe dos Santos Souza

Anônimo disse...

Caramba essa noticia arrepiou...
Noticia otima pra começar 2012....
Já quero...

Renato Vieira disse...

Felipe, o conceito do show podia ser amargo, mas era muito bem bolado. O primeiro ato era político e o segundo, ecológico. Talvez pelo fato de todo mundo já estar de saco cheio de discutir política perto da abertura e por ninguém querer saber de ecologia naqueles tempos de "corpo odara", a crítica não perdoou. Isso sem contar o conteúdo musical, não só em termos de repertório, mas com os arranjos do César. Como disse o Aldir, "a crítica nos dará a honra de opinar duas vezes". Tomara que agora, a opinião seja favorável.

santana disse...

começamos bem.

neste cd está uma versão avassaladora de 'fascinação'. e uma jóia: 'cão sem dono'. além de um clima, de modo geral, eletrizante.

Yuri disse...

o que é um show idealizado em engarrafamento?

lurian disse...

Pensei que a raiva de Caetano se referisse à interpretação de Elis para 'Gente' cantando com certo 'ar de transformista' e Caetano havia entendido como deboche...

noca disse...

Parece que o conceito do show surgiu de uma neura de Elis num engarrafamento.O show era lindo,Elis no auge e crítica não foi tão negativa assim.Apenas não foi unanime.Mas isso já era suficiente para ela,Aldir e os fão,muito passionais,se queixarem.O problema de Elis e a gravadora é que ela já não vendia o tanto quanto investiam nela.

Felipe dos Santos disse...

Caro Renato Vieira (tomara que leia): concordo com você. O fato do show ser amargo não significa que não era bom.

Era ótimo! Como eu já citei, o trabalho do César estava em estado de graça. Há um show no YouTube, feito no intervalo do Festival RTP (rede de televisão portuguesa), em 1978, em que o conjunto quebra tudo. Toca "Poluição", faixa tirada do "São Paulo-Brasil", trabalho solo dele, e emenda com "Deus lhe pague". Absurdo!

Aliás, minha opinião é de que a parceria Elis-César não tem ponto fraco (risos). De 1972 até a morte de Elis (considerando que "Trem Azul", disco e show, tinham o dedo do pianista), só saiu coisa fina.

Felipe dos Santos Soua

KL disse...

a grande verdade é que, a partir de 1982, se iniciou a decadência vertiginosa da música popular em todos os segmentos, do populacho à dita mpb. Já na contemporaneidade, a cada ano, surge uma promessa de renovação, mas que não cumpre nem 1/10 do que fez as brilhantes gerações 1970, 60, 50, 40 e 30. E não adianta confeitar o bolo, porque a pobreza harmônico-poético-melódica é vergonhosa. Elis fechou um ciclo, uma época dourada, um tempo em que havia enormes pudores em lançar um álbum, que - se não fosse realmente bom - era (devidamente) espinafrado pela crítica. E, por mais ira que isso provocasse em artistas e fãzocas tipo Abba-Priscilla-Queen-Of-The-Desert, a verdade é que estimulava a criatividade e muito critério ao colocar um produto no mercado.
Em resumo, o 'pior' de Elis (se é que houve) é um bilhão de vezes melhor do que qualquer 'maravilha' produzida de lá para cá.

marquinhos disse...

É sem duvida com muitas lagrimas e emoção quando vejo qualquer material sobre essa estrela de enumerada grandeza. A minha doce ELIS REGINA, eu tinha apenas 13 anos de idade quando me apaixonei por ela, foi quando havia na TV quase careca e cantando com tanto esplendorismo a Musica ´MADALENA` daí então foi uma explosão musical para minha cuca, comecei a perguntar a minha mãe e as pessoas que era aquela moça que cantava e que encantava a quem há assistia, ai fiquei fã comecei a colecionar seus discos e ficar fanático mesmo! E me aconteceu um Fato interessante, eu, era menor quando ela apresentou aqui em Salvador Bahia o Show Transversal do Tempo no Teatro do ICEIA no bairro do Barbalho e um amigo conseguiu driblar a censura e eu assistir e lembro ainda hoje, que ela cantou a musica Gente do Caetano a qual não foi incluído no disco. Quando ela si foi eu fiquei triste muito triste! Ma hoje me consolo na frase do Gil, ´´Tem que morrer pra germinar ´´
Te Amo Elis! Para todo sempre.

Marcos Antonio
Salvador/ Bahia.
imovovagos@ig.com.br

Francisnaldo Borges disse...

Conheço esse teatro, cruzei esse palco. Um cão se dono... Gostei do que escreve. Abç

Beto Gonzales disse...

Mauro voce tem alguma noticia sobre este lancamento? Obrigado, abraco

Paulo Vaz disse...

Um show estranho para mim! Assistí no Palácio das Artes em Belô numa promoção da prefeitura de então.Começava com a cortina fechada, Elis sai à frente, Somente o César no teclado, escondido atrás da cortina. Fiquei com uma impressão de que seria um show com 'playback'(acho que ninguém pagou ingresso-o que reforçou essa 'viagem')De repente a cortina abre e vem todo aquele cenário, todo aquele show! O melhor foi o bolero, quenão foi para o disco (esta tarde ví llover, teria sido?)

Raul disse...

Olá!
Afinal, esse disco com o show na íntegra saiu mesmo?
Saudações.
Raul Boeira - Passo Fundo/RS
11/4/2013

+Marcus disse...

Já estamos em 2015 e nada desse CD ser lançado hein?! Que descaso! Lançaram um versão remasterizada do show no entanto, eu não comprei, mas suponho que tenha a letra de todas as canções e diferente da versão disponibilizada em CD, o box é todo transparente, tendo uma imagem no fundo (que aparece quando tiramos o CD). Bem, eu só vi vendendo, não abri...