Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Retrô 2011: Gal faz o disco do ano ao dar voz às ideias e sons de Caetano

Ao dar voz às ideias de Caetano Veloso, Gal Costa fez o disco de 2011. Lançado em dezembro, Recanto se mostrou um álbum tão contundente em suas reflexões sobre a vida quanto radical na opção pelos sons eletrônicos urdidos com programações e sintetizadores pilotados por turma (Kassin, Donatinho, Zeca Veloso) capitaneada por Caetano e Moreno Veloso, produtores do CD. Hermético, Recanto apresenta duas obras-primas - Recanto Escuro (exemplo do tom tristonho do disco) e Segunda (a única faixa acústica) - entre as onze músicas assinadas por Caetano. Ao versar sobre um certo desconforto do Homem com os recantos escuros da existência, em especial na velhice, o compositor deu a Gal um material que impressiona pelo conjunto da obra. Com a alma inquieta de Caetano Veloso e a voz ainda cristalina de Gal Costa, posta em apropriados tons lúgubres, Recanto reconduziu a cantora ao primeiro time da música brasileira.

75 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Ao dar voz às ideias de Caetano Veloso, Gal Costa fez o disco de 2011. Lançado em dezembro, Recanto se mostrou um álbum tão contundente em suas reflexões sobre a vida quanto radical na opção pelos sons eletrônicos urdidos com programações e sintetizadores pilotados por turma (Kassin, Donatinho, Zeca Veloso) capitaneada por Caetano e Moreno Veloso, produtores do CD. Hermético, Recanto apresenta duas obras-primas - Recanto Escuro (exemplo do tom tristonho do disco) e Segunda (a única faixa acústica) - entre as onze músicas assinadas por Caetano. Ao versar sobre um certo desconforto do Homem com os recantos escuros da existência, em especial na velhice, o compositor deu a Gal um material que impressiona pelo conjunto da obra. Com a alma inquieta de Caetano Veloso e a voz ainda cristalina de Gal Costa, posta em apropriados tons lúgubres, Recanto reconduziu a cantora ao primeiro time da música brasileira.

Herculano Neto disse...

Independentemente de soar mais como um disco de Caetano com a voz de Gal, o resultado é acima da média.

"Os vocábulos iridescem
os hipotálamos minguam
tudo é singular".

Tombom disse...

Gal é fun-da-men-tal nesse país de tantas (tentativas de) cantoras.

leitordomauro disse...

O disco do ano! O disco do ano! Vamos repetir em coro sem parar. Quando dei a obra de Gal por encerrada, Caetano me mostrou porque ela é a mais copiada e mais amada cantora do Brasil.

lurian disse...

Gal marcou um Gol. De placa!!!!

Tudo foi feito ... disse...

MERECIDOOOOOOOOOO. É p/ fazer muito neguinho engolir guela abaixo. Mostrar p/ todos que ela é GAL COSTA (a maior e melhor cantora de todos os tempos), quer muitos gostem ou não.
O "Adeus" ficou p/ muita gente que entra aqui.
É a prova de uma cantora genial! Verdadeira.
Parabéns p/ Gal e p/ Caetano Veloso!

Mauro abraço p/ vc e feliz Natal e um 2012 com muita Gal na vitrolinha.

Luca disse...

os críticos tão agindo como cãezinhos amestrsdos pela ditadura do hype!

Renato Vieira disse...

Tudo foi feito, parece que vc entra aqui mais pra ficar atiçando os ânimos do que pra colocar Gal lá no alto- e ela merece.

Relaxe

Guilherme disse...

Os críticos estão agindo como cãezinhos amestrados pela ditadura do hype! [2]

Pensiero disse...

O disco é mesmo muito bom. Adorei "Miami Maculelê". Definitivamente, Caetano salvou Gal.

ps: Mauro, o Notas Musicais não tem página no Facebook? Procurei lá mas não encontrei. Curto muito, parabéns.

lurian disse...

Difícil ouvir "Recanto" em 2011 e não lembrar que em 1997 Verônica Sabino fez um disco antenadíssimo, totalmente por dentro do clima londrino das músicas do Portishead, banda que claramente influenciou Re-canto da Gal. Recanto me remete muito ao clima da gravação de "As praias desertas" com Verônica Sabino, que trazia como puro luxo um sample da voz de Maysa e as ondas do mar... Vale à pena resgatar da memória afetiva esse link com as que já há algum tempo vinham fazendo um som que usava a música eletrônica de forma interessante. Outra que fez algo assim também muito interessante foi Adriana Maciel em Sozinha minha e Marina Lima em Pierrô do Brasil. Esses são, somados à essa novidade da Gal os melhores discos que temos com essa estética aqui no Brasil.

lurian disse...

Ah, e não posso deixar de mencionar os trabalhos da Kátia B. Sobretudo "Espacial" o melhor deles!!!

André Luís disse...

Mauro, desculpe usar o "espaço da Gal" para perguntar sobre outro lançamento: o "Elektra" do RPM. Vai ter resenha desse belo disco do grupo?!
ABRAÇO!

Anônimo disse...

Disco do ano me parece um pouco exagerado...
Mauro, o Mundo Livre S/A e o Bid(Bambas 2) lançaram discaços.
Tomara que resenhe.
Os dois entram na minha lista de melhores do ano.

KL disse...

É tão interessante ver 'o coro dos contentes' e sua ditadura surda e muda, no microespaço democrático de um blog, a distribuir arrogância e achismo fanático. Para não deixar barato (total) todo esse blablablá cansativo e infrutífero, sim, é o 'o disco do ano', mas é chato e depressivo na mesma medida. Salva-se a gracinha "Miami Maculelê". Em resumo, a cantora - com ar de enfado em todas as faixas - não tem mais voz. E o compositor não tem mais nada de interessante a dizer. Que pena.

igor disse...

Acho um absurdo alguém dizer que esse disco "reconduziu" Gal ao primeiro time da música brasileira se ela já é do primeiro a muito tempo.

noca disse...

Sobretudo,Gal deu o ar da graça novamente num dos grandes discos de sua bela carreira.Junto com Nana,que mesmo muito mal festejada e boicotada em meio aos seus setenta anos de vida,e surpreedentemente emergiu na mais impressionante e arrebatadora gravação do ano em "Flor da Noite",provam porque a geração dessas cantoras é uma supremacia muito difícel de ser superada.

João Victor Torres disse...

Gal é o cara.

Marcello disse...

RECANTO foi eleito ontem disco do ano pelo UOL:

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2011/12/19/album-de-gal-costa-e-eleito-o-melhor-de-2011.jhtm

Ou seja, não cola querer relativizar a escolha do Mauro Ferreira.
Os grandes Tarik de Souza e Carlos Callado participaram da escolha do UOL.
Não há cartas marcadas. RECANTO é um disco magnifico e merece o posto de melhor do ano. FATO.

Gill Sampaio Ominirò disse...

Dizer que uma obra musical é chata e depressiva é fazer crítica técnica? Mas o que você faz KL é simplesmente dar sua opinião, suas impressões. Não há nada de técnico no seu discurso. É tudo muito sentimental.

Se o disco tem tendências depressivas para quem ouve (alguns), isso é particular, não é universal, não é musical, não é técnico.

O disco é tecnicamente impecável. A voz está muito bem colocada nas palavras rebuscadas. As letras são linguisticamente criativas e se encaixam tanto no arranjo quanto na voz grave ou aguda. Estamos vendo uma tendência disseminada por Caetano desde Cê (apesar de que Noites do Norte já apontava para isso). Caetano não se superou, fosse um disco dele, seria apenas mais um disco no estilo que ele vem fazendo. O diferencial é a voz de Gal. A voz nasal, com sotaque sutil, com graves perfeitos e agudos milimétricos sem exageros que faz do disco não só ser o do ano, mas o da década. Para mim, abre-se uma nova era na música brasileira e mais uma vez é Gal que dá a voz a essa mudança. É um disco do futuro e muito possivelmente não estamos preparados para ele. Somos caipiras musicais perto do fenômeno Gal Costa.

Marcello disse...

RECANTO também está na lista dos 10discos do ano pela MTV, sendo o segundo album nacional mais votado pelos vjs da empresa:

http://mtv.uol.com.br/musica/mtv-escolhe-os-melhores-albuns-de-2011

Daทilo disse...

É um disco de Caetano cantado por Gal. Digo cantado e não interpretado porque tenho a sensação de que Gal não sente mais o que canta. Acho que faltou calor para contrabalancear a natural frieza dos arranjos eletrônicos. Guardada as devidas proporções e universos, Thom Yorke faz isso muito bem. Ele sente cada nota da canção e a gente vai junto. Achei que ficou cerebral demais.

Agora, esse negócio de ser ou não ser o disco do ano é uma bobagem sem tamanho.

william disse...

Excelente resenha, Mauro, é uma alegria ver Gal, que andava meio esquecida, recolada ( via Caetano Veloso) no patamar que merece. Qto ao disco, é fenomenal, Caetano e sua inquietação poético-musical acertou novamente! Discaço, merecidamente e por vários motivos, o disco do ano!

Johnny Cesar disse...

Quem é KL? Ele ainda fala em arrogância, ditadura, Gal sem voz, Caetano sem inspiração e uso democrático do blog...
Tudo isso junto...

santana disse...

foram estes 'tons lúgubres' o q mais me chamou atenção na performance de gal neste cd.

gostei imenso do repertório mas ainda não a ponto de percebê-lo genial. voltarei a escutar o cd.

e, como se sabe, quem é gal já nasce feito (quem é caetano também).

Raffa disse...

Ao lado de "Um Labirinto Em Cada Pé", de Rômulo Fróes, o melhor disco do ano!

Marcello disse...

O que disse Jean Wyllys ontem no Twitter:

@jeanwyllys_real Perdoem-me, amigas cantoras que estão aqui no Twitter, mas "Recanto" mostra que a mais nova e criativa cantora da MPB ainda é @gal_costa !

KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Cardoso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcello disse...

KL,
Qual "Veja" que vc se refere?
Aquela que até meados da decada de 80 tratava a MPB como arte do mais fino trato e dava capas à cultura nacional, aquela que estava sempre do lado certo, ou a imprensa marron glace que ela se tornou nas decadas seguintes, a serviço das grandes corporações e destruindo toda e qualquer produção nacional?
Ok, vc se refere a Veja que na morte de Elis estampou na capa " O HORROR DA COCAINA", que no calvario do Cazuza escreveu " CAZUZA AGONIZA EM PRACA PUBLICA", que em recentes artigos escreveu que Vinicius de Moraes foi um compositor menor, ultradimensionado pela imprensa, que Chico é mal letrista, que cantoras como Roberta Sa e Marisa Monte tem Elis como referencia e nao Gal.
A editoria de arte atual da Veja é uma piada e tem gente que ainda acredita. É para rir.
Como diria J.G., critica anonima num blog de celebridades nao vale.

Marcello disse...

Na TV GLOBO NEWS o Jornalista e escritor Joao P. Cuenca também elegeu RECANTO como disco do ano. Vejam:


http://g1.globo.com/videos/t/g1/v/gal-costa-inova-em-disco-feito-em-parceria-com-caetano-veloso/1731209/

aguiar_luc disse...

RECANTO foi eleito ontem disco do ano pelo UOL: (kkkkkkkkkkkkkkkkkkk)

http://mtv.uol.com.br/musica/mtv-escolhe-os-melhores-albuns-de-2011 (kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)

UOL E MTV, desde quando eles tem moral pra falar de boa música, Jabá puro!!!

E esse disco é mediano sim! Não tem nada demais, é apenas diferente do que a maravilhosa Gal vinha fazendo, pra dizer melhor (ela não vinha fazendo nada). Até em shows ao vivo, parece que a qualquer momento vai deitar no palco e dormir!

Disco do ano, pelo amor de DEUS.

Ave Caetano, volta pra Gadú... que se saiu bem no segundo cd "sem sua aderência".

ouisa55 disse...

Minha gente, que triste ler essa abobrinhada toda acima! Todo mundo posando de intelectual e se achando OS críticos de música. Eu amo música, amo cantoras, tenho perto de aproximadamente seis mil títulos em cd só de mulheres cantando e não tenho o trabalho de ficar me masturbando escrita ou verbalmente a respeito delas e de seus trabalhos. Eu ouço e gosto ou não gosto. Só sei que os últimos trabalhos do Caetano, são para mim os estertores de uma veia criativa que êle cisma que ainda tem. Gal deveria ter feito um disco só com Paulinho da Viola que seria mais prazeiroso e interessante de ouvir. E digno do que se arvorar em baluartes da "mudernidade" e da ousadia. Chato, muito chato o tal Recanto. Patéticos. O produtor, a cantora e o cordão dos "puxa saco" das pessoas óbvias, deslumbrados com tão pouco e ávidos de se mostrar.
Leio o blog do Mauro todos os dias pela qualidade informativa que tem, ou seja, novidades prá gente procurar. E gosto disso.

Tudo foi feito ... disse...

Deixa eles pessoal, estao desesperados. Muita gente esperava e aguardava que o álbum eletronico da Gal fosse um fiasco, tinham certeza. Aí, o tiro saiu pela culatra. O disco é fantástico e está sendo considerado por 95% dos críticos e gente especializada em música, o disco do ano. Dor de cotovelo, recalque, desespero. Aí entram aqui baseados nos 5% p/ postar críticas negativas, desesperadas e escrever besteiras, p/ realmente colocar p/ baixo. Lamentávellll !
Tá todo mundo errado, o Mauro está errado, todos os veículos que elegeram como álbum do ano estao errados. Eles estao certos, duas ou tres pessoas (provavelmente) fa de alguma outra cantora ( que nao fez um trabalho como Recanto) que estao certos. Estao dormindo há muito tempo, preso nos anos 70 (única década que eles viveram) pq as restantes estavam dormindo.
Vamos relevar, o tempo já está dizendo.

Fabio disse...

Disco do ano é exagero. Esse ano nenhum lançamento passou das "***" estrelas.

noca disse...

Concordo com o KL,é preciso respeitar as opiniões não favoráveis.Mas é preciso saber que esse disco foi concebido para Gal cantar desta forma mais contida,mais economica e nos tais "tons lúgubres".As canções pedem isso,em música e poesia.Fora que o mentor de tudo,Caetano,estava querendo essa Gal mais perto da atmosfera João Gilbertiana.Vamos aguardar o show com certeza com uma Gal mais a vontade com esse padrão sonoro,repertório mais variado...Vai arrazar mais ainda!

Ricardo Machado disse...

Não acho saudável este tom ácido,cruel,destrutivo. Parece fã da Marlene destratando a Emilinha,sei lá. MUITO DESELEGANTE!
O SR. MAURO FERREIRA TEM CACIFE PRA DIZER ISTO,E CONCORDAMOS.
Quem discordar,seja ao menos, responsável.
Parabéns Mauro Ferreira!
Continue. Este cd é UM ACONTECIMENTO SIM!
Já ganhou! Rs

Ricardo Machado disse...

OS CÃES LADRAM, A CARAVANA PASSA!
Vá em frente,Mauro Ferreira!
O cd é um acontecimento sim!
O MELHOR DO ANO SIM! DEIXE QUE SE RASGUEM!
Parabéns.

ouisa55 disse...

Sim, também concordo. Comprei e ouvi pois adoro a Gal. Mas daí a esse foguetório todo...

Jaiartes disse...

Gal com Recanto e Mariana Aydar com Cavaleiro Selvagem Aqui te Sigo são dois excelentes discos que tocaram a nossa alma neste ano de 2011, podendo ser considerado como melhores; Todos são bons porque tenho a certeza que os artistas se esforçaram para fazer o melhor, alguns conseguiram, outros não, mas isso é a vida e assim continua caminhando a humanidade...independente das críticas especializadas ou não, dos gostos e desgostos. Viva a música brasileira com toda a sua diversidade!!! Feliz Natal e Ano Novo e muito obrigado Mauro por contribuir com a música, especialmente a brasileira. Paz, amor e muita luz para todos!

Guilherme disse...

Acho Recanto um bom disco, mas não é arrebatador. A moldura eletrônica não é tão sensacional assim e talvez outro produtor pudesse fazer um trabalho estilístico mais refinado. Estava ouvindo agora há pouco o Caras e bocas. "Minha estrela é do oriente" é mais moderna do que qualquer coisa gravada em Recanto. E para os fãs exaltados e xiitas daqui, eu só tenho a dizer o seguinte: a Gal de Recanto é uma cantora sem alma. A mesma alma que invade a minha casa todas as vezes que escuto os seus discos dourados dos anos 70. E não estou falando de agudos, estou falando é de vida mesmo.

aguiar_luc disse...

Jesus isso não vai acabar nunca!
Quero ver Gal ao vivo fazer esse "CD do Ano" Valer a pena, depois disso quero ver esse bando de puxa sacos falar tudo isso novamente!

DyNozzo disse...

Gal Sempre Gal. É indiscutível ficarem a discutir se é ou não isso ou aquilo. Gal é Gal.

Vitor disse...

Não gosto desse título de melhor do ano, gosto mais quando é feita uma seleção de vários trabalhos que se destacaram no ano como o Mauro fez no ano passado e esse ano muita coisa legal foi lançada

Gill Sampaio Ominirò disse...

Não, não KL, não disse que você é caipira musical. Eu disse que nós somos e me incluo aí. Somos todos, inclusive os críticos. Perdoe-me conterrâneo, jamais levaria para o pessoal. Abraços.

Anderson disse...

Em que parte de "Mansidão" ela desafina? é problema não mais cantar como soprano? desqualifica cantar com contralto? contraltos não têm agudos? é possível estar imune ao envelhecimento natural que também se reflete na voz? Caetano faltou com a verdade quando disse que pediu à Gal que cantasse exatamente como fez em "Recanto"? nenhuma outra cantora na história do país ou do mundo teve alterações na voz com o passar dos anos? Sandy cantará para sempre com sua voz de garotinha? Tantas dúvidas...

KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Já cansou antes ouvir todo e direito esse trabalho da Gal de tanto vocês falar bem e mal o tempo todo...saco!

Johnny Cesar disse...

KL,
O tempo que você perde detonando os artitas aqui no blog do Mauro deveria usar no seu próprio blog. Você é amargo e desrespeitoso.
Adeus KL.

Eduardo Cáffaro disse...

Sou fã da Gal sim. tenho todos os albuns sim. Para mim não existe O CD melhor. Gosto muito de uns, menos de outros, mas todos eles tem momentos que me emocionam. Recanto é um trabalho diferente. Estranhei a primeira audição. Hoje gosto mais. Ela está cantando muito mais grave no cd todo, e achei linda a nota de ATÉ O SOL DO PLEXO. Dos meus amigos, uns amaram e outros odiaram recanto. Mas o que acho mais importante de tudo isso é que Caetano queria colocar Gal na mídia outra vez, e inegavelmente ele conseguiu ! Tem muita gente fazendo remixes interessantes das músicas no youtube, inclusive eu ( rsrsrs ) tem até um DJ do Rio , que fez Miami maculelê Remix. Gal está REMIXADA na net ... isso não é legal ? eu gosto disso. Bjos e Bom natal a todas.

Marcello disse...

Um dos maiores criticos de musica do País, o Antonio Carlos Miguel (O Globo) , acabou de publicar em sua pagina do Facebook, sua lista dos 10 maiores discos do ano, sem classificação de lugar.
RECANTO está na lista.
Depois de Tarik de Souza, Carlos Calado, Mauro Ferreira, Marcus Preto e Antonio Carlos Miguel divulgarem seus escolhidos do ano e depois de RECANTO constar em todas essas listas, eu dou o braço a torcer.
Contra FATOS nao se briga.
Aqui esta a lista do Antonio C Miguel:

"Bebe chuva", Glauco Lourenço (ind.)
"Liebe Paradiso", Ronaldo Bastos, Celso Fonseca (Dubas/Universal)
"Chico", Chico Buarque (Biscoito Fino)
"O micróbio do samba", Adriana Calcanhotto (Sony)
"Recanto", Gal Costa (& Caetano) (Universal)
"Rheomusi", de Fabiano Araújo, Arild Andersen e Naná Vasconcellos (ind.)
"Smile" - The Beach Boys (EMI)
"Explode" - The Gift (Coqueiro Verde)
"Romantic lovers" - Paulinho Guitarra (selo ind. Very Cool Music)
"Discurso romântico com finalidade erótica" - Garbo (ind.)

Anderson disse...

Bem explicado, KL. Gratíssimo! :-D

KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciano disse...

Os comentários desse moço, KL, me dão arrepios. Quando passo os olhos sinto uma energia escura, das trevas. Isso me tira o prazer de entrar no BLOG. Visitava todos os dias. Agora só uma vez por semana. E não leio mais os comentários desse rapaz. Mesmo assim só de ver me dá medo. Uma pena, esse moço está tirando ibop do blog. Quanto ao CD de Gal é maravilhoso. Juntando todas as jovens cantoras não dá uma perna da estrela. Abraços e feliz natal a todos os leitores deste espaço que já foi de alto nível e astral.

Gill Sampaio Ominirò disse...

Desconheço esse álbum de Billie chamado aqui de "Lost Sessions". "Sessões Perdidas?" O mais próximo disso que conheço é "Last Recording". Um disco póstumo de suas últimas gravações. Tanto este quanto "Lady in Satin" são discos extraordinários, impecáveis. Para mim entre os melhores dela.

Gill Sampaio Ominirò disse...

Poxa, essa opção de excluir o próprio post não só exclui o post como a credibilidade de quem postou.

Penso que KL tem ouvido absoluto no nível de João Gilberto. Eu já ouvi Mansidão muitas vezes e justamente quando ele diz (mas apagou) que ela desafina e não percebo nada. Acho que estou ficando moco, surdo mesmo.

KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
KL disse...

A Gill e a todos os que amavelmente se dirigiram a mim neste em outros posts:

Diante de tanto frisson e tanta polêmica em torno das minhas declarações, 90% das vezes ridicularizadas, eu agora só entrarei nesse blog para tecer comentários elogiosos ou sugestões em posts sobre grandes artistas e grandes produtores. Ou seja, para o bem-estar e o júblio patético do 'coro dos contentes', só de vez em quando, uf. O nível de intolerância aqui chegou ao ponto de eu ser praticamente proibido de elogiar Preta Gil, e - olha só que moral (?) a minha - até mesmo meus recados "excluídos pelo autor" são comentados e replicados. Sim, caro Gill, eu excluirei todos os outros comentários, de todas as postagens anteriores, sempre que houver neles a menor crítica negativa. Vamos agora levantar o astral nas outras postagens, porque aqui já deu.

Um grande abraço aos que foram solidários a mim, entre os quais tão jovem - e já grande crítico musical - Filipe dos Santos (anotem esse nome, em breve será célebre), Diogo, Renato Vieira (um dos poucos da nova geração que conhecem música), Ouisa55, Diogo, Marcelo (com apelas um "l"), Fábio, Aguiar_luc.

Aviso ao restante: peço que também excluam os comentários que se refiram, direta ou indiretamente, a mim, pois, do contrário, ficarão sem sentido, sem resposta, falando sozinhos, num papo furado sem nexo e sem graça. Se continuarem, é sinal de que eu avaliei corretamente. Peço também a Mauro que, após esse recado, não publique eventuais réplicas, diretas ou indiretas.


(Em tempo, esse recado aqui também se autotunizará em alguns segundos).

Au revoir, mis amis.

KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo disse...

Poxa KL.... vc faz a diferença , no bom sentido, por aqui. Algumas poucas vezes não concordo com isso, mas nem por isso meu mundo caiu ou uma ferida se abrirá no meu estômago!!! Ignore essa gente careta e chata!!! Não se esqueça q vc e o Zé temos um encontro marcado no Boi de Parintins!!!! :) E agora q o Zé tá elogiando o "Leonardo", o negócio vai melhorar!!!! :)

Gill Sampaio Ominirò disse...

Bom, a gente vai ouvindo Recanto e a cada momento temos mais o que dizer sobre esse disco.
Pensemos. Caetano e Gal têm 45 anos de carreira. Vocês acham mesmo que alguma coisa neste disco é descuidada, é aleatório? Estamos falando de pessoas profissionais, de uma inteligência musical ilimitada. Principalmente Caetano. Gal sempre foi problemática em produzir algo na música. Sempre precisou de pessoas para escolher o repertório, dirigir seu canto, sua interpretação, dar conceito aos seus discos. Mas Caetano é criador, é produtor. Produz há décadas, é um senhor da música. Já produziu João Gilberto. Será que há especialização melhor? Em minha opinião, tudo que Caetano faz é muito bem pensado, milimetricamente. Cada colocação de notas é estudada neste disco, as intenções de tom, de extensão de voz, de interpretação etc. Se o disco é depressivo, então é um reflexo da vida atual, moderna. Há letras muito claras quanto a isso. Neguinho é certeira ao criticar a alienação do ser humano atual. Sinceramente, não consigo pensar que este disco não seja uma obra profissional pensada para ser exatamente como o é. No mais, como disse um colega, mas não só para isso, Caetano pôs novamente Gal na mídia, no mundo, justamente criticando este mundo. E se deu em polêmica, era isso que ele queria. Se muita gente odiou o disco, então ele conseguiu o que queria: causar emoções sejam elas quais foram. Tudo deu certo.

Marcello disse...

O escritor, antropologo e estudioso de musica, HERMANO VIANNA, em belo artigo hoje no Jornal O GLOBO (23/12), elege RECANTO como o disco nacional do ano, vejam:

RETRÔ FUTURISTA

“Diante dessa garotada hipster-passadista, fico alegre/espantado ao constatar que os discos mais inovadores de 2011 foram produzidos por artistas de mais de 60 anos. Mais interessante ainda: meus dois lançamentos preferidos do ano tem a ver com 1967.
... O primeiro foi gravado em 1967, mas não tinha sido lançado até o mês passado, é SMILE disco inacabado dos BEACH BOYS.
O outro disco mais inovador de 2011 tem haver com 1967 por tabela, é RECANTO, de GAL COSTA. Em 1967, ela e CAETANO VELOSO lançaram DOMINGO. Quarenta e quatro anos depois, os amigos baianos se reúnem novamente para nos presentear com um álbum que quase se chamou SEGUNDA. Esperava algo assim da musica popular do Brasil há anos. Imaginava que seria obra de músico de poucos anos de vida. Porém, os mais jovens pareciam vítimas de culto a um passado mais criativo, diante do qual só podemos tentar enfeitar nossa inferioridade com trinados de teclado Hammond e chiado de vinil.
Nesse ambiente o FUNK carioca emergiu como uma ilha futurista, com o uso mais desabusado da tecnologia em território nacional. Mas todos sabemos que FUNK não faz parte da tal linha evolutiva da MPB e muitos críticos fizeram o possível para mante-lo isolado na favela pré – UPP.
Foi preciso novamente a ação dos heróis TROPICALISTAS para nos salvar. E depois reclamam da centralidade de CAETANO em nossa cultura: não aparece ninguém mais jovem para fazer seu trabalho, então ele precisa continuar orientando nosso carnaval e inaugurando novos monumentos.
Semelhança de RECANTO com SMILE: a radicalidade estética e a esquisitice sonora estão a serviço da canção, da bela canção. E que safra de canções há em RECANTO, com as melodias que fazem falta nos discos de BJORK ou do ALVA NOTO. REconfortado, preciso fazer coro para a letra de MANSIDÂO:
“ESTÁ TUDO ONDE DEVE ESTAR”. Finalmente.

E hoje até NEGUINHOS brasileiros podemos dançar MIAMI MACULELE."

HERMANO VIANNA
O GLOBO, 23/12/2011

KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

O Hermano e sua paixão pelos ritmos populares. É a Regina Casé da música. Enfim, o cara é antropólogo.
O que não o impede, muito pelo contrário, de falar besteira.
A nova geração da música brasileira reverencia o passado, sim, mas não vive nele.
Há dois anos o Lucas Santtana lançou um, já clássico, disco chamado Sem Nostalgia.
É bem mais inovador que esse do Caetano/Gal.

noca disse...

Concordo com o Ze Henrique,gosto do disco,gosto do Hermano,mas inovação não tem mesmo não.E Caetano não precisa de defesas.Nunca precisou gravar um disco independente ou de gravadora pequena.Faz o que bem quer.Se defende sozinho.E tropicalistas não são salvadores da pátria não.Fizeram muita coisa chata.E Hermano que papo mais careta esse.Coisa de gente antiga que não quer perder o trono.Caetano não é assim.Que babação chata!

Gill Sampaio Ominirò disse...

Que presente do Hermano, no dia do meu aniversário! Já mandei um e-mail para meu colega de ofício com quem tive o prazer de dividir mesa num congresso de antropologia no Rio. Grande pesquisador, grande alma, grande brasileiro, desses que fazem alguma coisa, não ficam na teoria. Quem não conhece e puder, ouça o álbum quádruplo Música do Brasil, lançado por ele e Beto Villares em 2000.

noca disse...

Na boa o os argumentos do Hermano são sofríveis,apesar do cara ser um fera.Poxa comparar com a Bjork que esta fazendo isso a vinte... Fazer um disco para Gal sem canções melodicas é um absurdo impossível.Para Bjork ou Bethania,não!Outra coisa os músicos que estão ali são JOVENS talentosos com trabalhos próprios.A importância deles é vital no trabalho.Caetano apesar sua musica ser muito superior ao que fala,ganhou seu espaço muito mais na base do "grito" em meio a uma geração MPB contenporãnea sua absolutamente genial,sucessora dos geniais bossavistas.Fica tudo muito chato com as ideias do Hermano,porque como "Recanto" é quase uma unanimidade e ele fica meio la atras defendendo algo que ja se lançou ao infinito,soa meio uma forçacão de barra.Bola pra frente Hermano!

Ramon disse...

Quem eh Lucas Santtana para ser comparado com Gal e Caetano?? Tem cada coisa viu,,,

Gill Sampaio Ominirò disse...

Quem eh Lucas Santtana para ser comparado com Gal e Caetano?? Tem cada coisa viu... (2). Comparação desproporcional.

Marcello disse...

RECANTO está na lista dos DEZ MELHORES DISCOS DE 2011 publicada hoje no JORNAL O GLOBO, 27/12.
Assim o periodico celebra o disco de GAL COSTA:

"Celebração de uma antiga amizade, RECANTO, lançado em novembro, é bem mais do que um disco de músicas inéditas de Caetano Veloso cantadas por Gal Costa. É um extenso comentário sobre a contemporaneidade, apoiado na radical visão eletrônica de Kassin (endossada pelo produtor Caetano) e sintetizado pela Voz de Gal. Nas discussões entre os ouvintes nas redes sociais, faixas como Autotune autoerótico e o funk Miami maculelê provocaram choque e admiração em igual medida"

A lista ainda inclui os ultimos trabalhos de:
- Criolo
- Chico Buarque
- Mastodon
- Romulo Froes
- Eskimo
- Foo Fighters
- Momo
- James Blake
- Gui Amabis

A lista foi elaborada pelos críticos Bernardo Araújo, Carlos Albuquerque, Leonardo Lichote, Luiz Fernando Vianna e Silvio Essinger

Fernando Dasilva disse...

Amei o disco do inicio ao fim.
Superou todas as minhas expectativas...se ela resolvesse a gravar todo o reperorio do "Ce" e do "Zii Zie" eu conseguiria gostar muito mais de ambos..eh como Caetano ja disse, ele tinha que trazer a voz de Gal para esta "pegada eletronica".

Gal matou a pau todas as tentativas de contemporaneidade musical deste ano no Brasil...parabens a Ceatano e Moreno pela brilhante conducao de super arrojado projeto encabecado pela mais perfeita traducaod e modernidade vocal brasileira.

Quanto a este velho discurso de dizer que Gal sempre necessitou de produtores para conduzi-la ao seu potencial maximo, acredito que da mesma forma grandes atores precisam de diretores para extrair as melhoesr performances...nao vejo nada de errado em ser "...uma seta sem direcao..." Sem duvida nenhuma, Gal e Caetano e Moreno incomodaram muito com este "Recanto".
"Recanto" me deu vontade de buscar o cd de Jane Duboc em que ela gravou "Mansidao" e ja vou tratar de comprar o ultimo de Jussara Silveira, indicado aqui pelo Mauro com 5 estrelas, para ouvir a sua gravacao para "Madredeus".

Marcello disse...

GLOBO NEWS escolhe os 5 DISCOS DO ANO e "RECANTO está na lista:

http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2011/12/joao-paulo-cuenca-lista-os-melhores-discos-de-musica-brasileira-do-ano.html

pepa urrea disse...

Eu não sou muito afim à eletrônica na música... mas estou gostando tanto desse disco!
Talvez a questão esteja no desafio de procurar a voz da Gal por entre esses sons estranhos e às vezes discordantes. E eu encontro a voz dela, sobretudo as nuances, e é maravilhosa a descoberta!
As melodias são lindas; imagino sem problema algum estas canções cantadas por Gal a capella... e estremeço de felicidade, kkkk.
De qualquer jeito, e deixando de lado a grande obra dos dois ao longo dessas dêcadas, já por "Força estranha" há tempo e por "Recanto escuro" agora, eu agradeço a Caetano e a Gal profundamente, eternamente, essas duas músicas imensas.