Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 31 de março de 2014

Galo, Gil e Juçara lançam os três melhores CDs brasileiros do trimestre

Editorial - O primeiro trimestre de 2014 chega hoje ao fim, deixando como legado três álbuns brasileiros que já estão garantidos na lista de melhores discos do ano, com fôlego para serem cultuados no futuro. Três álbuns de universos musicais distintos, mas que têm em comum o fato de terem merecido a cotação máxima de Notas musicais. Três CDs que fizeram jus às cinco estrelas por fazerem a diferença em mercado fonográfico viciado em redundantes registros ao vivo e em fórmulas fáceis. Asa - o primeiro disco solo do cantautor paulistano Gustavo Galo, integrante da Trupe Chá de Boldo - saiu em fevereiro com som cru, minimalista, contemporâneo. Um disco embebido em poesia e melodia. Também em fevereiro, a cantora paulista Juçara Marçal debutou solo com seu já antológico Encarnado. Um disco que cospe sangue ao encarar a morte, provando que a cena indie paulistana está bem viva. Na ótima companhia das guitarras cortantes de Kiko Dinucci e Rodrigo Campos, Juçara apresentou álbum feito no fio da navalha. Um imediato clássico instantâneo que joga expectativa sobre o show programado para estrear em São Paulo (SP) em 15 de abril. Por fim, em março, Gilberto Gil mostrou aos críticos o álbum - também já antológico - que vai chegar oficialmente ao mercado fonográfico a partir de 1º de abril via Sony Music. Ao abordar o repertório de João Gilberto em Gilbertos samba, o artista baiano roçou a perfeição atingida por seu mestre, gravando um disco lindo e leve no qual tudo está no seu lugar. Um disco para ser entendido e apreciado por quem entende e aprecia João. Ao lado de Galo e de Juçara, Gil mostrou neste primeiro trimestre de 2014 que o pulso da música brasileira ainda pulsa em nichos do mercado.

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Editorial - O primeiro trimestre de 2014 chega hoje ao fim, deixando como legado três álbuns brasileiros que já estão garantidos na lista de melhores discos do ano, com fôlego para serem cultuados no futuro. Três álbuns de universos musicais distintos, mas que têm em comum o fato de terem merecido a cotação máxima de Notas musicais. Três CDs que fizeram jus às cinco estrelas por fazerem a diferença em mercado fonográfico viciado em redundantes registros ao vivo e em fórmulas fáceis. Asa - primeiro disco solo do cantautor paulistano Gustavo Galo, integrante da Trupe Chá de Boldo - saiu em fevereiro com som cru, minimalista, contemporâneo. Um disco embebido em poesia e melodia. Também em fevereiro, a cantora paulista Juçara Marçal debutou solo com seu já antológico Encarnado. Um disco que cospe sangue ao encarar a morte, provando que a cena indie paulistana está bem viva. Na companhia das guitarras cortantes de Kiko Dinucci e Rodrigo Campos, Juçara apresentou álbum feito no fio da navalha. Um imediato clássico instantâneo que joga expectativa sobre o show programado para estrear em São Paulo (SP) em 15 de abril. Por fim, em março, Gilberto Gil mostrou aos críticos o álbum - também já antológico - que vai chegar oficialmente ao mercado fonográfico a partir de 1º de abril via Sony Music. Ao abordar o repertório de João Gilberto em Gilbertos samba, o artista baiano roçou a perfeição atingida por seu mestre, gravando um disco lindo e leve no qual tudo está no seu lugar. Um disco para ser entendido e apreciado por quem entende e aprecia João. Ao lado de Galo e de Juçara, Gil mostrou neste primeiro trimestre de 2014 que o pulso da música brasileira ainda pulsa em nichos do mercado.

Luca disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luca disse...

Gil não ouvi mas acredito que esteja bom mesmo, JUçara vá lá, agora esse Gustavo Galo com cinco estrelas?? só você mesmo Mauro, e essa sua mania de sempre querer aparecer

Rafael M. disse...

O do Gil ainda não ouvi, mas pela faixa "Você E Eu" achei fantástica a interpretação minimalista. Ainda vou comprar o CD dele, apesar de achar "Gilbertos Samba" um nome muito feio, deveria ter ficado mesmo "João Gilberto Gil". Achei um tanto quanto exagerado dar nota máxima aos discos do Galo e da Juçara, mas vai entender....

Denilson Santos disse...

"...o pulso da música brasileira ainda pulsa em nichos do mercado".

Infelizmente, coberto de razão. Enquanto isso, o público da grande mídia só tem acesso a produtos descartáveis.

abração,
Denilson

Lara disse...

Faltou fácil na sua lista o "Colheita", novo álbum de Mariene de Castro, primorosamente gravado e lindamente executado!!! Pra mim não é só o melhor do trimestre como o melhor do ano que acabou de começar!!! =]

ADEMAR AMANCIO disse...

Adorei o editorial,vou até procurar conhecer esses trabalhos.

Mauro Silva disse...

Ótimo texto! Gostei muito do CD da Juçara e do Gil.