Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 12 de março de 2014

Com Adnet, Dori orquestra tributo a Dorival que une Caetano, Chico e Gil

Postada por Danilo Caymmi em seu facebook, a foto acima flagra Dori Caymmi no estúdio da gravadora Biscoito Fino, no Rio de Janeiro (RJ), durante a produção do segundo disco em tributo ao centenário de nascimento do compositor baiano Dorival Caymmi (1914 - 2008). Em fase de gravação, o álbum Dorival Caymmi - Centenário tem arranjos sinfônicos divididos entre Dori e Mario Adnet. Diferentemente de Caymmi (Som Livre, 2013), álbum de raridades do cancioneiro lapidar de Dorival, gravado por Dori com seus irmãos Danilo e Nana Caymmi, Centenário está centrado nos grandes sucessos do compositor e junta os três irmãos Caymmi a Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil. Sozinho, Caetano dá voz ao samba-canção Sábado em Copacabana (Dorival Caymmi e Carlos Guinle, 1951) e ao samba Saudade da Bahia (Dorival Caymmi, 1957). Solo, Gil cai nos sambas Rosa Morena (Dorival Caymmi, 1942) e O samba da minha terra (Dorival Caymmi, 1940). Já Chico interpreta Dora (Dorival Caymmi, 1945) e Marina (Dorival Caymmi, 1947). Juntos, Caetano, Chico e Gil fazem novamente a pergunta-título do samba O que é que a baiana tem? (Dorival Caymmi, 1939). Já Danilo canta sozinho Nem eu (Dorival Caymmi, 1952) e remexe no Vatapá (Dorival Caymmi, 1942) enquanto Nana reconta A lenda do Abaeté (Dorival Caymmi, 1948) e se embrenha no Sargaço mar (Dorival Caymmi, 1985). Além de arranjar metade do disco, Dori canta João Valentão (Dorival Caymmi, 1953) assim como Adnet interpreta o samba A vizinha do lado (Dorival Caymmi, 1946). Juntos, os Caymmi entoam a Canção da partida (Dorival Caymmi, 1957). O CD-tributo Dorival Caymmi - Centenário tem lançamento previsto para este primeiro semestre de 2014.

4 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Postada por Danilo Caymmi em seu facebook, a foto acima flagra Dori Caymmi no estúdio da gravadora Biscoito Fino, no Rio de Janeiro (RJ), durante a produção do segundo disco em tributo ao centenário de nascimento do compositor baiano Dorival Caymmi (1914 - 2008). Em fase de gravação, o álbum Dorival Caymmi - Centenário tem arranjos sinfônicos divididos entre Dori e Mario Adnet. Diferentemente de Caymmi (Som Livre, 2013), álbum de raridades do cancioneiro lapidar de Dorival, gravado por Dori com seus irmãos Danilo e Nana Caymmi, Centenário está centrado nos grandes sucessos do compositor e junta os três irmãos a Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil. Sozinho, Caetano dá voz ao samba-canção Sábado em Copacabana (Dorival Caymmi e Carlos Guinle, 1951) e ao samba Saudade da Bahia (Dorival Caymmi, 1957). Solo, Gil cai nos sambas Rosa Morena (Dorival Caymmi, 1942) e O samba da minha terra (Dorival Caymmi, 1940). Já Chico interpreta Dora (Dorival Caymmi, 1945) e Marina (Dorival Caymmi, 1947). Juntos, Caetano, Chico e Gil fazem novamente a pergunta-título do samba O que é que a baiana tem? (Dorival Caymmi, 1939). Já Danilo canta sozinho Nem eu (Dorival Caymmi, 1952) e remexe no Vatapá (Dorival Caymmi, 1942) enquanto Nana reconta A lenda do Abaeté (Dorival Caymmi, 1948) e se embrenha no Sargaço mar (Dorival Caymmi, 1985). Além de arranjar metade do disco, Dori canta João Valentão (Dorival Caymmi, 1953) assim como Adnet interpreta o samba A vizinha do lado (Dorival Caymmi, 1946). Juntos, todos entoam a Canção da partida (Dorival Caymmi, 1957). O CD-tributo Dorival Caymmi - Centenário tem lançamento previsto para este primeiro semestre de 2014.

Il.Junior disse...

Acho que deveriam aproveitar a oportunidade e gravar a suíte dos pescadores completa, cada um com uma parte, é uma obra prima. #sonho

Elba Mota disse...

Ótima notícia, este eu compro!!!!

Tombom disse...

Bela notícia para um (bastante provável) belo disco! Vou atrás de um pra mim!