Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Livro 'A república cantada' refaz, do choro ao funk, trilha política do Brasil

As manifestações sociais de junho de 2013 não tiveram uma trilha sonora específica e marcante, mas algumas músicas se ajustaram casualmente ao tom dos protestos. Foi o caso de Vem pra rua, tema gravado pelo grupo carioca O Rappa para campanha de empresa automobilística. Esse acaso é lembrado pelo historiador André Diniz e pelo pesquisador musical Diogo Cunha ao fim do livro A república cantada, recém-lançado pela editora Zahar. O subtítulo Do choro ao funk - A história do Brasil através da música já explicita o conteúdo deste livro em que os autores refazem a trilha sonora política do país, historiando as relações nem sempre idôneas entre música e poder. A abordagem é rasa, porém bem abrangente, indo da queda da monarquia em 1889 ao governo da presidente Dilma Rousseff. O livro mostra como os compositores cantaram a república de políticos como Getúlio Vargas (1882 - 1954), alvo de sambas e marchas em seus dois mandatos como presidente do Brasil. Evidentemente, a trilha sonora da ditadura que vigorou de 1964 a 1985 também é assunto recorrente no livro, pois inspirou compositores como Chico Buarque e Geraldo Vandré na criação de belas canções de resistência ao golpe. O ufanismo musical - espontâneo ou mesmo sugerido pelos governos de presidentes ditatoriais como Emílio Garrastazu Médici (1905 - 1985) - também fez parte da trilha sonora da república ao longo dos tempos. Trilha sonora (bem) eclética que vai do choro ao funk, como enfatiza o livro, sem que os autores tomem partido de nenhum gênero musical.

5 comentários:

Mauro Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Clayton Moreira disse...

Folheei o livro dia desses e me pareceu raso. Faltou fôlego, a meu ver, a um catadão de informações colhidas aqui e ali.

Mauro Ferreira disse...

Concordo Clayton. A abordagem é abrangente, mas rasa. Faltou esmiuçar mais os temas. Abs, MauroF

Marcelo Barbosa disse...

Se for do André Diniz, grande compositor da Vila Isabel, vou dar uma comprada. Esse cara é uma das mentes mais brilhantes do mundo do samba.
De qualquer forma valem as críticas acima, vou folhear. Abs

André Diniz disse...

Queridos Mauro e Clayton a ideia do livro e ser mesmo um estimulo para as pessoas se aprofundarem. Esse livre inicialmente tinha 400 paginas mas a editora, com razão, viu que era um peso para venda. Sendo assim, fizemos um livro com objetivo de ser um apanhado de músicas da república sobre os temas políticos. Como vcs ja salientaram não é profundo, porém, a ideia e pegar o publica de todas as origens. Creio que a mistureba deu certo porque nesses seis meses do livro ja vendeu mais de dois mil. Mas valeu muito a critica e a divulgacao, beijos, a.