Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Três inéditas expandem parceria de Zeca e Zélia em show com 'Mulheres'

Salvador (BA) - "Já tive mulheres / De todas as cores / De várias idades / De muitos amores / Mas nenhuma delas / Me fez tão feliz / Quanto você me faz", cantou Zélia Duncan para Zeca Baleiro em instante espirituoso da estreia do show que une a cantora e compositora fluminense ao cantor e compositor maranhense, ambos projetados em escala nacional nos anos 1990. Hit do compositor fluminense Martinho da Vila em 1995, o samba Mulheres (Toninho Geraes) - solado por Zélia - foi uma das boas surpresas do roteiro do show Zélia Duncan & Zeca Baleiro, estreado na noite de ontem, 23 de janeiro de 2014, no palco do Teatro Castro Alves, em Salvador (BA). Em casamento musical realmente feliz, Zélia e Zeca uniram harmoniosamente suas vozes graves para interpretar músicas como Pássaro (Luiz Carlos Sá e Guttenberg Guararyba, 1976) - canção do repertório da dupla Sá & Guarabyra lançada pelo grupo O Terço no álbum Casa encantada (Copacabana, 1976) - e Coração aprisionado (Luli e Lucina, 1979). Curare (1940) - clássico da obra do compositor carioca Alberto de Castro Simões da Silva (1898 - 1986), o Bororó - também integrou o roteiro que expandiu com três músicas inéditas a parceria de Zeca Baleiro e Zélia Duncan, iniciada com a canção Se um dia me quiseres, lançada por Zélia no álbum Pelo sabor do gesto (2009) e obviamente incluída no show da dupla.  A composição de Escancarado - samba quase rock - já havia sido noticiada pelos cantores em redes sociais. Já Museu íntimo - samba quase canção - e Fox baiano (música criada pelos artistas a partir de letra deixada com Zeca pelo novo baiano Luiz Galvão) foram apresentadas no show. Eis o roteiro seguido por Zeca Baleiro e Zélia Duncan - em foto de Mauro Ferreira - na estreia nacional do show que, se depender da vontade dos cantores, vai percorrer o Brasil:

Zeca Baleiro e Zélia Duncan:
1. Pássaro (Luiz Carlos Sá e Guttenberg Guarabyra, 1976)
2. Se um dia me quiseres (Zeca Baleiro e Zélia Duncan, 2009)
3. Curare (Bororó, 1940)
4. Tudo sobre você (Zélia Duncan e John Ulhoa, 2009)
5. Alma nova (Zeca Baleiro e Fernando Abreu, 2005)
6. Grilos (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1972)
7. Mulheres (Toninho Geraes, 1975)
8. O amor é velho-menina (Tom Zé, 1972)
9. Fox baiano (Zeca Baleiro, Zélia Duncan e Luiz Galvão) - inédita
Zélia Duncan:
10. Tevê (Zeca Baleiro e Kleber Albuquerque, 2008)
11. Me revelar (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 2001)
12. Coisas da vida (Rita Lee, 1976)
13. Quase nada (Zeca Baleiro e Alice Ruiz, 2000)
Zeca Baleiro e Zélia Duncan:
14. Museu íntimo (Zeca Baleiro e Zélia Duncan) - inédita
15. Escancarado (Zeca Baleiro e Zélia Duncan) - inédita
Zeca Baleiro:
16. Não vá ainda (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 1994)
17. Opus 2 (Antonio Carlos & Jocáfi, 1977)
18. Babylon (Zeca Baleiro, 2000)
19. Nos lençóis desse reggae (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 1994)
      - com citação de Money in my pocket (Denis Brown, 1972)
Zeca Baleiro e Zélia Duncan:
20. Coração aprisionado (Luli e Lucina, 1979)
21. A natureza das coisas (Accioly Neto, 2000)
22. Sentidos (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 1994)
23. Bandeira (Zeca Baleiro, 1997)
Bis:
24. Telegrama (Zeca Baleiro, 2002)
25. Catedral (Tanita Tikaran em versão em português de Christiaan Oyens, 1994)

5 comentários:

Mauro Ferreira disse...

"Já tive mulheres / De todas as cores / De várias idades / De muitos amores / (...) / Mas nenhuma delas / Me fez tão feliz / Quanto você me faz", cantou Zélia Duncan para Zeca Baleiro em instante espirituoso da estreia do show que une a cantora e compositora fluminense ao cantor e compositor maranhense, ambos projetados em escala nacional nos 1990. Sucesso do compositor fluminense Martinho da Vila em 1995, o samba Mulheres (Toninho Geraes) - solado por Zélia - foi uma das boas surpresas do roteiro do show Zélia Duncan & Zeca Baleiro, estreado na noite de ontem, 23 de janeiro de 2014, no palco do Teatro Castro Alves, em Salvador (BA). Em casamento musical realmente feliz, Zélia e Zeca uniram harmoniosamente suas vozes graves para interpretar músicas como Pássaro (Luiz Carlos Sá e Guttenberg Guararyba, 1976) - canção do repertório da dupla Sá & Guarabyra lançada pelo grupo O Terço no álbum Casa encantada (Copacabana, 1976) - e Coração aprisionado (Luli e Lucina, 1979). Curare (1940) - clássico da obra do compositor carioca Alberto de Castro Simões da Silva (1898 - 1986), o Bororó - também integrou o roteiro que expandiu com três músicas inéditas a parceria de Zeca Baleiro e Zélia Duncan, iniciada com a canção Se um dia me quiseres, lançada por Zélia no álbum Pelo sabor do gesto (2009) e obviamente incluída no show da dupla. A composição de Escancarado - samba quase rock - já havia sido noticiada pelos cantores em redes sociais. Já Museu íntimo - samba quase canção - e Fox baiano (música criada pelos artistas a partir de letra deixada com Zeca pelo novo baiano Luiz Galvão) foram apresentadas no show. Eis o roteiro seguido por Zeca Baleiro e Zélia Duncan - em foto de Mauro Ferreira - na estreia nacional do show que, se depender da vontade dos cantores, vai percorrer o Brasil:

Zeca Baleiro e Zélia Duncan:
1. Pássaro (Luiz Carlos Sá e Guttenberg Guarabyra, 1976)
2. Se um dia me quiseres (Zeca Baleiro e Zélia Duncan, 2009)
3. Curare (Bororó, 1940)
4. Tudo sobre você (Zélia Duncan e John Ulhoa, 2009)
5. Alma nova (Zeca Baleiro, 2005)
6. Grilos (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1972)
7. Mulheres (Toninho Geraes, 1975)
8. O amor é velho-menina (Tom Zé, 1972)
9. Fox baiano (Zeca Baleiro, Zélia Duncan e Luiz Galvão) - inédita
Zélia Duncan:
10. Tevê (Zeca Baleiro, 2008)
11. Me revelar (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 2001)
12. Coisas da vida (Rita Lee, 1976)
13. Quase nada (Zeca Baleiro, 2000)
Zeca Baleiro e Zélia Duncan:
14. Museu íntimo (Zeca Baleiro e Zélia Duncan) - inédita
15. Escancarado (Zeca Baleiro e Zélia Duncan) - inédita
Zeca Baleiro:
16. Não vá ainda (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 1994)
17. Opus 2 (Antonio Carlos & Jocáfi, 1977)
18. Babylon (Zeca Baleiro, 2000)
19. Nos lençóis desse reggae (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 1994)
- com citação de Money in my pocket (Denis Brown, 1972)
Zeca Baleiro e Zélia Duncan:
20. Coração aprisionado (Luli e Lucina, 1979)
21. A natureza das coisas (Accioly Neto, 2000)
22. Sentidos (Christiaan Oyens e Zélia Duncan, 1994)
23. Bandeira (Zeca Baleiro, 1997)
Bis:
24. Telegrama (Zeca Baleiro, 2002)
25. Catedral (Tanita Tikaran em versão em português de Christiaan Oyens, 1994)

Leonardo Cidreira disse...

se depender da zélia, dentre tantos projetos/compromissos que ela tem, mais um não seria ruim! eles poderiam mesmo sair em turnê nacional com o espetáculo... o setlist tá bom e balançeado. queria ver e ouvir um cantando as músicas do outro! será que rola um registro oficial??

clapoma disse...

NOSSA PERDI ESSE GRANDE VENTO MUSICAL, ADORO ZELIA DUNCAN E GOSTO DE ALGUMAS MUSICAS DO ZECA, MAS ESSA UNIÃO VEIO PARA ENGRANDECER A NOSSA MPB, SHOW E SUCESSO...

clapoma disse...

SHOW DE BOLA ZELIA DUNCAN E ZECA balero,sucesso sempre...

Diego Santos disse...

Hj vou degustar desse show