Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Karynna Spinelli comprova em show no Recife influência perene de Clara

Recife (PE) - Trinta anos após sua morte, Clara Nunes (1942 - 1983) continua sendo a matriz que gera e guia a maioria das cantoras de samba que priorizam repertório de sotaque afro-brasileiro. Atração do Carnaval do Recife neste ano de 2013, Karynna Spinelli explicita a influência perene de Clara já no visual - como visto na foto de Rodrigo Amaral. No show que fez no palco do Marco Zero, na noite de 11 de fevereiro, Spinelli cantou inclusive um sucesso da cantora mineira, Canto das três raças (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro, 1976). Entre sucesso de Jorge Ben Jor, Spinelli mostrou músicas de seu vindouro CD Negona, como Sorriso aberto (Guará), hit da cantora Jovelina Pérola Negra (1944 - 1998), voz em evidência na era do pagode carioca dos anos 80. O show teve a participação do grupo feminino Samba de Maria.

O blog Notas Musicais cobre o Carnaval do Recife (PE) a convite da Prefeitura do Recife.

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Recife (PE) - Trinta anos após sua morte, Clara Nunes (1942 - 1983) continua sendo a matriz que gera e guia a maioria das cantoras de samba que priorizam repertório de sotaque afro-brasileiro. Atração do Carnaval do Recife neste ano de 2013, Karynna Spinelli explicita a influência perene de Clara já no visual - como visto na foto de Rodrigo Amaral. No show que fez no palco do Marco Zero, na noite de 11 de fevereiro, Spinelli cantou inclusive um sucesso da cantora mineira, Canto das três raças (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro, 1976). Entre sucesso de Jorge Ben Jor, Spinelli mostrou músicas de seu vindouro CD Negona, como Sorriso aberto (Guará), hit da cantora Jovelina Pérola Negra (1944-1998), voz em evidência na era do pagode carioca dos anos 80. O show teve a participação do grupo feminino Samba de Maria.

Rafael M. disse...

Karynna é uma boa cantora. Seu disco "Morro de Samba" é bom. Porém logicamente que ela não tem o brilho de uma Clara Nunes. Seria até pretensão dizer isto.

Anônimo disse...

Paulinho da Viola foi lindo!
Pelo jeito o Mauro perdeu.
Putzz, Karina Spinelli?!
Na boa, é melhor ser ruim que sub quem quer que seja.

Fuiiiiiiiiiii