Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Alcione vai de Ben Jor a Benito em agitado show no Carnaval do Recife

Recife (PE) - Alcione cantou músicas de Jorge Ben Jor (num pot-pourri que aglutinou Jorge da Capadócia, Take it easy, my brother Charles, Bebete vambora, Chove chuva, Que maravilha e Cadê Teresa?), samba magoado de Benito Di Paula (Retalhos de cetim), pagode do Fundo de Quintal (A batucada dos nossos tantãs), reggae à moda do Maranhão (Jamaica a São Luís), marchinhas do Carnaval carioca (Mulata yê yê yê e Me dá um dinheiro aí) e sambas-enredos da escola de samba Estação Primeira de Mangueira que exaltaram o Nordeste e o Recife (PE). Mas foi com suas tradicionais baladas de romantismo despudorado que a Marrom mais animou o público entusiasmado que assistiu ao seu show no palco do Marco Zero, no Centro Histórico do Recife, na madrugada desta segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013. A loba foi uma dessas baladas acompanhadas em fervoroso coro pelo público. Ciente do apelo popular das baladas de seu repertório, Alcione contou em cena que já teve que cantar A loba até ao participar de desfile do bloco afro-baiano Ilê Aiyê. O show foi agitado em todos os sentidos. Na balada Você me vira a cabeça (Me tira do sério), fã alucinada saltou da área vip, subiu ao palco e agarrou a cantora, irritando Alcione. Superado o incidente, a Marrom retomou o tom festivo do show.
Foto: Rodrigo Amaral
O blog Notas Musicais cobre o Carnaval do Recife (PE) a convite da Prefeitura do Recife.

6 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Recife (PE) - Alcione cantou músicas de Jorge Ben Jor (num pot-pourri que aglutinou Jorge da Capadócia, Take it easy, my brother Charles, Bebete vambora, Chove chuva, Que maravilha e Cadê Teresa?), samba magoado de Benito Di Paula (Retalhos de cetim), pagode do Fundo de Quintal (A batucada dos nossos tantãs), reggae à moda do Maranhão (Jamaica a São Luís), marchinhas do Carnaval carioca (Mulata yê yê yê e Me dá um dinheiro aí) e sambas-enredos da escola de samba Estação Primeira de Mangueira que exaltaram o Nordeste e o Recife (PE). Mas foi com suas tradicionais baladas de romantismo despudorado que a Marrom mais animou o público entusiasmado que assistiu ao seu show no palco do Marco Zero, no Centro Histórico do Recife, na madrugada desta segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013. A loba foi uma dessas baladas acompanhadas em fervoroso coro pelo público. Ciente do apelo popular das baladas de seu repertório, Alcione contou em cena que já teve que cantar A loba até ao participar de desfile do bloco afro-baiano Ilê Aiyê. O show foi agitado em todos os sentidos. Na balada Você me vira a cabeça (Me tira do sério), fã alucinada saltou da área vip, subiu ao palco e agarrou a cantora, irritando Alcione. Superado o incidente, a Marrom retomou o tom festivo do show.

Rafael M. disse...

óTimo repertório por ela cantado. Mas para que ela foi se irritar à toa com uma fã mais afoita que pulou para agarrá-la no palco? Ela é artista consagrada, já deveria saber lidar com esse tipo de situação.

Unknown disse...

Os fãs que me desculpem, mas é sabido que Alcione é e sempre foi dessa maneira. E corre a boca pequena que seu tratamento com fãs e jornalistas não é dos mais polidos. Seu talento se iguala a seu dubio temperamento.

Unknown disse...

Os fãs que me desculpem, mas é sabido que Alcione é e sempre foi dessa maneira. E corre a boca pequena que seu tratamento com fãs e jornalistas não é dos mais polidos. Seu talento se iguala a seu dubio temperamento.

Mauro Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mauro Ferreira disse...

Anderson, Alcione teve razão ao se irritar com a fã. Era uma pessoa alucinada (estava literalmente do meu lado, no gargarejo do palco) que a agarrou de forma agressiva, por trás, antes de ser contida pelos seguranças. Foi uma abordagem violenta que irritou todo o público presente no show. Abs, MauroF