Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 28 de julho de 2014

Coletânea de duetos de Negra Li traz gravação com Pitty inédita em disco

Negra Li não chegou a acontecer como artista após dissolver a dupla formada com Helião e partir para a carreira solo, mas, a despeito da inexpressividade da discografia solo da rapper paulistana, Li sempre foi requisitada para participar de discos de colegas, com os quais emplacou indiretamente hits como Ainda gosto dela (Samuel Rosa e Nando Reis, 2008), música gravada para álbum do grupo mineiro Skank. Além disso, Li sempre contou com nomes expressivos do universo pop brasileiro em seus próprios álbuns. Lançada pela gravadora Universal Music neste mês de julho de 2014, a coletânea Você vai estar na minha - Duetos compila 14 parcerias musicais da cantora - projetada fora do universo do hip hop em 2000 ao gravar a música Não é sério com o grupo paulista Charlie Brown Jr - e apresenta gravação inédita em disco, feita por Li com a roqueira baiana Pitty. Arquitetada para a edição de 2007 do projeto Estúdio Coca-Cola, a gravação de Li com Pitty é o r & b Chain of fools (Don Covay), sucesso da cantora norte-americana Aretha Franklin em 1967. Eis os 18 fonogramas da compilação Você vai estar na minha - Duetos, cuja edição digital traz quatro faixas-bônus:

1. Não é sério - com Charlie Brown Jr.
2. Meus telefonemas - com Caetano Veloso
3. Ainda gosto dela - com Skank
4. Beautiful (Como um sonho) - com Akon
5. O destino - com NX Zero e Rappin' Hood
6. Guerreiro, guerreira - com Helião
7. 1 minutos - com D Black
8. Negra livre - com Nando Reis
9. Chain of fools - com Pitty
10. Antônia - com Leilah Moreno, Quelynah e Cindy Mendes
11. Deixa rolar - com Gabriel O Pensador
12. Aqui neste lugar - com Sergio Britto
13. Não dá mais sem você - com Belo
14. Você vai estar na minha 
Faixas-bônus da edição digital:
15. Você vai estar na minha - remix do DJ Linky Mix
16. Jura - com Walter Alfaiate
17. Exército do rap - com Helião
18. Ninguém pode me impedir

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Negra Li não chegou a acontecer como artista após dissolver a dupla formada com Helião e partir para a carreira solo, mas, a despeito da inexpressividade da discografia solo da rapper paulistana, Li sempre foi requisitada para participar de discos de colegas, com os quais emplacou indiretamente hits como Ainda gosto dela (Samuel Rosa e Nando Reis, 2008), música gravada para álbum do grupo mineiro Skank. Além disso, Li sempre contou com nomes expressivos do universo pop brasileiro em seus próprios álbuns. Lançada pela gravadora Universal Music neste mês de julho de 2014, a coletânea Você vai estar na minha - Duetos compila 14 parcerias musicais da cantora - projetada fora do universo do hip hop em 2000 ao gravar a música Não é sério com o grupo paulista Charlie Brown Jr - e apresenta gravação inédita em disco, feita por Li com a roqueira baiana Pitty. Arquitetada para a edição de 2007 do projeto Estúdio Coca-Cola, a gravação de Li com Pitty é o r & b Chain of fools (Don Covay), sucesso da cantora norte-americana Aretha Franklin em 1967. Eis os 18 fonogramas da compilação Você vai estar na minha - Duetos, cuja edição digital traz cinco faixas-bônus:

1. Não é sério - com Charlie Brown Jr.
2. Meus telefonemas - com Caetano Veloso
3. Ainda gosto dela - com Skank
4. Beautiful (Como um sonho) - com Akon
5. O destino - com NX Zero e Rappin' Hood
6. Guerreiro, guerreira - com Helião
7. 1 minutos - com D Black
8. Negra livre - com Nando Reis
9. Chain of fools - com Pitty
10. Antônia - com Leilah Moreno, Quelynah e Cindy Mendes
11. Deixa rolar - com Gabriel O Pensador
12. Aqui neste lugar - com Sergio Britto
13. Não dá mais sem você - com Belo
Faixas-bônus da edição digital:
14. Você vai estar na minha
15. Você vai estar na minha - remix do DJ Linky Mix
16. Jura - com Walter Alfaiate
17. Exército do rap - com Helião
18. Ninguém pode me impedir

Douglas Carvalho disse...

O que acontece é o seguinte: Negra Li é uma menina bonita com uma voz idem, mas que começou nesse negócio de cantora de hip-hop, que agrada a meia dúzia de iniciados, mas não serve como meio de expressão de uma voz bonita como a dela pq é uma música sem melodia. Pra ouvidos comuns (como o meu) não passa de um blá-blá-blá chato.

Então no desespero de transformar a menina num produto mais palatável e comercializável para o "grande público", tiraram a moça do hip-hop e jogaram num apressado pop de butique. E não deu muito certo....

Na minha modesta opinião começou tudo errado desde o início. Uma voz bonita como a de Negra Li merecia canções para serem cantadas e escutadas. Mas nessa altura do campeonato é melhor ela voltar pro blá-blá-blá chato do hip-hop. Pelo menos vai garantir os iniciados e a adoração da crítica.

Eu continuarei bem longe ouvindo as cantoras que, simplesmente, cantam.

Leonardo Cidreira disse...

concordo com o colega... negra li tem que dá certo de algum jeito! minha opinião é que ela tinha que se despedir desse mundo de hip hop e cair de vez na mpb! a luiza possi (que era "estilo wanessa camargo")fez isso e deu certo, tem seu público...