Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 14 de julho de 2014

Intérprete do sucesso 'Noite preta', Vange Leonel sai de cena aos 51 anos

 Intérprete do sucesso Noite preta, música que compôs com Cilmara Bedaque e que foi propagada como tema de abertura da novela Vamp (TV Globo, 1991), Vange Leonel (4 de maio de 1963 - 14 de julho de 2014) sai hoje de cena, aos 51 anos, vítima de câncer no ovário, diagnosticado há menos de um mês. Cantora, compositora e escritora paulistana, Vange ganhou projeção no universo pop brasileiro nos anos 1980, como vocalista da Banda Nau. Superestimada pela crítica, a Nau lançou um único álbum em 1986 pelo selo Epic, da extinta CBS. Nesse disco, intitulado Nau, Vange assinou músicas como Bom sonho. Apesar de todo o investimento da gravadora, a banda logo naufragou e Vange partiu em carreira solo. Logo no primeiro álbum individual, Vange (Epic / CBS, 1991), a artista emplacou o sucesso Noite preta. Mas a exposição da música não se traduziu em vendas expressivas. Dispensada pela CBS, Vange Leonel partiu para o mercado independente e lançou - cinco anos depois - o álbum Vermelho (Medusa Records, 1996), com repertório inteiramente composto por suas parcerias com Cilmara Bedaque, sua companheira de vida, música e ativismo no universo GLS.

4 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Intérprete do sucesso Noite preta, música que compôs com Cilmara Bedaque e que foi propagada como tema de abertura da novela Vamp (TV Globo, 1991), Vange Leonel (4 de maio de 1963 - 14 de julho de 2014) sai hoje de cena, aos 51 anos, vítima de câncer no ovário, diagnosticado há menos de um mês. Cantora, compositora e escritora paulistana, Vange ganhou projeção no universo pop brasileiro nos anos 1980, como vocalista da Banda Nau. Superestimada pela crítica, a Nau lançou um único álbum em 1986 pelo selo Epic, da extinta CBS. Nesse disco, intitulado Nau, Vange assinou músicas como Bom sonho. Apesar de todo o investimento da gravadora, a banda logo naufragou e Vange partiu em carreira solo. Logo no primeiro álbum individual, Vange (Epic / CBS, 1991), a artista emplacou o sucesso Noite preta. Mas a exposição da música não se traduziu em vendas expressivas. Dispensada pela CBS, Vange Leonel partiu para o mercado independente e lançou - cinco anos depois - o álbum Vermelho (Medusa Records, 1996), com repertório inteiramente composto por suas parcerias com Cilmara Bedaque, sua companheira de vida, música e ativismo no universo GLS.

Rafael M. disse...

Ótima cantora, qe descanse em paz. É uma pena que esteve tão sumida nos últimos anos, sem sequer tendolançado um novo disco.

Felipe dos Santos disse...

Bom destacar a importância do primo Nando Reis na carreira de Vange. Ela começou na música com Os Camarões, banda com que Nando também entrou no meio.

E o principal: Nando foi um dos produtores de "Vange", o álbum que trazia "Noite preta", junto da própria e de Cilmara Bedaque. Inclusive, a banda básica nas gravações tinha Nando no baixo e no violão, além do colega de Titãs Charles Gavin, na bateria.

Felipe dos Santos Souza

ADEMAR AMANCIO disse...

Gostei do sucinto "GLS",a nova sigla LGBT,me parece palhaçada.Gosto muito da balada pop "Esse Mundo".