Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 22 de julho de 2014

Detonautas oscila entre crítica social, amor e rebeldia 'teen' em CD duplo

Resenha de CD
Título: A saga continua
Artista: Detonautas Roque Clube
Gravadora: Coqueiro Verde Records
Cotação: * * *

Primeiro álbum de estúdio do grupo carioca Detonautas Roque Clube desde O retorno de saturno (Sony Music, 2008), disco lançado já há seis anos, o CD duplo A saga continua se debate entre a crítica social, o romantismo e a rebeldia adolescente ao longo de suas 18 músicas. O repertório apresenta 16 temas de autoria da banda - sendo sete totalmente inéditos e os outros nove já conhecidos, posto que lançados pelo grupo na web nos últimos anos - entre a balada apaixonada Hello hello (Cláudio Paradise) e a regravação de Sempre brilhará (1987), música do cantor, compositor e guitarrista carioca Celso Blues Boy (1956 - 2012), à cuja memória o disco é dedicado. Musicalmente, o quinteto oscila entre o pop - com ecos da sonoridade mais suave e radiofônica adotada a partir de O retorno de saturno - e o rock mais pesado que reprocessa códigos e elementos do grunge e do punk. Em tese, A saga continua concentra no CD 1 as músicas de tonalidade mais pop enquanto o CD 2 aloca os rocks. Tal divisão nem sempre se sustenta, já que Acredite no seu coração (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - canção cuja introdução remete à pegada das baladas da banda brasiliense Legião Urbana (1982 - 1996) - poderia estar no CD 1, embora figure no disco 2 entre rocks mais ou menos pesados como Combate (Tico Santa Cruz, Felipe Lour, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha). Seja forte pra lutar (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) e 4 ever alone (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), faixa de aura punk, com mais atitude teen do que acordes. Longe da trilha experimental de seu álbum mais ambicioso, Psicodeliamorsexo&distorção (Warner Music, 2006), o Detonautas enquadra músicas como Vamos viver (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), Um cara de sorte (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) e Essa noite (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) em conservador formato pop. O que diferencia esse cancioneiro de outras zilhões de músicas afins são as letras escritas pelo controvertido vocalista do grupo, Tico Santa Cruz, com certa visão crítica da sociedade. Com doses maiores ou menores de inspiração e clichês, os versos de canções como Sabemos fingir (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) e É problema meu (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - música que versa sobre o individualismo que rege os tempos pós-modernos - provocam questionamentos sociais entre levadas de pop e folk. Quem é você? (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - faixa cuja verborragia evoca Faroeste caboclo (Renato Russo, 1987), hit da já mencionada Legião Urbana - é o ponto alto dessa faceta política de Tico no CD 1. Já o CD 2 destaca O alienista (Tico Santa Cruz, Felipe Lour, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - por sua letra que versa sobre o congelamento das emoções nos dias de hoje - e Sua alma vai vagar por aí! (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), faixa hardcore que embute rap do grupo carioca Cone Crew Diretoria. Admirador de Raul Seixas (1945 - 1989), Tico Santa Cruz evoca a aura do Maluco Beleza em Conversando com espelho (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), música que tem algo a dizer enquanto Sexo tântrico (Tico Santa Cruz, Daltinho Medeiros, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) joga testosterona fora em disco que soaria mais forte se tivesse maior poder de síntese. Como toda saga, a do Detonautas é longa.

4 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Primeiro álbum de estúdio do grupo carioca Detonautas Roque Clube desde O retorno de saturno (Sony Music, 2008), disco lançado já há seis anos, o CD duplo A saga continua se debate entre a crítica social, o romantismo e a rebeldia adolescente ao longo de suas 18 músicas. O repertório apresenta 16 temas de autoria da banda - sendo sete totalmente inéditos e os outros nove já conhecidos, posto que lançados pelo grupo na web nos últimos anos - entre a balada apaixonada Hello hello (Cláudio Paradise) e a regravação de Sempre brilhará (1987), música do cantor, compositor e guitarrista carioca Celso Blues Boy (1956 - 2012), à cuja memória o disco é dedicado. Musicalmente, o quinteto oscila entre o pop - com ecos da sonoridade mais suave e radiofônica adotada a partir de O retorno de saturno - e o rock mais pesado que reprocessa códigos e elementos do grunge e do punk. Em tese, A saga continua concentra no CD 1 as músicas de tonalidade mais pop enquanto o CD 2 aloca os rocks. Tal divisão nem sempre se sustenta, já que Acredite no seu coração (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - canção cuja introdução remete à pegada das baladas da banda brasiliense Legião Urbana (1982 - 1996) - poderia estar no CD 1, embora figure no disco 2 entre rocks mais ou menos pesados como Combate (Tico Santa Cruz, Felipe Lour, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha). Seja forte pra lutar (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) e 4 ever alone (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), faixa de aura punk, com mais atitude teen do que acordes. Longe da trilha experimental de seu álbum mais ambicioso, Psicodeliamorsexo&distorção (Warner Music, 2006), o Detonautas enquadra músicas como Vamos viver (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), Um cara de sorte (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) e Essa noite (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) em conservador formato pop. O que diferencia esse cancioneiro de outras zilhões de músicas afins são as letras escritas pelo controvertido vocalista do grupo, Tico Santa Cruz, com certa visão crítica da sociedade. Com doses maiores ou menores de inspiração e clichês, os versos de canções como Sabemos fingir (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) e É problema meu (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - música que versa sobre o individualismo que rege os tempos pós-modernos - provocam questionamentos sociais entre levadas de pop e folk. Quem é você? (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - faixa cuja verborragia evoca Faroeste caboclo (Renato Russo, 1987), hit da já mencionada Legião Urbana - é o ponto alto dessa faceta política de Tico no CD 1. Já o CD 2 destaca O alienista (Tico Santa Cruz, Felipe Lour, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) - por sua letra que versa sobre o congelamento das emoções nos dias de hoje - e Sua alma vai vagar por aí! (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), faixa hardcore que embute rap do grupo carioca Cone Crew Diretoria. Admirador de Raul Seixas (1945 - 1989), Tico Santa Cruz evoca a aura do Maluco Beleza em Conversando com espelho (Tico Santa Cruz, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha), música que tem algo a dizer enquanto Sexo tântrico (Tico Santa Cruz, Daltinho Medeiros, Fábio Brasil, DJ Cleston, Phil e Renato Rocha) joga testosterona fora em disco que soaria mais forte se tivesse maior poder de síntese. Como toda saga, a do Detonautas é longa.

Daทilo disse...

Crítica social?? Aham, tá... Mais Fred Zero 4, Marcelo Yuka e menos Tico Santa Cruz.

ProfºAllan disse...

Eu gosto muito do som dos Detonautas e consequentemente as letras assinadas pelo Tico Santa Cruz.

Carla Mariana disse...

Banda ruim desde sempre. "Rebeldia adolescente" ótimo kkkkkk