quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Jota Quest manda bem em 'single' que remete à levada da 'disco music'

Resenha de single 
Título: Mandou bem
Artista: Jota Quest
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * * * *

Já nos primeiros  20 segundos de Mandou bem - primeiro single do álbum de inéditas que o grupo Jota Quest vai lançar em outubro via Sony Music - sobressai uma levada e uns vocais que remetem de imediato ao balanço da disco music. Efeito provável de a música - lançada nas rádios e no canal da banda no portal Vevo nesta quarta-feira, 14 de agosto de 2013 - ter sido gravada com a guitarra de Niel Rodgers, mentor da banda norte-americana Chic, ícone dos embalos noturnos da era das discotecas. Banda mineira habituada a diluir a soul music com pegada pop que sempre embranqueceu o suingue black, Jota Quest volta a apostar no groove em gravação produzida pelo baixista e produtor norte-americano Jerry Barnes - piloto do álbum ainda em gestação - e mixada em Los Angeles, Califórnia (EUA), pelo engenheiro Joe Zook. A pegada dançante de Mandou bem é retrô, irresistível e evoca o som feito pelo grupo em seu início de carreira. Mas não é o caso de falar numa "volta às origens". Afinal, havia groove também no revigorante (e subestimado) último álbum do quinteto mineiro, La plata (2008). Nada mudou tanto assim... Até porque, como sempre, a mistura de funk, soul e disco music soa pop na medida certa para não afugentar o público da banda, habituado a um som de branco. De todo modo, ambientado em clima de alto astral, o single se revela azeitado. O toque da guitarra de Nile Rodgers sobressai em Mandou bem como a cereja do bolo batido com eficiência pelos músicos mineiros. Fato é que o groove do baixo de PJ também se destaca na faixa, turbinada com clavinetes e vocoders futuristas do tecladista Márcio Buzelin. No todo, o Jota Quest mandou bem com sua nova música, sinalizando a vinda de um provável bom álbum.

2 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Já nos primeiros 20 segundos de Mandou bem - primeiro single do álbum de inéditas que o grupo Jota Quest vai lançar em outubro via Sony Music - sobressai uma levada e uns vocais que remetem de imediato ao balanço da disco music. Efeito provável de a música - lançada nas rádios e no canal da banda no portal Vevo nesta quarta-feira, 14 de agosto de 2013 - ter sido gravada com a guitarra de Niel Rodgers, mentor da banda norte-americana Chic, ícone dos embalos noturnos da era das discotecas. Banda mineira habituada a diluir a soul music com pegada pop que sempre embranqueceu o suingue black, Jota Quest volta a apostar no groove em gravação produzida pelo baixista e produtor norte-americano Jerry Barnes - piloto do álbum ainda em gestação - e mixada em Los Angeles, Califórnia (EUA), pelo engenheiro Joe Zook. A pegada dançante de Mandou bem é retrô, irresistível e evoca o som feito pelo grupo em seu início de carreira. Mas não é o caso de falar numa "volta às origens". Afinal, havia groove também no revigorante (e subestimado) último álbum do quinteto mineiro, La plata (2008). Nada mudou tanto assim... Até porque, como sempre, a mistura de funk, soul e disco music soa pop na medida certa para não afugentar o público da banda, habituado a um som de branco. De todo modo, ambientado em clima de alto astral, o single se revela azeitado. O toque da guitarra de Nile Rodgers sobressai em Mandou bem como a cereja do bolo batido com eficiência pelos músicos mineiros. Fato é que o groove do baixo de PJ também se destaca na faixa, turbinada com clavinetes e vocoders futuristas do tecladista Márcio Buzelin. No todo, o Jota Quest mandou bem com sua nova música, sinalizando a vinda de um provável bom álbum.

Daniel disse...

Ainda não gostei da faixa logo de cara. Parece que pegaram Get Lucky do Daft Punk e colocaram vocais em português rs. A letra é meio boba...