Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

'Poder da Criação' é a primeira (e precoce) coletânea de Diogo Nogueira

Embora a discografia de Diogo Nogueira contabilize por ora apenas um disco de estúdio e dois registros ao vivo de shows, a gravadora EMI Music já põe nas lojas, neste mês de agosto de 2011, uma primeira e precoce coletânea do artista. Poder da Criação reúne fonogramas dos três trabalhos do cantor e gravações avulsas como as  Todo Menino É um Rei (feita por Diogo para o projeto coletivo Samba Social Clube ao Vivo) e Tiro ao Álvaro (da trilha sonora da novela Ciranda de Pedra). A coletânea mostra o poder que as gravadoras sempre tiveram de criar subprodutos que banalizam a discografia de seus artistas. Eis as 15 faixas da compilação:

1. Deixa Eu te Amar
2. Pra Que Discutir com Madame?

3. Me Leva
4. Malandro É Malandro, Mané É Mané
5. Vazio (Está Faltando uma Coisa em Mim)

6. Tô Fazendo a Minha Parte
7. Todo Menino É um Rei
8. Maracangalha
9. Nó na Madeira - com citação de É Preciso Lutar e participação de Marcelo D2
10. Tiro ao Álvaro
11. Coisa de Pele

12. Sou Eu - com Chico Buarque e Hamilton de Holanda
13. Batendo a Porta
14. Bola Dividida
15. Poder da Criação

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Embora a discografia de Diogo Nogueira contabilize por ora apenas um disco de estúdio e dois registros ao vivo de shows, a gravadora EMI Music já põe nas lojas, neste mês de agosto de 2011, uma primeira e precoce coletânea do artista. Poder da Criação reúne fonogramas dos três trabalhos do cantor e gravações avulsas como as Todo Menino É um Rei (feita por Diogo para o projeto coletivo Samba Social Clube ao Vivo) e Tiro ao Álvaro (da trilha sonora da novela Ciranda de Pedra). A coletânea mostra o poder que as gravadoras sempre tiveram de criar subprodutos que banalizam a discografia de seus artistas. Eis as 15 faixas da compilação:

1. Deixa Eu te Amar
2. Pra Que Discutir Com Madame?
3. Me Leva
4. Malandro É Malandro, Mané É Mané
5. Vazio (Está Faltando uma Coisa em Mim)
6. Tô Fazendo a Minha Parte
7. Todo Menino É um Rei
8. Maracangalha
9. Nó Na Madeira - com citação de É Preciso Lutar e participação de Marcelo D2
10. Tiro ao Álvaro
11. Coisa de Pele
12. Sou Eu - com Chico Buarque e Hamilton de Holanda
13. Batendo a Porta
14. Bola Dividida
15. Poder da Criação

André Luís disse...

Não gosto de coletâneas, ainda mais quando é assim, precoce. E pra piorar, detesto essa coisa de discos ao vivo. Estão produzindo cada vez menos álbuns de estúdio.

Deixa o Diogo gravar mais uns 3 ou 4 discos, que aí dá pra pensar em coletânea.

KL disse...

tão vibrante quanto uma placa de isopor.

Jorge Reis disse...

Tudo nesse moço me parece insosso...

Cunha disse...

Caça-Níqueis.

Henrique Schucman disse...

Acho o trabalho do Diogo Nogueira acima da média , muito acima, da média Nacional . O Repertório é bem escolhido, os acompanhamentos e orquestrações de ótima qualidade e com uma quantidade apreciável de músicos e profissionais por trás. Não vejo porque só ressaltar o lado negativo quando o que predomina é a qualidade. Me parece algo do tipo da coisa que o Tom Jobim reparava Ç " Brasileiro tem inveja de quem faz sucesso " .
Vá lá ! Cada cabeça uma sentença mas o tempo acaba mostrando o que é bom . Vamos esperar.... !

KL disse...

É isso aí: "Vamos espear"...sentados. De preferência, ouvindo Tom Jobim ou João Nogueira por exemplo.

valderiofreire disse...

Eu acho diogo nogueira uma das melhores vozes masculinas que surgiu nos últimos anos! a voz dele não é fabricada é herdada!