Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Estreia de Alceu e Geraldo, 'Quadrafônico' volta às lojas via Microservice

Álbum obscuro que marcou em 1972 a dupla estreia no mercado fonográfico dos cantores e compositores pernambucanos Alceu Valença e Geraldo Azevedo, Quadrafônico está sendo reposto em catálogo pela Microservice dentro do projeto de revitalização do acervo da extinta gravadora Copacabana. Alceu domina o repertório autoral, assinando sozinho músicas como Me Dá um Beijo, Ciranda de Mãe Nina, Erosão, Seis Horas, Planetário e Cordão do Rio Preto. Geraldo é o autor de Mister Mistério e Novena (em parceria com Marcus Vinicius). Juntos, Alceu e Geraldo assinam Talismã e Virgem Virgínia. Infelizmente, a reedição de Quadrafônico nada informa sobre a gênese deste disco de alto valor documental, embrião de duas carreiras de grande importância na música brasileira produzida nas décadas de 70 e 80. Faltou um texto que explicasse como Alceu Valença e Geraldo Azevedo chegaram à gravação do álbum, que tem textura psicodélica e (bons) arranjos do maestro tropicalista Rogério Duprat (1932 - 2006).

12 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Álbum obscuro que marcou em 1972 a dupla estreia no mercado fonográfico dos cantores e compositores pernambucanos Alceu Valença e Geraldo Azevedo, Quadrafônico está sendo reposto em catálogo pela Microservice dentro do projeto de revitalização do acervo da extinta gravadora Copacabana. Alceu domina o repertório autoral, assinando sozinho músicas como Me Dá um Beijo, Ciranda de Mãe Nina, Erosão, Seis Horas, Planetário e Cordão do Rio Preto. Geraldo é o autor de Mister Mistério e Novena (em parceria com Marcus Vinicius). Juntos, Alceu e Geraldo assinam Talismã e Virgem Virgínia. Infelizmente, a reedição de Quadrafônico nada informa sobre a gênese desse disco de alto valor documental, embrião de duas carreiras de grande importância na música brasileira produzida nas décadas de 70 e 80. Faltou um texto.

Renato Vieira disse...

Não é um grande disco, mas devem haver mtas histórias sobre ele, um texto seria imprescindível. Geraldo Azevedo já disse em entrevistas que a gravadora considerava esse LP "um favor" e que nas sessões nos Estúdios Reunidos teve que ouvir coisas como "Canta aí, pau de arara".
Pena que nem os arranjos do Duprat fazem deste um disco interessante..

Rudá Lemos disse...

DISCAÇO! Recomendo muito, pura psicodelia!

Rudá Lemos disse...

Parem de falar sobre Maria Rita, vamos comentar esse álbum que é o que realmente interessa!

Zé Henrique disse...

Arranjos do Duprat?!
Pena que tem Geraldo Azevedo, né?

Fábio Passadisco disse...

Na verdade esse disco se chama "Alceu Valença & Geraldo Azevedo".

Quadrofônico era o tipo de som que o disco proporcionava... Outros foram lançados com essa mesma logomarca exagerada; entre eles um de Benito di Paula.

Gill disse...

Pena que tem Geraldo Azevedo? Pena que você existe Zé. Quem é você para falar de Geraldo? O que você conhece de música? Fala aí para nós, meros ouvintes que não compreendemos a mediocridade musical de Geraldo Azevedo. Compositor de "Dia Branco", um dos maiores clássicos da música brasileira. Dono de uma discografia interesantíssima, com mais de 20 discos. Diz-nos ó grande senhor da música...

Zé Henrique disse...

De música eu não conheço nada, meu chapa.
Sendo assim eu fico com o Duprat e deixo o Geraldo Azevedo todinho pra vc.
Fica condizente com meus conhecimentos, né? rsrsrs

Bia disse...

oloco, eu curto pra caramba esse disco. também não entendo nada de música, mas ele é divertido e acho que não precisa desprezar só porque tem "coisa melhor" por aí

Fabricio Duarte disse...

Geraldo azevedo faz parte da historia da musica Brasileira.acompanhou como músico grandes nomes como geraldo vandré. Foi preso por conta da ditadura e quando saiu colocou na cabeça que ia lançar disco solo.No album "Bicho de 7 cabeças"mostrou toda a genialidade tocando regional psicodelico. "APENAS APANHEI NA BEIRA-MAR
UM TÁXI PRA ESTAÇÃO LUNAR"

Renato Dias disse...

Tenho tudo de música brasileira e meus caros, esse disco é maravilhoso, só ouvindo. Um dos discos mais criativos que já ouvi.

Luiz Leão disse...

Novena, Talismã, 78 rotações são obras-prima. Uma pena esse disco não ter tido o reconhecimento que merece.