Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Digno, Chili Peppers sobrevive sem Frusciante no álbum 'I'm With You'

Resenha de CD
Título: I'm With You
Artista: Red Hot Chili Peppers
Gravadora: Warner Music
Cotação: * * *

Décimo álbum de estúdio do Red Hot Chili Peppers, lançado esta semana em escala mundial via Warner Music, I'm With You não é o primeiro disco do grupo norte-americano sem o guitarrista John Frusciante, que deixou a banda pela segunda vez em 2009. Mas I'm With You é o primeiro disco feito pelo Red Hot Chili Peppers sem Frusciante após série de três álbuns - Californication (1999), By the Way (2002) e Stadium Arcadium (2006) - que catapultaram a banda do baixista Flea ao estrelato e aos estádios. Pois I'm With You mostra que o Red Hot sobrevive bem sem Frusciante. Josh Klinghoffer segura a onda pop-rock-funk da banda - proeza perceptível já nas duas primeiras faixas do CD, Monarchy of Roses e Factory of Faith. Repetindo a parceria com o produtor Rick Rubin, o Red Hot alterna baladas com rocks de batida funkeada em mais um álbum que acena para as multidões que lotam estádios. Opção que torna até curiosa a inclusão no disco de balada, Brendan's Death Song, em tributo a Brendan Mullen (1949 - 2009), pioneiro fomentador da cena punk de Los Angeles (EUA) por conta da abertura da casa The Masque - a mesma Los Angeles citada em verso de Happiness Loves Company. E por falar em baladas, Annie Wants a Baby - alocada como a quinta das 14 faixas - soa meio cansativa,  dando a impressão de que I'm With You não vai se sustentar até o fim. Mas tal pista é falsa. Na sequência, o álbum já começa a retomar seu pique com a funkeada Look Around, cresce com o single The Adventures of Rain Dance Maggie e atinge grande momento com Did I Let You Know, tema embebido em latinidade que evoca até o som de Santana. Entre a vivacidade de temas como o rock Goodbye Hooray e a serenidade meio apática de canções como Police Station (um dos pontos mais baixos do disco), I'm With You termina em tom festivo com Dance, Dance, Dance. Música que - assim como as faixas dançantes deste álbum digno - deverão crescer ao serem apresentadas em estádios e arenas.

2 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Décimo álbum de estúdio do Red Hot Chili Peppers, lançado esta semana em escala mundial via Warner Music, I'm With You não é o primeiro disco do grupo norte-americano sem o guitarrista John Frusciante, que deixou a banda pela segunda vez em 2009. Mas I'm With You é o primeiro disco feito pelo Red Hot Chili Peppers sem Frusciante após série de três álbuns - Californication (1999), By the Way (2002) e Stadium Arcadium (2006) - que catapultaram a banda do baixista Flea ao estrelato e aos estádios. Pois I'm With You mostra que o Red Hot sobrevive bem sem Frusciante. Josh Klinghoffer segura a onda pop-rock-funk da banda - proeza perceptível já nas duas primeiras faixas do CD, Monarchy of Roses e Factory of Faith. Repetindo a parceria com o produtor Rick Rubin, o Red Hot alterna baladas com rocks de batida funkeada em mais um álbum que acena para as multidões que lotam estádios. Opção que torna até curiosa a inclusão no disco de balada, Brendan's Death Song, em tributo a Brendan Mullen (1949 - 2009), pioneiro fomentador da cena punk de Los Angeles (EUA) por conta da abertura da casa The Masque - a mesma Los Angeles citada em verso de Happiness Loves Company. E por falar em baladas, Annie Wants a Baby - alocada como a quinta das 14 faixas - soa meio cansativa, dando a impressão de que I'm With You não vai se sustentar até o fim. Mas tal pista é falsa. Na sequência, o álbum já começa a retomar seu pique com a funkeada Look Around, cresce com o single The Adventures of Rain Dance Maggie e atinge grande momento com Did I Let You Know, tema embebido em latinidade que evoca até o som de Santana. Entre a vivacidade de temas como o rock Goodbye Hooray e a serenidade meio apática de canções como Police Station (um dos pontos mais baixos do disco), I'm With You termina em tom festivo com Dance, Dance, Dance. Música que - assim como as faixas dançantes deste álbum digno - deverão crescer ao serem apresentadas em estádios e arenas.

nando disse...

O disco é maravilhoso! Anthony Kiedis contina sendo um dos grandes vocalistas do rock!