Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Caixa com os quatro álbuns do Planet Hemp traz EP de 1996 como bônus

Ao fim de 1996, o grupo carioca Planet Hemp presenteou fãs e amigos com o EP Hemp New Year, disco de oito faixas que incluía remixes (de Dig Dig Hempa e Legalize Já), números ao vivo de shows (Mantenha o Respeito, Legalize Já e Mary Jane), take ao vivo de estúdio (Skunk) e registros embrionários extraídos de uma demo gravada em 1993 (Phunky Buddah e Raprocknrollpsicodeliahardcoreragga). Item de colecionador na discografia da banda, o EP está encaixotado no box Planet Hemp, lançado pela Sony Music neste mês de novembro de 2012 no rastro do sucesso da turnê nacional que trouxe o grupo carioca de volta aos palcos. A caixa Planet Hemp embala os álbuns Usuário (1995), Os Cães Ladram, Mas a Caravana Não Pára (1997), A Invasão do Sagaz Homem Fumaça (2000) e Planet Hemp MTV ao Vivo (2001).

9 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Ao fim de 1996, o grupo carioca Planet Hemp presenteou fãs e amigos com o EP Hemp New Year, disco de oito faixas que incluía remixes (de Dig Dig Hempa e Legalize Já), números ao vivo de shows (Mantenha o Respeito, Legalize Já e Mary Jane), take ao vivo de estúdio (Skunk) e registros embrionários extraídos de uma demo gravada em 1993 (Phunky Buddah e Raprocknrollpsicodeliahardcoreragga). Item de colecionador na discografia da banda, o EP está encaixotado no box Planet Hemp, lançado pela Sony Music neste mês de novembro de 2012 no rastro do sucesso da turnê nacional que trouxe o grupo carioca de volta aos palcos. A caixa Planet Hemp embala os álbuns Usuário (1995), Os Cães Ladram, Mas a Caravana Não Pára (1997), A Invasão do Sagaz Homem Fumaça (2000) e Planet Hemp MTV ao Vivo (2001).

Rafael M. disse...

Bom saber que encaixotaram os 4 álbuns da banda. Espero que tenham tido uma remasterização dos mesmos. Porém o EP não é natalino, pois não possui nenhuma canção referente ao natal, e sim versões raras de famosas canções suas.

Anônimo disse...

Advinha doutô quem tá de volta na praça?!
Planet Hempaaa, es(ex)quadrilha da fumaça!
Vi a apresentação deles no premiozinho da MTV e achei bem derrubadinha. Aí, fiquei em dúvida se ia ao show deles aqui em Recife.
De última hora fui e não me arrependi. Fizeram um belo show.
É caça níquel, claro. Mas vale a pena. Recordar é viver.
Mas como é pra frente que se anda, estou no aguardo do novo disco do dissidente BLack Alien.
Ele já soltou essa pérola aqui, ó:
http://soundcloud.com/blackalienofficial/pra-quem-a-carapuca-a-caiba

Pedro Progresso disse...

Rafael,
acho que o Hemp jamais lançaria uma música natalina HAHAHAHAHAHAH O EP recebe esse nome só pelo fato de ter sido lançado na época das festividades e pelo título tb.

Anônimo disse...

Não precisa de remasterizaçao nenhuma. Os discos já têm ótima qualidade sonora.
Além do mais, tem umas remasterizadas que são um lixo.
Outro dia ouvi o Circuladô de Mano Caetano remasterizado e achei estranho. Já o Bicho do mesmo Caetano ficou legal remasterizado.
Remasterizar discos recentes - dos anos 90 pra cá - quase sempre é roubada.
Fica estranho, perde-se algo.
Discos pra serem remasterizados são os velhinhos de guerra, os que tiveram processos de gravações, digamos, arcaicos.
Sou doido por uma remasterizada no Portela Passado de Glória.
Alguém ainda há de fazer.
Bora nessa, Gavin!

Rafael M. disse...

Pedro,

Seria no mínimo curioso e engraçado Planet Hemp cantando o "Velhinho" ou "Boas Festas" Essa eu pagaria para ver, rsrsrs. Me referi ao EP ser natalino porque o Mauro colocou no título de que o mesmo se tratava de ser um natalino.

André Queiroz disse...

Zé Henrique,

O álbum Portela Passado de Glória foi reeditado em CD pela Biscoito Fino e está em catálogo.

Anônimo disse...

Eu sei da reedição, André.
Mas não houve remasterização.
Queria, e o disco mais que merece, uma reedição caprichada/remasterizada.
A qualidade do som deixa muito a desejar.
Mas, enfim, não deixa de ser um BAITA disco por conta disso.
Alguns, não me incluo, até acham que a baixa qualidade do áudio dá charme.

Valeu.

Daทilo disse...

Uma obra prima que precisa de uma remasterização é "Fa-Tal a todo vapor" da Gal. A qualidade técnica é inversamente proporcional à qualidade musical.