Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 23 de setembro de 2012

CD 'Mar de Rosas' coleta gravações raras de Celly no início dos anos 70

Ao retomar sua carreira fonográfica a partir de 1968, após seis anos longe dos holofotes, Celly Campello (1942 - 2003) demorou a reeditar o sucesso que obteve entre 1959 e 1962. Foi preciso a novela Estúpido Cupido (TV Globo, 1976) rebobinar os sucessos iniciais da cantora paulista - criada em Taubaté (SP) - para Celly voltar às paradas. Mas Celly gravou compactos com certa regularidade na primeira metade dos anos 70. Estas raras gravações da rainha da pré-história do rock brasileira foram compiladas pelo produtor e pesquisador Marcelo Fróes no CD Mar de Rosas, lançado neste mês de setembro de 2012 pelo selo Discobertas para festejar os 70 anos que a cantora teria completado em 18 de junho. A capa é a mesma do compacto editado pela Continental em 1971 com as faixas Mar de Rosas (Rose Garden - Joe South na versão de Rossini Pinto que fazia sucesso na época com o grupo The Fevers), Oh! Mama (Deny), Deixe Estar Como Estar (Put Your Hand in the Hand - Gene MacLellan em versão de Rossini Pinto) e Estou Bem (I'm Alright - Bill Anderson em versão de Fred Jorge). Dentre os 12 fonogramas, os quatro primeiros da coletânea - extraídos de compactos gravados pela cantora em 1970 - são os mais raros. Desse lote, vale mencionar o registro da marchinha  Ta-Hi (Pra Você Gostar de Mim) (Joubert de Carvalho), sucesso de Carmen Miranda (1909 - 1955) no Carnaval de 1930. Complemento da caixa Estúpido Cupido (2011), que embalou os álbuns lançados pela cantora na Odeon entre 1959 e 1968, Mar de Rosas abarca também fonogramas dos dois obscuros compactos gravados por Celly para a gravadora RCA entre 1974  e 1976, antes de seu retorno às paradas no rastro do revival promovido pela novela Estúpido Cupido.

10 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Ao retomar sua carreira fonográfica a partir de 1968, após seis anos longe dos holofotes, Celly Campello (1942 - 2003) demorou a reeditar o sucesso que obteve entre 1959 e 1972. Foi preciso a novela Estúpido Cupido (TV Globo, 1976) rebobinar os sucessos iniciais da cantora paulista - criada em Taubaté (SP) - para Celly voltar às paradas. Mas Celly gravou compactos com certa regularidade na primeira metade dos anos 70. Estas raras gravações da rainha da pré-história do rock brasileira foram compiladas pelo produtor e pesquisador Marcelo Fróes no CD Mar de Rosas, lançado neste mês de setembro de 2012 pelo selo Discobertas para festejar os 70 anos que a cantora teria completado em 18 de junho. A capa é a mesma do compacto editado pela Continental em 1971 com as faixas Mar de Rosas (Rose Garden - Joe South na versão de Rossini Pinto que fazia sucesso na época com o grupo The Fevers), Oh! Mama (Deny), Deixe Estar Como Estar (Put Your Hand in the Hand - Gene MacLellan em versão de Rossini Pinto) e Estou Bem (I'm Alright - Bill Anderson em versão de Fred Jorge). Dentre os 12 fonogramas, os quatro primeiros da coletânea - extraídos de compactos gravados pela cantora em 1970 - são os mais raros. Desse lote, vale mencionar o registro da marchinha Ta-Hi (Pra Você Gostar de Mim) (Joubert de Carvalho), sucesso de Carmen Miranda (1909 - 1955) no Carnaval de 1930. Complemento da caixa Estúpido Cupido (2011), que embalou os álbuns lançados pela cantora na Odeon entre 1959 e 1968, Mar de Rosas abarca também fonogramas dos dois obscuros compactos gravados por Celly para a gravadora RCA entre 1974 e 1976, antes de seu retorno às paradas no rastro do revival promovido pela novela Estúpido Cupido.

Luca disse...

coletânea só vale se for assim, com faixas raras

EDELWEISS1948 disse...

MARCELO FROES, GOSTARIA QUE FOSSE LANÇADO TB. O ALBUM QUE CELLY GRAVOU PARA A RCA, INCLUSIVE COM OS EXTRAS. COMO TODO LANÇAMENTO DA DISCOBERTAS ESSE TB SERÁ MUITO BENVINDO.

Denilson Santos disse...

Mauro,

Não seria "entre 1959 e 1962"?

Abração,
Denilson

Mauro Ferreira disse...

Claro, Denilson, grato pelo toque do erro de digitação. Abs, MauroF

Rafael M. disse...

Será que a qualidade técnica do áudio, se é que foi remasterizado das masters originais dos compactos dela também está um "mar de rosas"? Sei não...

Rafael M. disse...

De qualquer forma admiro essa excelente disposição que o Marcelo tem em criar CD's de raras faixas extraídas de compactos dos mais variados cantores. Acho isso incrível!!

EDELWEISS1948 disse...

O SOM DESSE CD ESTÁ OTIMO.

KL disse...

grande artista e mulher linda, que nunca apelou à sensualidade nem aos vulgarismos (tão comuns atualmente) para se promover.

Rafael M. disse...

Tenho uma séria reclamação a fazer sobre erros graves de músicas neste disco "Mar de Rosas" da Celly Campello. Comprei esse disco e fiquei decepcionado com os enormes erros e defeitos que há em algumas canções. Para começar, a canção 2 deste disco "Viver Por Viver (Vivre Pour Vivre)". Essa música nunca foi gravada por Celly, não existe na voz dela. Um segundo grave erro que há nesse disco é justamente nesta mesma faixa 2. Ao invés de ser "Viver Por Viver" no lugar dela está a canção "Só Existe Um Lugar (You Only Live Twice)", interpretada pela cantora Rosely em um raro compacto de 1967. O terceiro erro é que as faixas 3 e 12 desse disco estão com defeitos nas canções, há vários chiados durante vários segundos destas 2 canções. Houve um enorme desleixo do Fróes quanto a esse disco. E eu não paguei barato neste álbum. Espero que na segunda edição deste disco ele possa corrigir todos esses sérios defeitos que há.