Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 1 de julho de 2015

Edição em vinil de 'Estratosférica', disco de Gal, chega ao mercado este mês

Fabricada pela Polysom sob licença da gravadora Sony Music, a edição em vinil de Estratosférica - 33º álbum da discografia solo de Gal Costa - vai chegar ao mercado fonográfico neste mês de julho de 2015. A partir de 13 de julho, o vinil de 140 gramas de Estratosférica já vai estar nas lojas, custando cerca de R$ 80. A edição em vinil reproduz 12 das 14 músicas do CD. Eis - na ordem do LP - a disposição das 12 faixas na edição em vinil de Estratosférica,  o festejado álbum de Gal:

Lado A
1. Sem medo nem esperança (Arthur Nogueira e Antonio Cícero)
2. Jabitacá (José Paes Lira, Junio Barreto e Bactéria)
3. Estratosférica (Céu, Pupillo e Junio Barreto)
4. Ecstasy (João Donato e Thalma de Freitas)
5. Dez anjos (Milton Nascimento e Criolo)
6. Espelho d'água (Marcelo Camelo e Thiago Camelo)
Lado B
1. Quando você olha para ela (Mallu Magalhães)
2. Casca (Jonas Sá e Alberto Continentino)
3. Por baixo (Tom Zé)
4. Amor, se acalme (Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Cezar Mendes)
5. Anuviar (Moreno Veloso e Domenico Lancellotti)
6. Você me deu (Zeca Veloso e Caetano Veloso)

16 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Fabricada pela Polysom sob licença da gravadora Sony Music, a edição em vinil de Estratosférica - 33º álbum da discografia solo de Gal Costa - vai chegar ao mercado fonográfico neste mês de julho de 2015. A partir de 13 de julho, o vinil de 140 gramas de Estratosférica já vai estar nas lojas, custando cerca de R$ 80. A edição em vinil reproduz 12 das 14 músicas do CD. Eis - na ordem do LP - a disposição das 12 faixas na edição em vinil de Estratosférica, o festejado álbum de Gal:

Lado A
1. Sem medo nem esperança (Arthur Nogueira e Antonio Cícero)
2. Jabitacá (José Paes Lira, Junio Barreto e Bactéria)
3. Estratosférica (Céu, Pupillo e Junio Barreto)
4. Ecstasy (João Donato e Thalma de Freitas)
5. Dez anjos (Milton Nascimento e Criolo)
6. Espelho d'água (Marcelo Camelo e Thiago Camelo)
Lado B
1. Quando você olha para ela (Mallu Magalhães)
2. Casca (Jonas Sá e Alberto Continentino, 2010)
3. Por baixo (Tom Zé)
4. Amor, se acalme (Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Cezar Mendes)
5. Anuviar (Moreno Veloso e Domenico Lancellotti)
6. Você me deu (Zeca Veloso e Caetano Veloso)

Rafael M. disse...

Bobagem esse disco fraco de Gal ter uma edição em vinil...

Unknown disse...

O álbum é realmente fantástico. Que cd lindo, moderno, diferente. A Gal Costa tem isso, sempre nos surpreende.

Fabio disse...

Vocês já assistiram a esse video no youtube? Link :https://www.youtube.com/watch?v=XR4GZ7368tQ

Depois que me deliciei com esse registro da turnê do Sorriso do Gato de Alice, posso dizer que fiquei saudosista quanto a voz de Gal.

A voz dela estava no auge naquela época.

Marcelo disse...

Tudo que andam fazendo por Gal agora deveriam ter feito no auge de sua carreira e de sua voz. Vinil, DVDs e afins.

Flavimar Dïniz disse...

Ótima notícia. Uma pena que o encarte do cd é bem pobre, e provavelmente não vão mudá-lo na versão do vinil.

Daทilo disse...

Acho que com esse disco Gal resgata um pouco da aura dos seus primeiros trabalhos como o Legal, 69 e Cantar. E ao mesmo tempo se mistura e legitima a nova geração (embora alguns nem tão novos assim) com uma sonoridade contemporânea. O disco tem a densidade de Criolo, a leveza de Mallu e a do Camelo que pra mim é uma das faixas mais bonitas do disco. Tirar o olho do retrovisor lhe fez muito bem. Se reinventar é fundamental pra se manter interessante. Merece todas as glórias.

Jorge Ramiro disse...

Assisti Gal no Programa Do Jô dia 30/06,segunda-feira dessa semana e achei bacana a ver leve,satisfeita,e parecendo feliz com seu momento de vida.É maravilhoso inclusive ver o quão longe a vida criativa de uma pessoa pode ir.Gal fará 70 anos e ao contrário de atrizes,escritoras,pintoras e outras profissões artísticas,cantar perece,a voz deteriora.Mas mesmo assim vê-se uma mulher tendo a coragem de prosseguir fazendo o que ainda sabe bem fazer,mesmo com uma voz que já não é mais(e isso foi visível especialmente no "Nunca" do Lupicínio Rodrigues)a mesma de outrora.Cantoras tem três destinos possíveis.Morrer no auge e virar lenda.Se aposentar e encerrar um carreira em vida,ou...o que parece ser a escolha de Gal...cantar até o fim.Temos que respeitar sua trajetória e sua vitalidade possível.

Leo-MT disse...

Vi a Gal no Jo Soares esta semana. A voz dela está bem ruim, ela cantando "Nunca" do Lupicínio, foi bem ruim. Voz sem vida, um grave tremido, sem firmeza, o agudo dela foi para o espaço. Olha que sou fã de ter as primeiras edições em CD no Brasil de 88 e 89, ter a caixa Gal Total, vinis e tudo mais. Porém mesmo como fã, eu preciso reconhecer que voz ali não tem mais. É uma pena, mas é a mais pura verdade. A atual Gal é um rascunho da Gal que um dia foi.

lurian disse...

Leo-MT apesar de amar a Gal eu percebi um pouco disso nos 2 ultimos shows que assisti. Acho que ela pode cantar durante muitos anos ainda, a questão é fazer as escolhas certas. Os agudos ela pode deixar um pouco de lado...

noca disse...

É óbvio para todos que a voz jamais será a mesma.Vamos relevar?É o que eu tenho feito.Gosto dessa Gal de agora,desse novo cd.Cabe a ela ser inteligente a ponto de não ultrapassar seus limites atuais e se mostrar genial com os recursos que a experiência e talento lhes assegurou.Apenas.Gostaria muito de ver a Nana,a Beth cantando de pé.Mas não dá mais.É o tempo...

Unknown disse...

Adoro a Gal. Páreo para ela, só a própria nos anos 70 e 80. A voz não é mais a mesma, mas ainda canta muuuuito mais que todas essas novas cantoras candidatas a diva. Acho apenas que ela deveria eliminar de vez os vibratos que evidenciam o desgaste natural da voz. A beleza do timbre permanece e os agudos, em alguns momentos, também.

Jorge Ramiro disse...

Exatamente!Acho que temos de levar em consideração que por mais ARTE que seja,cantar é uma tarefa realizada por um ser humano.É impossível se manter a mesma potência vocal atuando durante 50 anos como Gal Costa atua (ainda!).Eu não tenho contabilizado quantas cantores com 70 anos se mantém atuantes e conquistando fans jovens,interessados em seu trabalho como Gal ainda faz.Muda em cena,por tudo que fez pela música no Brasil,ela ainda vale,MUITO!

Unknown disse...

Meu Deus, quem vai querer isso ?? O CD é ótimo eu adorei este trabalho da Gal. Mas sera que ninguém percebe que neste formato arcaico, ele esta incompleto ?? No CD e no Itunes são 14 faixas. Vocês estão cegos ?

Fernando Lima disse...

A questão é simples. Quem ainda gosta da voz dela que a consuma, como eu, que tenho adorado sua voz madura dela e inteligência ao cantar. Fiquei extasiado com os três últimos shows "Recanto", "Espelho D'Água" e "Canta Lupicínio", sendo que nesse último o desempenho vocal dela me fez vibrar na cadeira. Quem não gostar, que ouça outras vozes.

falandosozinho disse...

É verdade que a voz de Gal envelheceu junto com ela, senti isso neste ultimo trabalho. É claro que temos que relevar isso, não julgar e condenar, pois ela já é uma senhora de quase 70 anos. Vamos pegar leve, pessoal. A idade chegará para todos!