Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


domingo, 19 de julho de 2015

Erasmo contextualiza os 'lados B' de sua discografia na volta de show ao Rio

Mal lançou o kit de CD e DVD Meus lados B por sua gravadora Coqueiro Verde Records, Erasmo Carlos já iniciou a turnê de lançamento deste registro ao vivo do show em que dá voz a músicas menos ouvidas de sua discografia. A estreia da turnê nacional foi no Rio de Janeiro (RJ) - cidade onde o show estreou em 2013 dentro da programação da primeira edição do projeto Inusitado, criado pelo executivo André Midani - em duas apresentações que encheram o Teatro Oi Casa Grande em 17 e 18 de julho de 2015. Falante, o cantor e compositor carioca contextualizou cada música do roteiro - reproduzido em cena tal como no visto no DVD - e ignorou eventuais pedidos de lados A. Na apresentação de ontem, 18 de julho, um espectador pediu em vão Sentado à beira do caminho (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1969), primeiro sucesso do Tremendão após o reinado da Jovem Guarda. Com comentários sempre espirituosos sobre cada música, Erasmo contou que, na sua concepção, Mané João (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1972), era um forrock que acabou carimbado como samba-rock pelo público que cultuava o gênero nos anos 1970. Com humor, o cantor revelou também que seu parceiro Roberto Carlos tentou até o último momento poupar da morte a personagem foliona do samba Cachaça mecânica (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1973). Eis o roteiro seguido em 18 de julho de 2015 por Erasmo Carlos - em foto de Mauro Ferreira - na (re)estreia carioca do show  Meus lados B, no palco do Teatro Oi Casa Grande, no  Rio de Janeiro:

1. Gente aberta (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1971)
2. Amar pra viver ou viver de amor (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1982)
3. A carta (Benil Santos e Raul Sampaio, 1966)
4. O homem da motocicleta (Motorcycle man) (Floyd Robinson em versão de Erasmo Carlos, 1966)
5. Estou dez anos atrasado (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1970)
6. Vou ficar nu para chamar sua atenção (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1969)
7. Dois animais na selva suja da rua (Taiguara, 1971)
8. É preciso dar um jeito, meu amigo (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1971)
9. Maria Joana (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1971)
10. De noite na cama (Caetano Veloso, 1971)
11. Cachaça mecânica (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1973)
12. O comilão (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1973)
13. Mané João (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1972)
14. Paralelas (Belchior, 1975)
15. Abra seus olhos (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1986)
16. Grilos (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1972)
17. Meu mar (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1972)
18. Queremos saber (Gilberto Gil, 1976)
19. Análise descontraída (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1976)
20. Sementes do amanhã (Gonzaguinha, 1984)
Bis:
21. Geração do meio (Narinha e Erasmo Carlos, 1982)
22. 1990 - Projeto Salva Terra (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1974)

3 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Mal lançou o kit de CD e DVD Meus lados B por sua gravadora Coqueiro Verde Records, Erasmo Carlos já iniciou a turnê de lançamento deste registro ao vivo do show em que dá voz a músicas menos ouvidas de sua discografia. A estreia da turnê nacional foi no Rio de Janeiro (RJ) - cidade onde o show estreou em 2013 dentro da programação da primeira edição do projeto Inusitado, criado pelo executivo André Midani - em duas apresentações que encheram o Teatro Oi Casa Grande em 17 e 18 de julho de 2015. Falante, o cantor e compositor carioca contextualizou cada música do roteiro - reproduzido em cena tal como no visto no DVD - e ignorou eventuais pedidos de lados A. Na apresentação de ontem, 18 de julho, um espectador pediu em vão Sentado à beira do caminho (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1969), primeiro sucesso do Tremendão após o reinado da Jovem Guarda. Com comentários sempre espirituosos sobre cada música, Erasmo contou que, na sua concepção, Mané João (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1972), era um forrock que acabou carimbado como samba-rock pelo público que cultuava o gênero nos anos 1970. Com humor, o cantor revelou também que seu parceiro Roberto Carlos tentou até o último momento poupar da morte a personagem foliona do samba Cachaça mecânica (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1973). Eis o roteiro seguido em 18 de julho de 2015 por Erasmo Carlos - em foto de Mauro Ferreira - na (re)estreia carioca do show Meus lados B, no palco do Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro:

1. Gente aberta (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1971)
2. Amar pra viver ou viver de amor (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1982)
3. A carta (Benil Santos e Raul Sampaio, 1966)
4. O homem da motocicleta (Motorcycle man) (Floyd Robinson em versão de Erasmo Carlos, 1966)
5. Estou dez anos atrasado (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1970)
6. Vou ficar nu para chamar sua atenção (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1970)
7. Dois animais na selva suja da rua (Taiguara, 1971)
8. É preciso dar um jeito, meu amigo (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1971)
9. Maria Joana (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1971)
10. De noite na cama (Caetano Veloso, 1971)
11. Cachaça mecânica (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1973)
12. O comilão (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1973)
13. Mané João (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1972)
14. Paralelas (Belchior, 1975)
15. Abra seus olhos (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1986)
16. Grilos (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1972)
17. Meu mar (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1972)
18. Queremos saber (Gilberto Gil, 1976)
19. Análise descontraída (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1976)
20. Sementes do amanhã (Gonzaguinha, 1984)
Bis:
21. Geração do meio (Narinha e Erasmo Carlos, 1982)
22. 1990 - Projeto Salva Terra (Erasmo Carlos e Roberto Carlos, 1974)

Rafael M. disse...

De nada custava ele ter cantado a música "Sentado A Beira do Caminho", mesmo sendo um show de lados B... Mas de qualquer forma este show está imperdível!

Rafael M. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.