Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 17 de julho de 2015

Zélia finaliza álbum autoral de sambas que já vai ser lançado neste semestre

Zélia Duncan vai lançar álbum autoral, de repertório inédito, inteiramente dedicado ao samba. O disco já está em fase de mixagem e tem lançamento previsto para este segundo semestre de 2015. O último álbum da cantora e compositora fluminense, Tudo esclarecido - Zélia Duncan canta Itamar Assumpção (Warner Music, 2012), foi lançado há três anos e gerou show que acabou não sendo perpetuado em DVD, ainda que Zélia tivesse tentado gravá-lo ao vivo no Rio de Janeiro (RJ).

21 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Zélia Duncan vai lançar álbum autoral, de repertório inédito, inteiramente dedicado ao samba. O disco já está em fase de mixagem e tem lançamento previsto para este segundo semestre de 2015. O último álbum da cantora e compositora fluminense, Tudo esclarecido - Zélia Duncan canta Itamar Assumpção (Warner Music, 2012), foi lançado há três anos e gerou show que acabou não sendo perpetuado em DVD, ainda que Zélia tivesse tentado gravá-lo ao vivo no Rio de Janeiro (RJ).

Daทilo disse...

Ela não se repete. Talvez a fase mais longa tenha sido a do início, a fase mais folk. Existem muitas Zélias. Gosto de todas.

italo vinicius disse...

Vem aí coisa muito boa

Rafael M. disse...

Adoro a Zélia, mas por quê essa mania de cantoras de MPB forçarem a barra lançando discos de samba??? Anda tudo muito repetitivo no mercado musical atualmente...

Henrique disse...

Zélia realmente se transforma em outras (bem).

Ramon Ferreira disse...

É uma pena que o "Tudo esclarecido" não tenha sido registrado em show. Espero que a Zélia não se contamine com a síndrome da Calcanhotto que até pouco tempo não fazia registros de belíssimos shows que apresentou ao público.

Marcelo Barbosa disse...

Amo a Zélia cantando samba! Ela cantando Liberdade Plena no disco póstumo de Jovelina Pérola Negra é uma das gravações que mais ouço. De chorar de tão bonito!
Gostaria muito de vê-la num "Eu me transformo em outras - volume II" baseado no repertório do Trio ABC do Samba.

Natival disse...

Zélia, recentemente, relançou, pela Biscoito Fino, o Eu me transformo em outras, uma edição comemorativa de 10 anos. Só assim pude comprar o DVD. Acho que a ideia desse cd vem daí e até a produtora é a mesma: Bia Paes Leme. Sempre torci por um Eu me transformo II, mas acho improvável, porque ia soar formulado e, do que percebo de Zélia, ela evita fórmulas. O segundo motivo para essa improbabilidade é o fato de ela ter vindo de dois projetos de intérprete (Tô tatiando e Tudo Esclarecido). Sobre o registro do Tudo Esclarecido, lamento muito não ter sido feito, mas acho que ela tentou ao máximo. Duvido muito que ela não tenha pensado em registrar um show em homenagem a um compositor que ela tem na mais alta conta. ZD tem registrado todos os shows, desde o Sortimento Vivo, sendo o Tudo Esclarecido o primeiro a não ser registrado. Curiosamente, acho que Adriana Calcanhotto também tem bastante DVD. Com a estabilização da mídia DVD, só me lembro de "Maré" não ter sido lançado, o que foi uma pena, pois era um show lindíssimo.

Sobre a relação de Zélia com o samba, não vejo como algo da moda. Nos anos 90/00, ela participou de edições da “Casa de Samba”, “Cidade do Samba”, “Samba social clube”, “Sambabook”, produziu o disco “Timoneiro”, com vários artistas cantando Hermínio Bello de Carvalho e, a convite desse, editou o “Álbum de retratos” de Dona Ivone Lara, um livreto cheio de imagens bonitas e histórias pitorescas da vida dela. Participou de tributos a Noel Rosa, Maurício Tapajós, Wilson Baptista, Jovelina Pérola Negra, etc. Gravou alguns sambas nos seus discos, como"Na hora da sede", em 2001. No "Eu me transformo em outras", gravou vários. Como compositora, o único registrado em seus discos é “Quisera eu”, parceria com Lulu Santos. ZD tem várias parcerias com Ana Costa e Mart'nália (Novos alvos, Sem perdão a vida é triste solidão, Calma, Antiga, Não sei o que dá, Hoje é o melhor lugar) , duas cantoras e compositoras criadas no samba. Pelo que se noticiou, Roberta Sá deve gravar um inédito dela também. Arlindo Cruz, recentemente, em entrevista à MPB FM disse que gostaria de ver um disco de samba de Zélia. Ela ficou muito feliz. Agora vai realizar o desejo de Arlindo. Minhas torcidas: ela gravar uma dessas parcerias com Mart'nália e Ana Costa e ela ter ganhado algo de Calcanhotto ou que tenham composto juntas. Elas estiveram bem próximas nos últimos tempos.

noca disse...

Zélia tem muito valor mas concordo que disco de homenagem ao samba ficou óbvio e frequente.Deixar o samba morrer um pouquinho não vai deixar ele morrer.Falar nisso sensacional a Cassia Eller abrindo a novela que trata do além.Cassia morreu quando investia mais em seu aprimoramento como intérprete.Sem modismos.Sem tempo.

italo vinicius disse...

Gostei muito do comentário do Nativa ele disse tudo o que me deixa chateado é que pessoas que acompanham o blog do Mauro como eu que o vejo diariamente e que cantores e compositores que se dedicam ao samba são tratados como se estivessem fazendo um trabalho inferior por se tratar de samba na boa nada haver samba é MPB samba é música popular brasileira como foi sitado pelo amigo acima Zélia sempre esteve ligada ao samba por suas participações do gênero e por composições então não vejo o pq do "susto" de alguns e mesmo que ela nunca tivesse pisado nesse terreno o artista tem o livre arbítrio de se reinventar de tentar novas fórmulas e explorar outros caminhos no mais que venha ZD contido seu talento para este novo projeto

Fernando Lima disse...

Natival falou que ZD tentou ao máximo fazer o registro do show de Itamar, mas não consigo acreditar. Quem tentou ao máximo lançar um trabalho foi Leila, que, como último recurso, arrecadou grana na internet e realizou o EP.
Até Sylvia Patrícia, que fez uso do mesmo recuso de Leila, mas não conseguiu bater a meta, conseguiu registrar o DVD proposto.
Realmente, ainda não ouvi explicação crível para a ausência do registro em DVD do "Tudo Esclarecido". Tô revoltado! Rs

rafael h. disse...

Não há moda. Samba é brasileiro. Se deixarem de cantar, aí sim, têm problema. A diferença é cantar com propriedade ou não. Zélia têm propriedade, já fez e faz isso com imenso respeito. Acho justo e sincero da parte dela.

ADEMAR AMANCIO disse...

A MPB é um guarda chuva sonoro que acolhe vários gêneros,principalmente o samba.Mas se gravar um disco só de samba não é MPB,estranho não.

noca disse...

MPB é ou era uma sigla ou gênero muito mais democrático e abrangente que qualquer outro que há pois tudo pode estar ali desde que com muita qualidade.Seu auge foi num período ditatorial politico e de oposição cultural progressista atuante e talentosa.O conservadorismo esta imperando porque essa linha de frente cultural esta muito veiculada ao poder e dependente dele.No caso de Zélia aí é uma repetição sim de um direcionamento de mercado que anda na mesma sintonia da cultura.Segmentação,especialização em demasia porque o povão massa esta cada dia mais sem cultura e so consegue conectar com um gênero hiper do mundinho dele.Brasil..

Marcelo Barbosa disse...

MPB é a sigla que inventaram para classe social na música. Tudo é MPB. Acontece que os elitistas de nariz empinando passaram a classificar a seu bel prazer e deixar de fora o samba, o sertanejo e o forró (Os verdadeiros!! Não as cópias auto denominadas! São três gêneros musicais essencialmente populares e brasileiros). Abs,

Marcelo Barbosa

PS: "Eu não conheço nenhuma música mais popular e brasileira que o SAMBA (Beth Carvalho).

noca disse...

Marcelo...Amo a Beth,bela cantora.Respeito a militância dela apesar de achar exagerada e ostensiva as vezes.Não tem nada mais elitista que o samba carioca.Politicamente está completamente envolvido e cego por forças que governam o país.E o samba que a Beth defende tem conceito de raiz que é algo muito nariz empinado.Todos esses artistas e intelectuais que outrora enriqueceram muito ou se sustentaram com a sigla MPB hj defendem o poder e agora permanecem na boa ao lado de vaidades e ideologias que não estão funcionando bem.E nao estao se reponsabilizando por isso.Ai depreciam esse passado por sobrevivência própria.Beth antes de ser sambista fundamentalista flertou com a MPB e até com a Jovem Guarda.Ai foi excomungando Deus e o mundo.

Marcelo Barbosa disse...

* empinado

Marcelo Barbosa disse...

Você não deixa de ter razão, Noca. Mas o "nariz empinado" vai muito pela deturpação dos ritmos citados a base do auto-sustento das gravadoras. É o sopro de vida de todas elas, oferecer música ruim para o grande público. Tem muito jabá ainda sendo distribuído principalmente nos programas de televisão. Abs

Marcelo Barbosa disse...

E samba é MPB! Abração

noca disse...

Certo Marcelo é claro que sem o samba a MPB não existiria.Quando vc toca em termos como classe social,elitismo,dado o momento político importante e extremo que atravessamos,não há como não considerar que isso não afete nossa cultura.Popular e apoiar quem se faz como popular estando com popularidade abaixo da crítica não tem lógica.A não ser no que eu disse :Apego a vaidades,egos.Abraço grande!!!!

Victor Lobo disse...

Acredito muito na Zélia e ao longo de sua carreira ela demonstrou sua adoração pelo samba. Samba é bom demais, é Brasil, é suor. Em seu último trabalho, inclusive, ela gravou um samba ( maravilhoso) com o Martinho. Não consigo me cercar dessa redoma toda que criam ao redor do samba e dos estereótipos que tentam formar das cantoras que decidem gravá-lo. Acredito na Zélia, que faz tudo sempre com muita verdade. Acredito no samba, desde a sua transformação diretamente ligada ao João Gilberto. Vem coisa boa aí,como veio de Calcanhotto. Tô feliz e ansioso!