Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 1 de julho de 2015

Edição em vinil de 'Estratosférica', disco de Gal, chega ao mercado este mês

Fabricada pela Polysom sob licença da gravadora Sony Music, a edição em vinil de Estratosférica - 33º álbum da discografia solo de Gal Costa - vai chegar ao mercado fonográfico neste mês de julho de 2015. A partir de 13 de julho, o vinil de 140 gramas de Estratosférica já vai estar nas lojas, custando cerca de R$ 80. A edição em vinil reproduz 12 das 14 músicas do CD. Eis - na ordem do LP - a disposição das 12 faixas na edição em vinil de Estratosférica,  o festejado álbum de Gal:

Lado A
1. Sem medo nem esperança (Arthur Nogueira e Antonio Cícero)
2. Jabitacá (José Paes Lira, Junio Barreto e Bactéria)
3. Estratosférica (Céu, Pupillo e Junio Barreto)
4. Ecstasy (João Donato e Thalma de Freitas)
5. Dez anjos (Milton Nascimento e Criolo)
6. Espelho d'água (Marcelo Camelo e Thiago Camelo)
Lado B
1. Quando você olha para ela (Mallu Magalhães)
2. Casca (Jonas Sá e Alberto Continentino)
3. Por baixo (Tom Zé)
4. Amor, se acalme (Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Cezar Mendes)
5. Anuviar (Moreno Veloso e Domenico Lancellotti)
6. Você me deu (Zeca Veloso e Caetano Veloso)

16 comentários:

Mauro Ferreira disse...

♪ Fabricada pela Polysom sob licença da gravadora Sony Music, a edição em vinil de Estratosférica - 33º álbum da discografia solo de Gal Costa - vai chegar ao mercado fonográfico neste mês de julho de 2015. A partir de 13 de julho, o vinil de 140 gramas de Estratosférica já vai estar nas lojas, custando cerca de R$ 80. A edição em vinil reproduz 12 das 14 músicas do CD. Eis - na ordem do LP - a disposição das 12 faixas na edição em vinil de Estratosférica, o festejado álbum de Gal:

Lado A
1. Sem medo nem esperança (Arthur Nogueira e Antonio Cícero)
2. Jabitacá (José Paes Lira, Junio Barreto e Bactéria)
3. Estratosférica (Céu, Pupillo e Junio Barreto)
4. Ecstasy (João Donato e Thalma de Freitas)
5. Dez anjos (Milton Nascimento e Criolo)
6. Espelho d'água (Marcelo Camelo e Thiago Camelo)
Lado B
1. Quando você olha para ela (Mallu Magalhães)
2. Casca (Jonas Sá e Alberto Continentino, 2010)
3. Por baixo (Tom Zé)
4. Amor, se acalme (Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Cezar Mendes)
5. Anuviar (Moreno Veloso e Domenico Lancellotti)
6. Você me deu (Zeca Veloso e Caetano Veloso)

Rafael M. disse...

Bobagem esse disco fraco de Gal ter uma edição em vinil...

Cica Pu disse...

O álbum é realmente fantástico. Que cd lindo, moderno, diferente. A Gal Costa tem isso, sempre nos surpreende.

Fabio disse...

Vocês já assistiram a esse video no youtube? Link :https://www.youtube.com/watch?v=XR4GZ7368tQ

Depois que me deliciei com esse registro da turnê do Sorriso do Gato de Alice, posso dizer que fiquei saudosista quanto a voz de Gal.

A voz dela estava no auge naquela época.

Marcelo disse...

Tudo que andam fazendo por Gal agora deveriam ter feito no auge de sua carreira e de sua voz. Vinil, DVDs e afins.

Flavimar Dïniz disse...

Ótima notícia. Uma pena que o encarte do cd é bem pobre, e provavelmente não vão mudá-lo na versão do vinil.

Daทilo disse...

Acho que com esse disco Gal resgata um pouco da aura dos seus primeiros trabalhos como o Legal, 69 e Cantar. E ao mesmo tempo se mistura e legitima a nova geração (embora alguns nem tão novos assim) com uma sonoridade contemporânea. O disco tem a densidade de Criolo, a leveza de Mallu e a do Camelo que pra mim é uma das faixas mais bonitas do disco. Tirar o olho do retrovisor lhe fez muito bem. Se reinventar é fundamental pra se manter interessante. Merece todas as glórias.

Jorge Ramiro disse...

Assisti Gal no Programa Do Jô dia 30/06,segunda-feira dessa semana e achei bacana a ver leve,satisfeita,e parecendo feliz com seu momento de vida.É maravilhoso inclusive ver o quão longe a vida criativa de uma pessoa pode ir.Gal fará 70 anos e ao contrário de atrizes,escritoras,pintoras e outras profissões artísticas,cantar perece,a voz deteriora.Mas mesmo assim vê-se uma mulher tendo a coragem de prosseguir fazendo o que ainda sabe bem fazer,mesmo com uma voz que já não é mais(e isso foi visível especialmente no "Nunca" do Lupicínio Rodrigues)a mesma de outrora.Cantoras tem três destinos possíveis.Morrer no auge e virar lenda.Se aposentar e encerrar um carreira em vida,ou...o que parece ser a escolha de Gal...cantar até o fim.Temos que respeitar sua trajetória e sua vitalidade possível.

Leo-MT disse...

Vi a Gal no Jo Soares esta semana. A voz dela está bem ruim, ela cantando "Nunca" do Lupicínio, foi bem ruim. Voz sem vida, um grave tremido, sem firmeza, o agudo dela foi para o espaço. Olha que sou fã de ter as primeiras edições em CD no Brasil de 88 e 89, ter a caixa Gal Total, vinis e tudo mais. Porém mesmo como fã, eu preciso reconhecer que voz ali não tem mais. É uma pena, mas é a mais pura verdade. A atual Gal é um rascunho da Gal que um dia foi.

lurian disse...

Leo-MT apesar de amar a Gal eu percebi um pouco disso nos 2 ultimos shows que assisti. Acho que ela pode cantar durante muitos anos ainda, a questão é fazer as escolhas certas. Os agudos ela pode deixar um pouco de lado...

noca disse...

É óbvio para todos que a voz jamais será a mesma.Vamos relevar?É o que eu tenho feito.Gosto dessa Gal de agora,desse novo cd.Cabe a ela ser inteligente a ponto de não ultrapassar seus limites atuais e se mostrar genial com os recursos que a experiência e talento lhes assegurou.Apenas.Gostaria muito de ver a Nana,a Beth cantando de pé.Mas não dá mais.É o tempo...

Val Js disse...

Adoro a Gal. Páreo para ela, só a própria nos anos 70 e 80. A voz não é mais a mesma, mas ainda canta muuuuito mais que todas essas novas cantoras candidatas a diva. Acho apenas que ela deveria eliminar de vez os vibratos que evidenciam o desgaste natural da voz. A beleza do timbre permanece e os agudos, em alguns momentos, também.

Jorge Ramiro disse...

Exatamente!Acho que temos de levar em consideração que por mais ARTE que seja,cantar é uma tarefa realizada por um ser humano.É impossível se manter a mesma potência vocal atuando durante 50 anos como Gal Costa atua (ainda!).Eu não tenho contabilizado quantas cantores com 70 anos se mantém atuantes e conquistando fans jovens,interessados em seu trabalho como Gal ainda faz.Muda em cena,por tudo que fez pela música no Brasil,ela ainda vale,MUITO!

Mauro Silva disse...

Meu Deus, quem vai querer isso ?? O CD é ótimo eu adorei este trabalho da Gal. Mas sera que ninguém percebe que neste formato arcaico, ele esta incompleto ?? No CD e no Itunes são 14 faixas. Vocês estão cegos ?

Fernando Lima disse...

A questão é simples. Quem ainda gosta da voz dela que a consuma, como eu, que tenho adorado sua voz madura dela e inteligência ao cantar. Fiquei extasiado com os três últimos shows "Recanto", "Espelho D'Água" e "Canta Lupicínio", sendo que nesse último o desempenho vocal dela me fez vibrar na cadeira. Quem não gostar, que ouça outras vozes.

falandosozinho disse...

É verdade que a voz de Gal envelheceu junto com ela, senti isso neste ultimo trabalho. É claro que temos que relevar isso, não julgar e condenar, pois ela já é uma senhora de quase 70 anos. Vamos pegar leve, pessoal. A idade chegará para todos!