Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Sensual 'showman', Timberlake comanda (bem) a massa no 'Rock in Rio'

Resenha de show - Rock in Rio 2013
Título: Justin Timberlake
Artista: Justin Timberlake
Local: Palco Mundo - Cidade do Rock (Rio de Janeiro, RJ)
Data: 16 de setembro de 2013
Foto: Divulgação Rock in Rio 2013 / Estácio - Rafael Arruda
Cotação: * * * * 1/2

É sintomático que Justin Timberlake tenha incluído Shake your body (Down to the ground) (Michael Jackson e Randy Jackson, 1978) no roteiro do show que apresentou no Rock in Rio 2013 já na madrugada desta segunda-feira, 16 de setembro. Além de ter turbinado show moldado para fazer o público chacoalhar o esqueleto, o sucesso dançante do grupo The Jacksons reiterou a influência que a obra de Michael Jackson (1958 - 2009) exerce sobre esse cantor e compositor norte-americano que cresceu e apareceu há onze anos com um primeiro álbum solo, Justified (2002), que o livrou da condenação pelo seu passado como integrante da boyband 'NSync. Com ecos também da música de Prince, tanto no groove como nos eventuais falsetes do cantor, o som de Timberlake é bem temperado coquetel pop de soul,  r & b e disco music, aditivado com a inevitável dose de rap. Em sua azeitada apresentação no Rock in Rio 2013, o cantor se mostrou um perfeito showman, se portando como entertainer que cantou bem, dançou com destreza e comandou a massa com a segurança de quem sabe o que faz e o que quer. Espécie de baile contemporâneo, o show de Timberlake já começou na pressão, com Like I love you (Chad Hugo e Pharrell Williams, 2002) - música de seu primeiro álbum, do qual o cantor reviveu também músicas como Cry me a river (Tim Mosley e Scott Storch, 2002) e Señorita (Chad Hugo e Pharrell Williams, 2002) - e manteve o pique. Pelo fato de ainda não ter estreado a turnê mundial inspirada em seu terceiro álbum, o projeto duplo The experience 20 / 20 (2013), o artista fez show escorado em seu passado, ainda que músicas de seu atual álbum, como Suit & tie (Justin Timberlake, Timothy Mosley, Jerome Harmon, Shawn Carter, James Fauntleroy, Johnny Wilson e Terence Stubbs e Charles Still, 2013) - soul que evoca a atmosfera vintage dos bailes de gala - e a sedutora balada Mirrors (Justin Timberlake, Timothy Mosley, Jerome Harmon e  James Fauntleroy, 2013), tenham aparecido na inebriante sequência final do show. Antes, a sagaz lembrança de sucesso do grupo australiano INXS, Need you tonight (Andrew Farriss e Michael Hutchence, 1987), caiu muito bem no show, tendo sua sensualidade realçada por Timberlake. Condutor seguro de apresentação valorizada por naipe de metais em brasa e por ótimas vocalistas, o Príncipe do pop justificou a alta expectativa depositada em seu show no Rock in Rio 2013. A experiência de vê-lo (solo) no Brasil foi ótima.

5 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Visite a página de Notas Musicais no Facebook.

Alexandre Henrique disse...

Só uma correção: a banda INXS é australiana.
Ótimo review!

Mauro Ferreira disse...

Claro, Alexandre, grato pelo toque. Já consertei o texto. Abs, MauroF

Sandro CS disse...

Concordo em gênero, número e grau com tudo que o Mauro escreveu, mas não dá para não mencionar a fantástica (e gigantesca) banda que acompanha o JT, com inacreditáveis metais, formando uma massa sonora digna de um show do Earth Wind & Fire e afins! E ainda tem os vocais de apoio, um verdadeiro conjunto, que fizeram toda a diferença nas canções.

Mauro Ferreira disse...

Tem toda razão, Sanro CS. Tanto que alterei o texto para falar dos metais e das vocalistas. Abs, obrigado