Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Caetano representa Brasil em Grammy Latino que minimiza som do país

A divulgação da longa lista de indicados ao 14º Grammy Latino mostra que, mais uma vez, a vertente latina do prêmio minimiza a produção fonográfica nacional. Caetano Veloso (em foto de Fernando Young), Clarice Falcão e Roberto Carlos são os únicos brasileiros que disputam as mais importantes categorias gerais. Com cinco indicações ao todo, o compositor concorre ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Compositor com seu CD Abraçaço (2012), cuja faixa-título, Um abraçaço (Caetano Veloso), está no páreo para levar os prêmios de Canção do AnoGravação do Ano. Clarice Falcão - a cantora que virou sensação entre o público jovem com seu álbum Monomania (2013) - disputa o Grammy Latino de Novo Artista. Já Roberto Carlos concorre ao prêmio de Melhor Canção com Esse cara sou eu (Roberto Carlos, 2012). No mais, os artistas brasileiros ficaram confinados às categorias dedicadas à produção nacional - uma maneira política de inserir a produção fonográfica nacional no prêmio, mas sempre de forma periférica, sem chances de abocanhar os troféus principais, aos quais concorrem artistas de vários países. Tanto que não há sequer um disco brasileiro entre os 10 CDs indicados ao prêmio de Álbum do Ano. Eis os indicados ao 14º Grammy Latino nas categorias principais do prêmio de 2013, cuja entrega está programada para 21 de novembro de 2013 em Los Angeles (EUA):

Álbum do ano:
Corazón profundo - Carlos Vives
En español - Natalie Cole
Escultura - Guaco
La música no se toca - Alejandro Sanz
Lo mejor que hay en mi vida - Andrés Cepeda
Papitwo - Miguel Bosé
Presente - Bajofondo
Tanto - Pablo Alborán
Versiones - Gian Marco
Vida - Draco Rosa

Canção do ano
Esse cara sou eu (Roberto Carlos) - Roberto Carlos
La que me gusta (José Luis Pardo) - Los Amigos Invisibles
Llorar (Jesse & Joy) - Jesse & Joy (com Mario Domm)
Lo mejor que hay en mi vida (Amaury Gutierrez) - Andrés Cepeda
Mi marciana (Alejandro Sanz) - Alejandro Sanz
Mi novia se me esta poniendo vieja (Ricardo Arjona) - Ricardo Arjona
Se yo fuera tu (Jorge Luis Piloto) - Gilberto Santa Rosa
Solo el amor nos salvará (Syntek) - Syntek com Malu
Um abraçaço (Caetano Veloso) - Caetano Veloso
Volví a nacer - Carlos Vives


Gravação do ano:
Bachata Rosa - Natalie Cole com Juan Luis Guerra
Desde lejos - Santiago Cruz
La nave del olvido - Buika
Lo mejor que hay en mi vida - Andrés Cepeda
Más y más - Draco Rosa (com Ricky Martin)
Mi marciana - Alejandro Sanz
Tanto - Pablo Alborán
Um abraçaço - Caetano Veloso

Vivir mi vida - Marc Anthony
Volví a nacer - Carlos Vives


Novo artista:
A Band of Bitches
Clarice Falcão
EliaCim
Gaby Moreno
Jesús Hidalgo
Leslie Cartaya
Maluma
Milton Salcedo
Mojito Lite
Quattro

9 comentários:

Mauro Ferreira disse...

A divulgação da longa lista de indicados ao 14º Grammy Latino mostra que, mais uma vez, a vertente latina do prêmio minimiza a produção fonográfica nacional. Caetano Veloso (em foto de Fernando Young), Clarice Falcão e Roberto Carlos são os únicos brasileiros que disputam as mais importantes categorias gerais. Com cinco indicações ao todo, o compositor concorre ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Compositor com seu CD Abraçaço (2012), cuja faixa-título, Um abraçaço (Caetano Veloso), está no páreo para levar os prêmios de Canção do Ano e Gravação do Ano. Clarice Falcão - a cantora que virou sensação entre o público jovem com seu álbum Monomania (2013) - disputa o Grammy Latino de Novo Artista. Já Roberto Carlos concorre ao prêmio de Melhor Canção com Esse cara sou eu (Roberto Carlos, 2012). No mais, os artistas brasileiros ficaram confinados às categorias dedicadas à produção nacional - uma maneira política de inserir a produção fonográfica nacional no prêmio, mas sempre de forma periférica, sem chances de abocanhar os troféus principais, aos quais concorrem artistas de vários países. Tanto que não há sequer um disco brasileiro entre os 10 CDs indicados ao prêmio de Álbum do Ano. Eis os indicados ao 14º Grammy Latino nas categorias principais do prêmio de 2013, cuja entrega está programada para 21 de novembro de 2013 em Los Angeles (EUA):

Álbum do ano:
Corazón profundo - Carlos Vives
En español - Natalie Cole
Escultura - Guaco
La música no se toca - Alejandro Sanz
Lo mejor que hay en mi vida - Andrés Cepeda
Papitwo - Miguel Bosé
Presente - Bajofondo
Tanto - Pablo Alborán
Versiones - Gian Marco
Vida - Draco Rosa

Canção do ano
Esse cara sou eu (Roberto Carlos) - Roberto Carlos
La que me gusta (José Luis Pardo) - Los Amigos Invisibles
Llorar (Jesse & Joy) - Jesse & Joy (com Mario Domm)
Lo mejor que hay en mi vida (Amaury Gutierrez) - Andrés Cepeda
Mi marciana (Alejandro Sanz) - Alejandro Sanz
Mi novia se me esta poniendo vieja (Ricardo Arjona) - Ricardo Arjona
Se yo fuera tu (Jorge Luis Piloto) - Gilberto Santa Rosa
Solo el amor nos salvará (Syntek) - Syntek com Malu
Um abraçaço (Caetano Veloso) - Caetano Veloso
Volví a nacer - Carlos Vives

Gravação do ano:
Bachata Rosa - Natalie Cole com Juan Luis Guerra
Desde lejos - Santiago Cruz
La nave del olvido - Buika
Lo mejor que hay en mi vida - Andrés Cepeda
Más y más - Draco Rosa (com Ricky Martin)
Mi marciana - Alejandro Sanz
Tanto - Pablo Alborán
Um abraçaço - Caetano VelosoVivir mi vida - Marc Anthony
Volví a nacer - Carlos Vives

Novo artista:
A Band of Bitches
Clarice Falcão
EliaCim
Gaby Moreno
Jesús Hidalgo
Leslie Cartaya
Maluma
Milton Salcedo
Mojito Lite
Quattro

Sandro Mendes disse...

Da lavra do "Super" Caetano Veloso: " toda essa gente se engana ou então finge que não vê que eu nasci pra ser o superbacana".

Amo muito "Esse Cara".

Damião Costa disse...

Se não tiver marmelada o rei vai levar o de melhor canção

Damião Costa disse...

Não é só Caetano e o Rei?

Marcelo Barbosa disse...

O Eterna Alegria não foi indicado?
Lamento, pois num ano em que a Dona Alcione mereceria de fato ser e ganhar, acabou nem sendo.
Abs

Danilo Casaletti disse...

"Os artistas brasileiros ficaram confinados às categorias dedicadas à produção nacional - uma maneira política de inserir a produção fonográfica nacional no prêmio, mas sempre de forma periférica"

Mas o Brasil mesmo trata mal seus artistas…

O projeto do Gil, indicado como melhor álbum de MPB, quando fui assistir, não estava com a sala lotada. Fora a grande mídia que já conhecemos, quem falou dele?

Edu Lobo idem. Um disco lindo e ignorado por aqui.

Disco como "100 anos de Herivelto", do Thiago Marques Luiz, feito na raça, estar indicado é um grande feito. Um produtor não manjado sendo reconhecido pela turma do Grammy e um compositor esquecido dos brasileiros sendo reverenciado.

O novo da Elba também um ótimo trabalho, com um show vibrante. Ignorado igualmente.

Enfim, salve a música brasileira. Mas salvem mesmo!

paulo sergio disse...

Um quilo de tomates, de pregos, de CDs...
Tanto faz!

Márcio disse...

Repito o comentário que já fiz em outros anos: se o Grammy Latino já não tem lá grande importância (até o Grammy original está caidaço), as categorias criadas apenas para dar prêmios a artistas brasileiras têm importância praticamente zero!

ADEMAR AMANCIO disse...

Só faltava aquela música chatinha do Roberto carlos ganhar.Bem se vê que a mediocridade é um produto globalizado.