Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Célia grava novas de Fátima e Joyce em álbum que traduz SP via Gil e Criolo

♪ Célia ganhou músicas inéditas das compositoras Fátima Guedes e Joyce Moreno para incluir no disco que começa a gravar nesta segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014. Produzido por Thiago Marques Luiz para seu recém-aberto selo Nova Estação, o 13º álbum da cantora paulistana - em foto de Jardiel Carvalho - vai moldar retrato contemporâneo da cidade de São Paulo (SP) através de músicas como  Punk da periferia (Gilberto Gil, 1983)  e  Não existe amor em SP (Criolo, 2011).

7 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Célia ganhou músicas inéditas das compositoras Fátima Guedes e Joyce Moreno para incluir no disco que começa a gravar nesta segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014. Produzido por Thiago Marques Luiz para seu recém-aberto selo Nova Estação, o 13º álbum da cantora paulistana - em foto de Jardiel Carvalho - vai moldar retrato da cidade de São Paulo (SP) através de músicas como Punk da periferia (Gilberto Gil, 1983) e Não existe amor em SP (Criolo, 2011).

Tombom disse...

Que seja muito bem-vindo este novo CD! Célia é ótima!

Rafael M. disse...

Ótima notícia! Já estava sentindo falta de um novo disco da grande Célia! Bom saber que cantará inéditas da igualmente ótima Fátima Guedes e Joyce.

Rafael M. disse...

Adorei também saber que ela regravará "Não Existe Amor Em SP"... Para mim é uma das mais belas canções do Criolo e ficará perfeita na voz dela...

Marcelo disse...

Célia é ótima... só falta fazer shows no Rio!!! :)

lurian disse...

Célia está numa fase esplendorosa. Isso se reflete no desejo dos grandes compositores fazerem inéditas pra ela. Muito boa notícia.

Bruno Cavalcanti disse...

Incrível como a Célia se reinventa e não para! E ainda assim, tem tão pouco espaço não só na mídia, mas na própria indústria. São poucos os shows de turnê de disco que ela consegue fazer, normalmente são aqueles espetáculos de baile da saudade. Pena.