Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Veto faz CD de Jussara ir para fábrica sem faixa-título, 'Ame ou se Mande'

Registro de estúdio do irretocável show Ame ou se Mande, o sexto disco de Jussara Silveira está indo para a fábrica nesta segunda-feira, 12 de setembro de 2011, sem a faixa-título. Os representantes dos compositores da canção Love or Leave me, Walter Donadson e Gus Kahn, não autorizaram a versão em português desse standard norte-americano de 1928, feita por Luis Ariston. Apesar do veto, o disco - cuja capa mostra a cantora em foto de Sérgio Guerra - teve conservado o título original, já que Ame ou se Mande é o nome do show que o inspirou. Nas lojas em outubro, em edição da gravadora Joia Moderna que vai ser distribuída pela Tratore, o álbum foi gravado nos estúdios Zaga Music, no Rio de Janeiro (RJ), com produção do percussionista Marcelo Costa e do tecladista Sacha Amback, músicos que acompanham Jussara Silveira no show. Eis as 11 músicas gravadas pela cantora no disco Ame ou se Mande:

1. A Voz do Coração (Celso Fonseca e Ronaldo Bastos)
2. Ifá (Cézar Mendes e José Carlos Capinam)
3. Madre Deus (Caetano Veloso)
4. Contato Imediato (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte)
5. Marcianita (José Imperatore Marcone e Galvarino Villota Alderete em versão de Fernando César)
6. Bom (André Carvalho e Quinho)
7. O Dia que Passou (Toni Costa e Luís Ariston)
8. Tenho Dó das Estrelas (José Miguel Wisnik sobre poema de Fernando Pessoa)
9. Doce Esperança (Roberto Mendes e Jota Velloso)
10. Babylon (Zeca Baleiro)
11. De um Rolê (Moraes Moreira e Luiz Galvão)

10 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Registro de estúdio do irretocável show Ame ou se Mande, o sexto disco de Jussara Silveira está indo para a fábrica nesta segunda-feira, 12 de setembro de 2011, sem a faixa-título. Os representantes dos compositores da canção Love or Leave me, Walter Donadson e Gus Kahn, não autorizaram a versão em português desse standard norte-americano de 1928, feita por Luis Ariston. Apesar do veto, o disco - cuja capa mostra a cantora em foto de Sérgio Guerra - teve conservado o título original, já que Ame ou se Mande é o nome do show que o inspirou. Nas lojas em outubro, em edição da gravadora Joia Moderna que vai ser distribuída pela Tratore, o álbum foi gravado nos estúdios Zaga Music, no Rio de Janeiro (RJ), com produção do percussionista Marcelo Costa e do tecladista Sacha Amback, músicos que acompanham Jussara Silveira no show. Eis as 11 músicas gravadas pela cantora no disco Ame ou se Mande:

1. A Voz do Coração (Celso Fonseca e Ronaldo Bastos)
2. Ifá (Cézar Mendes e José Carlos Capinam)
3. Madre Deus (Caetano Veloso)
4. Contato Imediato (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte)
5. Marcianita (José Imperatore Marcone e Galvarino Villota Alderete em versão de Fernando César)
6. Bom (André Carvalho e Quinho)
7. O Dia que Passou (Toni Costa e Luís Ariston)
8. Tenho Dó das Estrelas (José Miguel Wisnik sobre poema de Fernando Pessoa)
9. Doce Esperança (Roberto Mendes e Jota Velloso)
10. Babylon (Zeca Baleiro)
11. De um Rolê (Moraes Moreira e Luiz Galvão)

José Junior disse...

Capa extraordinária, repertório irretocável. Uma mulher, uma beleza que me aconteceu. Não vejo a hora

lurian disse...

E...Jussara não tinha uma outra música na manga pra suprir a falta? Tantos anos esperando um disco e lá vem mais um punhado de regravações (?)...
A propósito, regravar Marcianita pra que? Música datada que Gal Costa regravou não faz tanto tempo assim... sinceramente ouvi o show e não achei tão irretocável quanto você Mauro. esperava algo à altura de Entre o amor e o mar.

Gill disse...

Quantas gravações já conhecidas... Acho que os fãs do ineditismo não vão gostar.

Por outro lado, Jussara é uma cantora que nunca me convenceu de nada. Nada em sua carreira nunca me interessou. Vou ouvir este para ver se mudo de ideia.

KL disse...

Ironicamente, a melhor faixa ficou de fora: a versão de Ariston não está à altura da canção original mas seria uma chance a mais para provar que as cantoras contemporâneas precisam, antes de tudo, gravar boas composições. Felizmente, Jussara não compõe e não paga mico como suas colegas Marisa, Wanessa, Sandy, Adriana, Céu, Thaís, Tulipa etc, cujos discos "autorais" são uma piada.
Em relação ao canto, JS precisa empostar a voz, que é bonita mas, atualmente, lembra muito a forma equivocada com que Gal Costa se apresenta em disco e show desde os anos 1990.
Se aparar as arestas, o resultado será duas vezes melhor.

Pedro Progresso disse...

A capa está linda!
Adoro "Doce esperança", sempre esperei que alguém redescobrisse essa canção (embora a gravação de Daniela seja ótima).

Jeferson Garcia disse...

Capa lindíssima pra coroar um dos showa mais bonitos do ano feito por uma das melhores cantoras brasileiras da atualidade, ou seja, já nasceu clássico!

Johnny Cesar disse...

Mauro,
Quanto sub crítico aqui, tão amargos com a Jussara e com as outras... o show foi lindo e está a altura da grande cantora que ela é... Com cereteza KL deve achar o máximo axés e Gadus.... but...

guima disse...

Aos detratores de plantão: Jussara será uma das poucas que FICARÁ na nova história da MPB!Assim como Bethânia, Gal, Elis ficaram, Jussara também se eternizará!
Bjs para ela. Aguardo o novo rebento!

KL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.