Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


terça-feira, 27 de setembro de 2011

Tulipa lança 'Efêmera' em vinil e põe no ar o clipe da faixa-título do álbum

Primeiro incensado álbum da cantora e compositora paulista Tulipa Ruiz, Efêmera (2010) está sendo lançado em vinil, já à venda por R$ 50 no site oficial da Vinyland. Destaque do ano fonográfico de 2010, Efêmera sai em vinil após ter tido cerca de nove mil cópias vendidas no formato de CD em comercialização artesanal comandada pela própria Tulipa. Paralelamente, a cantora põe no ar o clipe da melhor música do disco - a faixa-título, Efêmera - em parceria com a MTV, emissora que vai exibir o vídeo a partir de segunda-feira, 3 de outubro de 2011.

31 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Primeiro incensado álbum da cantora e compositora paulista Tulipa Ruiz, Efêmera (2010) está sendo lançado em vinil, já à venda por R$ 50 no site oficial da Vinyland. Destaque do ano fonográfico de 2010, Efêmera sai em vinil após ter tido cerca de nove mil cópias vendidas no formato de CD em comercialização artesanal comandada pela própria Tulipa. Paralelamente, a cantora põe no ar o clipe da melhor música do disco - a faixa-título, Efêmera - em parceria com a MTV, emissora que vai exibir o vídeo a partir de segunda-feira, 3 de outubro de 2011.

José Junior disse...

Efêmera, mesmo nessa avalanche de lançamentos, ainda dá muito caldo. Agora em vinil outra oportunidade de ouvir de novo um dos discos responsáveis pela virada da musica pop no Brasil

Zé Henrique disse...

Realmente não consigo gostar do som dessa mocinha. É tão trivial...
Até a Nação Zumbi ela afundou no Rock in Rio.

Fabio disse...

Nao achei o disco na loja virtual. Só importando? Mauro, será distribuido em lojas físicas?

Felipe Grilo disse...

O link da loja de vinil tá errado, é essa aqui: http://vinyllandrecords.com/pt/releases/efemera/

lurian disse...

Zé Henrique, concordo com você. Muita festa por pouca coisa. Um disco mediano e nada mais que isso. Falar de "virada da música pop no Brasil"? Que inovação ela trouxe que eu não percebi até agora?

Palavras Proibidas disse...

Por que Tulipa e Marcelo Jeneci deixaram para gravar os clipes somente agora perto do VMB 2011 já quse suas músicas de trabalho foram lançadas a um bom tempo??? Não me surpreenderá se eles forem os grandes vencedores da premiação.

melo disse...

Tulipa é pop na medida certa...O show é uma delícia e o som do meu carro não para de tocar seu cd...

KL disse...

o título define bem o que é esse tipo de música sem forma nem conteúdo que se produz atualmente no segmento m-pop-b. Para quem gosta das frases pueris ou desconexas das "compositoras" pós-1989, é um prato cheio. Eu não consigo escutar nem 2 minutos.

Zé Henrique disse...

O KL parece um vinil arranhado.
Troca a faixa, man!
Pode crer, Lurian. Mas acho bacana essa diversidade de cantoras, cada um escolhe a que mais lhe agrada.
Tem pra todo mundo, menos para o KL que tá com o vinil das irmãs Batista arranhado.

KL disse...

Zé Henrique,

Ninguém vai me obrigar a engolir o lixo cultural da contemporaneidade. Se é atual e bom, eu ouço. Se não é, eu fico em 1979 com muito prazer.
E, sinceramente, eu prefiro um vinil arranhado das irmãs Batista do que um cd novinho desses vexames guturais que você chama de cantoras. Elas são a perfeita caricatura de um artista, mas o problema maior não são elas - que querem espertamente vender seu peixe - mas sim o público que paga por isso e empobrece mais ainda a sua alma com bobagens. Shoppenhauer dizia que, quando se ocupa a mente com o que não presta, o homem emburrece.

Au revoir.

falsobrilhante disse...

Concordo inteiramente com o KL.

Carla disse...

A voz dela me irrita, do Marcelo eu gosto sinto vontade sempre de ouvir ele...essa Tulipa nao sei uma musica.
PS: Agora quem mudou muita coisa foi a CÉU, a unica que nao tem cara de mpb tradicional, ela nao tem a voz de todos os tempos, mas tem o som mais diferente e proprio de todos os tempos na maior humildade. Entao nem tudo ta perdido.

Zé Henrique disse...

Kl, vc engole ou deixa de engolir o que vc quiser, cara.
Só pedi pra vc trocar a ladainda/faixa do vinil.
Já encheu. Fale coisas novas...
Quanto a Shoppenhauer, o que não presta é um conceito tão vago...
Além do mais, tem gente que é culta e é burra.
Se encastelar no seu mundinho é burrice das grandes.

PS: Ouça Céu, quem sabe vc não é teletransportado para o presente.
No céu acontecem milagres. rsrsrs

Mauro Ferreira disse...

KL e Zé Henrique, por favor, não levem a discussão para o campo pessoal. Vamos respeitar as opiniões alheias - mesmo as mais radicais - pelo bem de todos e do blog. Abs, obrigado, MauroF

Zé Henrique disse...

Tranquilo, Mauro.
Não teve nada de pessoal, eu até gosto dele.

KL disse...

Zé Henrique,

Para Schoppenhauer, o que não presta não tem nada de vago: trata-se, pelo que entendi, de prato requentado, ideia plagiada, o novo pelo novo. Para tanto, ele recomenda sempre beber na fonte.

Entenda como quiser; e o "até gosto dele" (referindo-se a mim no recado a Mauro) foi bacana, obrigado.

KL disse...

Mauro,

Sinta-se à vontade para não publicar algum comentário meu que você considere inadequado ao contexto. Como diz aquela cançoneta de Lulu e Nelson Motta, "tudo o que cala fala mais alto ao coração". Obrigado pelo toque.

Abraço!
P.S.: acho que, agora, só vou comentar os seus posts que falem sobre sobre relançamentos até os 1970´s. Assim, só tecerei elogios e, ao mesmo tempo, evitarei o patrulhamento ideológico.

Marcelo disse...

KL, acho suas colocações muito apropriadas. Sem falar que hj qdo vc ouve alguma cantora não consegue saber quem é. Uma falta de personalidade gritante. E sobre esse post da Tulipa. Acho essa cantora uma mera cantora de barzinho, sem demérito algum, diga-se de passagem. Mas não acrescenta absolutamente nada!!!

Luca disse...

KL, entendi que o Mauro não quer te censurar, só tá pedindo pra discussão não cair no ataque pessoal.

lurian disse...

Tulipa é uma cantora boa no que se propõe: cantar músicas leves, descompromissadas, pueris. Não a sinto com propósitos de densidade. Nessa seara ela se pode se dar bem, receber elogios. Apesar de não gostar muito do timbre dela não faço deméritos, mas acho que a crítica supervalorizou demais o disco Efêmera.

melo disse...

Em defesa de Tulipa!!! Seria uma maravilha se as cantoras de barzinho cantassem como ela... Sua música não é óbvia, é doce, e sua música foge da MPB tradicional. O cd merece ser ouvido por completo...

Rhenan Rodrigo disse...

Adoro a Tulipa, com certeza uma das melhores "neodivas". Canta e compõe muitíssimo bem, "efêmera" é um disco delicioso de se ouvir. Espero q ela tenha sempre o espaço que merece.

Caio Faiad disse...

Eu só acho que as opiniões do KL são bem superficiais. Se não gosta de uma cantora dê o reais motivos: não gosto da voz de soprano dela, acho sua apresentação ao vivo sem expressividade, há exageros de agudos em seus arranjos, a cantora de tal utiliza de mais o vibrato entre outras justificativas mais técnicas...Qualquer coisa que seja diferente de "não aguento lixo cultural", "estou tão contente com esse laçamento como uma placa de isopor", "música sem forma e sem conteúdo". é esse tipo de discurso que irrita, um discurso pautado no preconceito musical.

dude disse...

Zé,

tô meio afastado do blog (apesar de ainda ler bastante) e total distante dos comentários. Mas te ler é sempre um prazer total. Me divirto. Quanto à Tulipa, curto um bocado. Boa cantora, boas canções, postura simples. Se não exagerarem nos elogios - não tem nada de muito novo mesmo - fica como uma uma artista bacana, interessante. O que já me parece o bastante. Só sei dançar com você é uma lindeza. Grande abraço, meu caro.

Anderson Falcão
Brasília - DF
ouvindo LoveLeeRita - Ná Ozzetti

dude disse...

Zé,

tô meio afastado do blog (apesar de ainda ler bastante) e total distante dos comentários. Mas te ler é sempre um prazer total. Me divirto. Quanto à Tulipa, curto um bocado. Boa cantora, boas canções, postura simples. Se não exagerarem nos elogios - não tem nada de muito novo mesmo - fica como uma uma artista bacana, interessante. O que já me parece o bastante. Só sei dançar com você é uma lindeza. Grande abraço, meu caro.

Anderson Falcão
Brasília - DF
ouvindo LoveLeeRita - Ná Ozzetti

KL disse...

QUATRO-EM-UM:


Falsobrilhante,

Muito obrigado!


Mercelo,

Você completou bem: a falta de personalidade e de originalidade.


Luca,

Não sugeri que Mauro quisesse me censurar; foi apenas um pedido sincero meu.


Caio,

A maioria dos meus comentários "superficiais" (opinião sua) não pretendem mesmo dar detalhes porque seria absoluta falta de tempo especificar tanto. Aliás, uma boa parte aqui não se atém a aspectos musicais, e sim a achismos. Daí, é justo e democrático que eu também coloque os meus, porém sem essa de preconceito pois, antes de comentar, eu ouço tudo com atenção. Aqui foi citada Céu, por exemplo, e ninguém reclamou. Se fosse eu, diriam: "Para falar de Tulipa,não é necessário citar Céu" e blá blá blá. Ou seja, pimenta no olho dos outros é refresco.


Abraço a todos!
P.S.: e essa Céu também não me convence, ou seja, eu prefiro ouvir minha vizinha anônima, que, além de cacarejar bem, é bonita.

Zé Henrique disse...

Salve, salve Anderson "Cauby" Falcão.
Cara, eu ouvi outro dia o cd do Gui Amabis e achei bom pacas.
Só não comprei porque a Tulipa participa de duas faixas.
Uma pena.
Se bem que, eu vou baixar e limar as faixas dela. :>)

PS: O Caio falou bem tanto da Tulipa quanto do KL.

Abraço a todos

Carla disse...

Zé eu tambem baixei e nao ouvi as da Tulipa mano ela me irrita, as da Céu ouço sempre.

Doug disse...

1- Sobre o post, que é o lançamento do disco em vinil. Pra que mesmo??

2- Quanto a Tulipa como cantora: ela é boa. Ponto. Gostar ou não de uma cantora é de foro pessoal. Já vi pessoas destruirem cantoras como Gal Costa, Elis, Nara, Nana, Bethânia, Marisa, Cássia Eller, Daniela Mercury, Wanderléa, Elba Ramalho, etc, outras elevarem elas ao nível de divindades, e o motivo é, SEMPRE, gosto pessoal.

3- O repertório da Tulipa é às vezes ótimo, às vezes pueril, mas esse é um problema por qual passam a maior parte das cantoras brasileiras atuais: os compositores gravam suas melhores músicas. Ou elas compôe músicas mais ou menos ou gravam as antigas. Diferentemente da geração das irmãs Batista, ou mesmo da geração de Elis, Gal e Bethânia, elas não tem um ótimo material inédito dos compositores à sua disposição.

4- Essa discussão sobre cantoras boas ou não é tão velha, sempre me remete ao papo que existia na época em que Nara Leão surgiu, em que diziam que ela não tinha voz, nem afinação, não cantava nada, que só fazia sucesso por ser rica e amiga dos grandes da Bossa-Nova. Falou-se, falou-se, falou-se. Nara gravou os discos dela, fez os shows dela, e hoje continua sendo o mesmo ícone, embora ainda exista quem ache que ela não cantava nada. A única desvantagem que vejo entre a nova geração de cantoras com relação a geração da Nara é o fato de não terem a mídia de massa à favor, divulgando os trabalhos delas.

5- Como disse o global Thiago Lacerda numa transmissão do Rock in Rio: música não dói (machuca, ofende... não lembro a palavra, mas foi algo assim). Se não gosta, não ouve.

Marcella Sisdelli disse...

Comprado, com muito, mas muuuuuuuuuito gosto, agora é só torcer pra chegar logo! O site é tranquilo pra se executar a compra, confiável e não ficou caro. Sai mais em conta o LP zerado deles via importação que comprar dentro do país em sampa, por ex. Valeu muito a pena, o trabalho dela é fantástico e estávamos sedentos por uma nova voz, com um ritmo e balanço que são dela, arranjos bem trabalhados e letras simples, porém boas. Precisamos de mais músicos assim pra continuar com o sinônimo de Brasil = Música boa!