Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sábado, 21 de dezembro de 2013

Edição em DVD capta plenitude do espetáculo em que Zélia dá voz a Tatit

Resenha de DVD
Título: Totatiando
Artista: Zélia Duncan
Gravadora: Warner Music
Cotação: * * * * *

Não é fácil filmar espetáculo de refinada atmosfera teatral. Por mais definição que tenham, câmeras nem sempre captam todo o jogo de cena e toda a magia que acontece entre o abrir e o fechar das cortinas. Sob a direção de Hugo Prata, a filmagem em vídeo de Totatiando preserva a plenitude do espetáculo em que Zélia Duncan - conduzida em cena por Regina Braga (atriz em sua primeira incursão pelo ofício da direção de teatro) - dá voz ao cancioneiro do compositor paulista Luiz Tatit. Há dois músicos em cena - o tecladista Tércio Guimarães e o guitarrista Webster Santos - e há 15 músicas de Tatit no roteiro, mas Totatiando não é um show. Em fase de plenitude artística desde 2004, quando começou a se transformar em outras, a cantora e compositora fluminense recorre à teatralidade para expressar todos os significados destas canções de tom falado, alocadas no roteiro entre texto do modernista escritor paulista Mário de Andrade (1893 - 1945), Quando eu morrer quero ficar aqui. Preservados no DVD recém-posto nas lojas pela gravadora Warner Music, gestos, luzes e movimentos de cena são tão importantes quanto o canto teatralizado. Dois anos após ter estreado em São Paulo (SP), em temporada que lotou o teatro do Sesc Belenzinho em setembro de 2011, Totatiando fica eternizado sem perdas em DVD gravado em 29 de setembro de 2012 no Teatro TUCA, situado na mesma cidade de São Paulo que abriga as personagens das canções de Tatit. Por ser declaração de amor a Sampa, como conceitua a própria Zélia no início do texto que escreveu para a contracapa do DVD, Totatiando corria em tese o risco de ser rejeitado por plateias de outros Estados. Mas o fato é que o espetáculo percorreu o Brasil com (absoluto) sucesso - o que também é explicável. Ao versar sobre os dilemas de seu quintal paulistano, Tatit construiu obra que embute questões universais comuns a todos os seres humanos. Eu sou eu e Felicidade - para citar somente estas duas músicas, ambas lançadas em 1997 - abordam emoções e questões atemporais, permanentes, típicas tanto de quem mora na selva concreta de São Paulo quanto de quem vive entre a arquitetura hi-tech de Tóquio. Ao se transformar (também) em atriz, quando dá voz a Haicai (1997) e a Banzo (1992), músicas que explicitam a arquitetura teatral de Totatiando, Zélia Duncan contribuiu decisivamente para que o cancioneiro de Tatit extrapolasse a fronteira de São Paulo. E a cantora ora atriz fez tal proeza com o mesmo talento com que, simultaneamente, abriu em 2012 a janela pop da obra de Itamar Assumpção (1949 - 2003), outro compositor paulistano até então confinado às margens e aos subterrâneos da mesma cidade que inspirou o primoroso espetáculo Totatiando, agora já possível de ser visto em qualquer tempo ou lugar.

9 comentários:

Rubens Lisboa disse...

Esplêndida cantora! Esplêndido DVD!

Mauro Ferreira disse...

A quem interessar possa, eis o link da resenha do espetáculo postada em Notas Musicais em setembro de 2011:
http://www.blognotasmusicais.com.br/2011/09/zelia-tatia-segura-e-sedutora-no-limiar.html

Fernando Lima disse...

O DVD é sublime!!!! Zélia é a salvação da arte pop no Brasil!!

BORBA percussão disse...

Ótima resenha. Aguardo o espetáculo aqui em Ouro Preto-MG. abço.

Tiago disse...

Lindo, lindo, lindo!! Um dos que mais gostei esse ano...

Alex Abreu disse...

ganhei o meu de amigo secreto, presentaço, parabéns pela resenha Mauro.

Leonardo Cidreira disse...

tive a oportunidade de estar na estréia e na última apresentação e olha... na parte "dodói" zélia intrepreta digna de uma atriz veterana do teatro! é tanta emoção q parece q ela realmente chora em cena, ela se entrega de verdade! é de arrepiar e se perguntar: "se ela está chorando mesmo??" rs

Unknown disse...

Mauro, como você escreve bem. Sempre te leio, não só a respeito de Zélia e penso que quero comentar isso. Hoje tomei coragem, parabéns pelo blog, a gente precisa muito disso no Brasil

Unknown disse...

Mauro, como você escreve bem. Leio sempre você, não só em relação à Zélia e sempre penso em comentar, hoje tomei coragem. Parabéns pelo blog, precisamos de espaços como este no Brasil.