Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Rap paulistano domina o VMB 2011 com as vitórias de Criolo e Emicida

Bola da vez na cena paulistana, o rapper Criolo foi - como já era de certa forma esperado - o grande vencedor do VMB 2011, levando para casa os troféus de Melhor Disco (Nó na Orelha), Melhor Música (Não Existe Amor em SP, de fato um grande tema, o mais inspirado de Nó na Orelha) e Artista Revelação. A premiação da MTV brasileira aconteceu na noite de quinta-feira, 20 de outubro de 2011, nos Estúdios Quanta, em São Paulo (SP), e consagrou a cena hip hop paulistana. Além de premiar triplamente Criolo (visto em foto de divulgação da MTV), o VMB 2011 deu outros dois importantes prêmios a Emicida, outro rapper egresso da periferia paulista. Além de ter sido o Artista do Ano, Emicida levou o troféu de Clipe do Ano por conta do clipe da música Então Toma. Já a Melhor Capa de Disco foi a de A Coruja e o Coração, segundo álbum de Tiê, enquanto o ótimo grupo carioca Tono foi eleito a Aposta. No todo, a premiação mostrou que foi acertada a decisão de fazer um grupo de formadores de opinião - os jornalistas e artistas convidados a integrar a Academia da MTV - decidir os vencedores de sete das 11 categorias em votação realizada pela internet. Eis os 11 vencedores do VMB 2011:

Artista do Ano - Emicida
Melhor Disco - Nó na Orelha (Criolo)
Melhor Música - Não Existe Amor em SP (Criolo)
Clipe do Ano - Então Toma (Emicida)
Hit do Ano - Me Acorde pra Vida (CW7)
Revelação - Criolo
Webclipe - Shake de Amor (Banda Uó)
Melhor Capa de Disco - A Coruja e o Coração (Tiê)
Aposta - Tono
Webhit - Sou Foda (Vitinho)
Artista Internacional - Lady Gaga

8 comentários:

Mauro Ferreira disse...

Bola da vez na cena paulistana, o rapper Criolo foi - como já era de certa forma esperado - o grande vencedor do VMB 2011, levando para casa os troféus de Melhor Disco (Nó na Orelha), Melhor Música (Não Existe Amor em SP, de fato um grande tema, o mais inspirado de Nó na Orelha) e Artista Revelação. A premiação da MTV brasileira aconteceu na noite de quinta-feira, 20 de outubro de 2011, nos Estúdios Quanta, em São Paulo (SP), e consagrou a cena hip hop paulistana. Além de premiar triplamente Criolo (visto em foto de divulgação da MTV), o VMB 2011 deu outros dois importantes prêmios a Emicida, outro rapper egresso da periferia paulista. Além de ter sido o Artista do Ano, Emicida levou o troféu de Clipe do Ano por conta do clipe da música Então Toma. Já a Melhor Capa de Disco foi a de A Coruja e o Coração, segundo álbum de Tiê, enquanto o ótimo grupo carioca Tono foi eleito a Aposta. No todo, a premiação mostrou que foi acertada a decisão de fazer um grupo de formadores de opinião - os jornalistas e artistas convidados a integrar a Academia da MTV - decidir os vencedores de sete das 11 categorias em votação realizada pela internet. Eis os 11 vencedores do VMB 2011:

Artista do Ano - Emicida
Melhor Disco - Nó na Orelha (Criolo)
Melhor Música - Não Existe Amor em SP (Criolo)
Clipe do Ano - Então Toma (Emicida)
Hit do Ano - Me Acorde pra Vida (CW7)
Revelação - Criolo
Webclipe - Shake de Amor (Banda Uó)
Melhor Capa de Disco - A Coruja e o Coração (Tiê)
Aposta - Tono
Webhit - Sou Foda (Vitinho)
Artista Internacional - Lady Gaga

Mauricio Coutinho disse...

A MTV se transformou numa piada. Na era da "imagem" a TV dispensou os vídeoclips e ignora a cultura nacional.

lurian disse...

O único dos shows que gostei foi a apresentação de Marina Lima com as 'meninas': Karina Buhr, Bárbara Eugênia, Nina Becker, Tulipa Ruiz e o guitarrista Edgard Scandurra.
Caetano teve uma pequena falha ao cantar com Criolo, mas enfim, gostei do Criolo ter ganho esses prêmios. O disco dele é realmente bom!

Anônimo disse...

Melhor VMB de todos CRIOLO E EMICIDA mereciam...nao falou dos shows mais quase todos foram perfeitos.
Naçao zumbi, emicida, guizado...
Arnaldo Antunes...Jeneci e Laura
Marcelo d2 START, carol conka, lurdes da luz, helio bendes, flora matos etc...
Melhor VMB!!!

KL disse...

é uma pena que o talento dos rapperes nacionais - talvez os únicos no momento a escreverem letras consistentes - esteja a serviço do RAP. Nada contra RAP, mas é o tipo de som que, do ponto de vista melódico, se esgota num show ou numa festa. Sua poética incisiva, ao diluir-se na ausência de melodia (trocada pelo sample), perde a chance de ecoar num violão, num piano, enfim, de adquirir a permanência que se presume em toda (boa) canção.
Além dos grandes nomes premiados Emicida e Crioulo, as meninas também fizeram bonito, e Lurdez da Luz foi bastante ousada ao samplear Hermeto Pascoal em "Andar Andei". Parabéns a todos e que, por favor, migrem logo para a Música Popular Brasileira, que hoje é acéfala e está perdida em seu mundinho de nada, chamado pomposa e cinicamente de 'meu infinito particular'. Vômito.

Anônimo disse...

Se fosse deixar na mão do público ganharia o Restart.
Acho o Emicida mais do mesmo, mas o Criolo é diferenciado.

Anônimo disse...

Não vi o evento, pois já não tenho paciência para essa fórmula "engraçadinha".
Mas vi os shows no youtube e gostei bastante da Nação com Seu Jorge e Guizado e do Criolo com Caetano - mais pela reprensentatividade, Mano Caetano fez feio.

PS: KL, música não é só melodia.
Há muitos outros mundos no universo musical.
Tanta estrela por aí, como diria Raul Seixas, e vc sentado choramingando na mesma estrelinha apagada.

Luca disse...

Criolo tudo bem, mas Emicida??????? aí não dá para levar a sério, nao pelo Emicida, mas por parecer que é tudo da mesma panela