Mauro Ferreira no G1

Aviso aos navegantes: desde 6 de julho de 2016, o jornalista Mauro Ferreira atualiza diariamente uma coluna sobre o mercado fonográfico brasileiro no portal G1. Clique aqui para acessar a coluna. O endereço é http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/


quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ellen, Sandy, Zeca e Chitãozinho & Xororó se ambientam bem no Barzinho 80

Crônica de gravação de CD, DVD e blu-ray
Título: Um barzinho, um violão - Novelas anos 80
Artista: Vários (em fotos de Mauro Ferreira)
Local: Salão Segóvia - Windsor Barra Hotel (Rio de Janeiro, RJ)
Data: 17 de junho de 2013

 "Vai ser longa essa noite, e estou contribuindo para isso", gracejou Sandy ao reconhecer que teria que repetir Meu bem, meu mal (Caetano Veloso, 1981 - novela Brilhante), uma das duas músicas a que deu voz no primeiro dos dias de gravação da quinta edição do projeto Um barzinho, um violão, dedicada a temas de novelas dos anos 80. Sandy teve que repetir Meu bem, meu mal apenas porque se distraiu nos solos dos violonistas e entrou depois do previsto na segunda parte da música. Detalhe que não empanou o brilho da participação da cantora paulista no projeto. Apesar do persistente tom adolescente de sua voz, Sandy mostrou segurança e preparo para encarar Meu bem, meu mal (com suingue) e Meu bem querer (Djavan, 1979 - novela Coração alado). De fato, foi longa a noite no salão de um hotéis da orla da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ). Mais do que a distração de Sandy, o atraso da cantora mineira Paula Fernandes - que passou o som de No rancho fundo (Ary Barroso e Lamartine Babo, 1930 - novela Tieta) e Chuva de prata (Ed Wilson e Ronaldo Bastos, 1984 - novela Um sonho a mais) já na presença do público convidado - contribuiu para atrasar a gravação comandada com diplomacia por Max Pierre, produtor e diretor artístico do projeto. Seguindo a receita acústica do projeto, os arranjos das músicas selecionadas para o Barzinho - Novela 80 foram calcados no violão, com adição eventual de percussão. Como de hábito em gravações do gênero, animação e aplausos foram solicitados para forjar ambiente de vibração em números que não empolgaram, como o registro de Você (Tim Maia, 1971 - novela Roda de fogo) na voz de Liah. A cantora - remanejada para cantar Flagra (Rita Lee e Roberto de Carvalho, 1982 - novela Final feliz) no segundo dia de gravação por conta dos atrasos do primeiro dia - tentou em vão reanimar o espírito soul da balada do Síndico. Já Ellen Oléria seduziu de imediato o público quando cantou Desenho de giz (João Bosco e Abel Silva, 1986 - novela Hipertensão) e Meia-lua inteira (Carlinhos Brown, 1989 - novela Tieta) com tamanha segurança que nem precisou repetir a segunda música. Não foi preciso forjar animação e aplausos para a cantora brasiliense. Chitãozinho & Xororó tiveram seu melhor momento com a interpretação de Roque Santeiro (Sá & Guarabyra, 1985 - novela Roque Santeiro). O tema se ajustou bem ao canto anasalado e ao universo da dupla sertaneja, escalada também para dar voz a Bem-te-vi (Renato Terra, 1981 - novela O amor é nosso). Anfitrião da noite, já que vai lançar o CD e DVD Um barzinho, um violão - Novelas anos 80 pelo selo ZecaPagodiscos, Zeca Pagodinho estava em casa. Na companhia virtuosa dos violonistas Paulão Sete Cordas e Rogério Caetano, o cantor carioca reviveu Tempo de Don Don (Nei Lopes, 1987 - novela Mandala) - partido de alta qualidade que lançou em seu segundo álbum solo, Patota de Cosme (RGE, 1987) -  e Corra e olhe o céu (Cartola e Dalmo Castello - novela Corpo a corpo). A fluente participação de Pagodinho confirmou sua evolução como intérprete. Sem abandonar seu jeito espontâneo, Pagodinho tem mostrado maior domínio vocal em suas últimas gravações. Uma das estrelas da noite, Ivete Sangalo deu voz a Deixa chover (Guilherme Arantes, 1981 - novela Baila comigo) e à balada O amor e o poder (The power of love) (Gunther Mend, Candy DeRouge, Jennifer Rush e Mary Susan Applegate em versão de Cláudio Rabello, 1987 - novela Mandala), sendo que o refrão do hit da cantora Rosana ganhou suingue no registro de Ivete por conta da pegada dos violões. Outro sucesso de Rosana, aliás, Nem um toque (Michael Sullivan e Paulo Massadas, 1986 - novela Roda de fogo) entrou no roteiro do Barzinho - Novela 80 na voz de José Augusto, escalado também para cantar Oceano (Djavan, 1989 - novela Top model). Se Toni Garrido saiu da praia do reggae para cantar Charme do mundo (Marina Lima e Antonio Cícero, 1981 - novela Sétimo sentido) e Muito estranho (Dalto e Claudio Rabello, 1982 - novela Sol de verão), Guilherme Arantes ficou em sua seara autoral e rebobinou O melhor vai começar (1982 - novela Sol de verão) e Raça de heróis (1989 - novela Que rei sou eu?). Completando o elenco da primeira noite de gravação, Alexandre Pires deu voz a O que é que há? (Fábio Jr. e Sérgio Sá, 1982 - novela Final Feliz) e À francesa (Cláudio Zoli e Antonio Cícero, 1989 - novela Top model). Sim, Sandy estava certa: a noite foi bastante longa, com altos e baixos.

9 comentários:

Mauro Ferreira disse...

"Vai ser longa essa noite, e estou contribuindo para isso", gracejou Sandy ao reconhecer que teria que repetir Meu bem, meu mal (Caetano Veloso, 1981 - novela Brilhante), uma das duas músicas a que deu voz no primeiro dos dias de gravação da quinta edição do projeto Um barzinho, um violão, dedicada a temas de novelas dos anos 80. Sandy teve que repetir Meu bem, meu mal apenas porque se distraiu nos solos dos violonistas e entrou depois do previsto na segunda parte da música. Detalhe que não empanou o brilho da participação da cantora paulista no projeto. Apesar do persistente tom adolescente de sua voz, Sandy mostrou segurança e preparo para encarar Meu bem, meu mal (com suingue) e Meu bem querer (Djavan, 1979 - novela Coração alado). De fato, foi longa a noite no salão de um hotéis da orla da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ). Mais do que a distração de Sandy, o atraso da cantora mineira Paula Fernandes - que passou o som de No rancho fundo (Ary Barroso e Lamartine Babo, 1930 - novela Tieta) e Chuva de prata (Ed Wilson e Ronaldo Bastos, 1984 - novela Um sonho a mais) já na presença do público convidado - contribuiu para atrasar a gravação comandada com diplomacia por Max Pierre, produtor e diretor artístico do projeto. Seguindo a receita acústica do projeto, os arranjos das músicas selecionadas para o Barzinho - Novela 80 foram calcados no violão, com adição eventual de percussão. Como de hábito em gravações do gênero, animação e aplausos foram solicitados para forjar ambiente de vibração em números que não empolgaram, como o registro de Você (Tim Maia, 1971 - novela Roda de fogo) na voz de Liah. A cantora - remanejada para cantar Flagra (Rita Lee e Roberto de Carvalho, 1982 - novela Final Feliz) no segundo dia de gravação por conta dos atrasos do primeiro dia - tentou em vão reanimar o espírito soul da balada do Síndico. Já Ellen Oléria seduziu de imediato o público quando cantou Desenho de giz (João Bosco e Abel Silva, 1986 - novela Hipertensão) e Meia-lua inteira (Carlinhos Brown, 1979 - novela Tieta) com tamanha segurança que nem precisou repetir a segunda música. Não foi preciso forjar animação e aplausos para a cantora brasiliense. Chitãozinho & Xororó tiveram seu melhor momento com a interpretação de Roque Santeiro (Sá & Guarabyra, 1985 - novela Roque Santeiro). O tema se ajustou bem ao canto anasalado e ao universo da dupla sertaneja, escalada também para dar voz a Bem-te-vi (Renato Terra, 1981 - novela O amor é nosso). Anfitrião da noite, já que vai lançar o CD e DVD Um barzinho, um violão - Novela 80 por seu selo ZecaPagodiscos, Zeca Pagodinho estava em casa. Na companhia virtuosa dos violonistas Paulão Sete Cordas e Rogério Caetano, o cantor carioca reviveu Tempo de Don Don (Nei Lopes, 1987 - novela Mandala) - partido de alta qualidade que lançou em seu segundo álbum solo, Patota de Cosme (RGE, 1987) - e Corra e olhe o céu (Cartola e Dalmo Castello - novela Corpo a corpo). A fluente participação de Pagodinho confirmou sua evolução como intérprete. Sem abandonar seu jeito espontâneo, Pagodinho tem mostrado maior domínio vocal em suas últimas gravações.

Mauro Ferreira disse...

Uma das estrelas da noite, Ivete Sangalo deu voz a Deixa chover (Guilherme Arantes, 1981 - novela Baila comigo) e à balada O amor e o poder (The power of love) (Gunther Mend, Candy DeRouge, Jennifer Rush e Mary Susan Applegate em versão de Cláudio Rabello, 1987 - novela Mandala), sendo que o refrão do hit da cantora Rosana ganhou suingue no registro de Ivete por conta da pegada dos violões. Outro sucesso de Rosana, aliás, Nem um toque (Michael Sullivan e Paulo Massadas, 1986 - novela Roda de fogo) entrou no roteiro do Barzinho - Novela 80 na voz de José Augusto, escalado também para cantar Oceano (Djavan, 1989 - novela Top model). Se Toni Garrido saiu da praia do reggae para cantar Charme do mundo (Marina Lima e Antonio Cícero, 1981 - novela Sétimo sentido) e Muito estranho (Dalto e Claudio Rabello, 1982 - novela Sol de verão), Guilherme Arantes ficou em sua seara autoral e rebobinou O melhor vai começar (1982 - novela Sol de verão) e Raça de heróis (1989 - novela Que rei sou eu?). Completando o elenco da primeira noite de gravação, Alexandre Pires deu voz a O que é que há? (Fábio Jr. e Sérgio Sá, 1982 - novela Final Feliz) e À francesa (Cláudio Zoli e Antonio Cícero, 1989 - novela Top model). Sim, Sandy estava certa: a noite foi longa...

Elba Mota disse...

Curiosa pra ouvir isto....vamos aguardar....

Rafael M. disse...

Tem uns cantores muito ruins nesse projeto... Sinceramente dispenso isso.

paulo sergio disse...

Só musicas de novelas. Que já encheram o saco.

Estalactites hemorrágicas disse...

Pulo

Como entoaria a própria Sandy:
"Vamo pular, vamo pular"

Ricardo Sérgio

Fábio disse...

A maioria das atrações são de doer, mas o texto tão detalhado do Mauro (incluindo até as novelas de onde vieram as músicas) é um tesão de ler! Parabéns.

Euler disse...

A cantora Rosana, uma das recordista de trilhas nas novelas da Rede Globo, foi agraciada nesta quinta edição deste projeto, afinal, foram duas canções de grande sucesso que foi interpretadas tanto por Ivete Sangalo, quanto por José Augusto. Vida longa a esta lenda viva da MPB - Rosanah Fienngo.

Euler disse...

A cantora Rosana, uma das recordistas em trilhas das novelas da Rede Globo, foi agraciada e também homenageada na quinta edição deste projeto, tendo dois grandes hits inclusos na playlist, O amor e o poder (Ivete Sangalo) e Nem um toque (José Augusto). Vida longa a esta lenda viva da MPB, salve Rosanah Fienngo!